Visualizações

5 de jan de 2014

Penúltimo- Capítulo 21

Joe acordou sentindo-se incrivelmente mal. Não mal, mas cansado. E ontem a noite ele não tinha ido para a cama tarde, o que não dava a ele motivos pra tamanho cansaço. Sem contar o frio que estava sentindo.
-Que isso, Jonas, vai esquiar?- Lola riu na direção dele que revirou os olhos.
-Você não tá com frio?
-Tô, mas... normal- deu de ombros.
-Eu tô com muito frio, acho que tô com febre- murmurou. Lola se aproximou e levou uma das mãos à testa dele, depois fez uma careta concordando.
-Pelo pouco que eu entendo sobre temperatura, você tá fervendo- disse.
-Eu vou na enfermaria- revirou os olhos e jogou a mochila nas costas.
-Tá com frio, hein- uma voz surgiu atrás dele e o fez sorrir. Joe virou na direção de Demi e deu de ombros.
-Febre- respondeu.
-Dor de cabeça- ela disse antes de desviar o olhar. O remédio de Joe chegou e ele tomou e logo saiu da sala, dando mais uma última olhada em Demi.
-Você viu a Demi por aí, Joe?- Lola perguntou curiosa, procurando pela amiga.
-Ela tava na enfermaria- respondeu- Alguém vai lá e fala que ela não precisa manter distância?- pediu- Ela nem chega mais perto da gente.
-Deixa que eu vou- David ofereceu- Tô com sede, vou beber água no caminho- deu de ombros. Lola e Joe assentiram e ficaram ali conversando.
-Ela me odeia?- Joe perguntou.
-Não, ela quer ser sua amiga- a menina forçou um sorriso.
Joe fez o mesmo e puxou Lola para um abraço bem apertado.
-Que isso?- ela resmungou tentando manter o equilíbrio.
-Calor humano, dizem que ajuda- deu de ombros, fazendo a menina rir.
-Vocês...- David fez uma careta quando se aproximou- Larga a minha namorada- ele soltou o braço de Demi, porque tivera que puxá-la até ali, e tirou Lola dos braços de Joe. Nesse momento, ele foi abraçado- Cara, me solta... por que ele tá grudento?- perguntou à Lola, que agora estava rindo sentada ao lado de Demi.
-Não tô grudento, tô com frio- Joe respondeu em tom óbvio.
-Arruma outro pra te esquentar- se afastou com rapidez, mas ainda assim com um sorriso no rosto.
Joe puxou a primeira menina que passou e por puro azar era Britty. Ela o encarou confusa por um segundo e depois encarou Demi ao lado.
-Percebeu que escolheu a garota errada?- ela perguntou. Joe se afastou um pouco dela e revirou os olhos.
-Eu definitivamente não escolhi a garota errada- afirmou soltando Britty imediatamente.
Antes mesmo dela sair bufando irritada, ele se aproximou de Demi e a abraçou com força. A menina tentou controlar a respiração, mas falhou. Sempre quando ele se aproximava, ela se afastava. Queria ficar longe, o mais longe possível. E agora não existia quase distância. Se ela virasse o rosto, dava de cara com o dele. E caso isso acontecesse, seria impossível controlar qualquer impulso.
Mesmo que parecesse natural para ele, Joe sentia-se da mesma forma que Demi. Não tinham se aproximado desde a última conversa, então isso ia além de um avanço. Mas aquilo ali era uma brincadeira, era só um abraço.
Demi permaneceu ali durante um tempo, mas estava ficando mais difícil de manter o controle. Então ela forçou uma risada que soou bem natural e se desvincilhou dos braços dele, ainda mantendo o clima de brincadeira.
-Até você?- ele reclamou, sorrindo.
Demi apenas riu balançando a cabeça e quando a troca de olhares acabou, ela trouxe de volta a expressão séria. Lola logo se encarregou de puxar papo.
-Joe, vem aqui rapidinho?- uma menina chamada Anna se aproximou. Demi tentou ignorar, e conseguiu pelo menos fingir que não ligava. Joe se levantou e os dois caminharam para um lugar afastado.
-Conseguiu o telefone dele?- perguntou esperançoso. Era a última coisa que precisavam pra festa, o telefone do dj.
-É óbvio que sim- ela sorriu e Joe lhe deu um abraço. Ela tinha um rolo com Mark, o dono da casa onde fariam a festa, e poucas pessoas sabiam que eles ficavam. Demi não sabia, por isso a raiva cresceu ao ver Joe com a menina.
-Valeu, Anna, agradece ao Mark, depois eu falo com ele- sorriu guardando o papelzinho no bolso. Mais uma coisa pra fazer Demi querer sair dali.
-E aí?- David questionou quando Joe se sentou novamente na mesa.
-Consegui- sorriu.

---*---*---
No dia seguinte...

Demi on:
-Eu não vou a essa festa- garanti sem pensar duas vezes.
-Porque, Demi?- Lola insistiu pela milionésima vez- Eu já disse que quero que você vá comigo, por favor.
-Você vai com o David e eu vou ficar lá sozinha.
-O Joe vai estar lá.
-Mais um motivo pra eu não ir- revirei os olhos lembrando rapidamente de todos os momentos de “amizade” que aconteceram nas últimas horas, lembrei inclusive de coisas que me deixaram com muita raiva- Ele vai estar com alguma outra garota.
-Ah, mas não vai mesmo.
-O que te dá tanta certeza?- perguntei.
-Ele te ama, Demi, pelo amor de Deus!- bufou irritada.
-Porque então nós não estamos juntos?- ergui a sobrancelha- Olha, eu não quero ver aquelas piranhas dando em cima dele e ele correspondendo. Se o Joe tiver a oportunidade, ele não vai recusar. Ele tá livre pra fazer o que quiser.
-Ele não te magoaria- ela disse- Você não quer mudar isso hoje? Vai nessa festa e mostra pro Joe que vocês tão perdendo tempo. Uma hora ou outra vocês vão voltar- garantiu.
-Que droga, eu não quero ir- resmunguei.
-É uma pena, você vai- retrucou séria.
Revirei os olhos e me recusei a contestar. Eu ia, ficava um pouco e depois saía de fininho, quando Lola não me tivesse mais em vista.
Me arrumei ainda relutante, não querendo colocar nada que chamasse atenção. Lola disse que tinha uma coisa pra resolver com o David e então ia me deixar sozinha pra que eu me arrumasse. Depois de me encarar no espelho, decidi que estava bom. Simples demais, porém bom. Aí dei mais uma olhada e decidi tirar tudo. De uma hora pra outra, eu senti uma necessidade incrível de ficar o mais bonita que conseguisse. Eu queria impressioná-lo.
Mesmo assim não exagerei. Eu sabia que Joe não gostava dessas coisas muito espalhafatosas, então permaneci simples, mas com um quê a mais. E depois coloquei o cordão que ele havia me dado como presente pelos meus 18 anos.
O cordão havia vindo no pescoço de um ursinho lindo de pelúcia, que agora me encarava, deitado na cama. Eu queria muito que Joe estivesse ali também.
Esperei Lola chegar, eu já estava impaciente, mas acho que na verdade era ansiedade. E medo, talvez insegurança. Eu não sabia o que ia acontecer naquela noite. E ela podia ir de uma noite maravilhosa a um desastre total.
-Wow, você tá muito gata- Lola sorriu pra mim, me segurando pelo braço- Anda, estamos atrasadas- disse.
-Porque tanta pressa?
-Meu namorado tá lá sozinho com várias garotas. Isso não é legal- respondeu entrando no carro.
Nós chegamos e a casa estava toda apagada. A música alta vinha lá de dentro e nós caminhamos conforme o som. Assim que colocamos o pé lá dentro, a música parou. Só percebi que não tinha absolutamente ninguém na sala enorme quando todos pularam gritando “surpresa”. Eu estava estática e até cheguei a virar para trás no intuito de conferir se não havia ninguém atrás de mim. Aquilo tudo era pra mim?
-É pra você mesma, Demi- ouvi a voz de Joe e observei atentamente seu sorriso naquele rosto de expressão calma.
-Mas...- eu tentei dizer alguma coisa, mas várias pessoas vieram até mim, me abraçaram e falaram coisas simpáticas. Era uma festa grande, eu não era muito amiga de todos ali, mas ninguém parecia se importar com isso. Todos haviam se juntado pra fazer aquilo por mim.
-A festa é sua- Lola sorriu me abraçando novamente. As pessoas já estavam dançando ao som da música que voltara e eu ainda não sabia muito bem o que fazer- Aproveita- disse.
Eu sorri e olhei para todos ali, se divertindo e de repente meu olhar se encontrou com o de Joe. Ele forçou um sorriso e se aproximou tranquilamente, trazendo David ao seu lado. Os dois pareciam bem felizes e satisfeitos.
-Gostou da surpresa?- ouvi a voz de Joe em meu ouvido e só aí reparei seus braços ao meu redor e os meus braços presos no pescoço dele.
-Eu nem sei o que pensar, quem fez isso?- eu perguntei a todos eles. Lola e David encararam Joe com um sorriso no rosto- Você?- eu o encarei, percebendo que ainda estávamos bem próximos, e ele deu de ombros.
-Eu tive muita ajuda- explicou.
Aquilo me deixou ainda mais surpresa. Acho que saber que Joe havia planejado isso me deixava ainda mais surpresa do que a festa em si. Lola me puxou para dançar e eu decidi que talvez a noite não fosse acabar sendo tão ruim.
Um tempo se passou, uns já estavam cansados, outros bêbados e eu procurei por Joe enquanto ouvia Lola conversar com David. Os dois já tinham bebido bastante e se não estavam se agarrando de um jeito bem explícito, estavam falando coisas que só eles conseguiam entender. Pareciam malucos. Me levantei e subi as escadas, procurando pelo banheiro.
Eu não tinha ideia de onde ficava, nunca tinha ido àquela casa antes e me esqueci de procurar por um lavabo no andar de baixo. O jeito era abrir alguma porta, porque eu já estava ali mesmo.
E é óbvio que eu não iria acertar de primeira. Abri uma porta que dava pra um quarto, não tinha ninguém ali. Caminhei mais um pouco e vi três portas. Quantos cômodos aquela casa tinha?
Abri uma das portas e mesmo com a luz apagada, vi a sombra de duas pessoas. Uma delas tinha um copo nas mãos e a outra, a mulher, tentava a todo custo se aproximar. Eu não demorei pra perceber que era Joe. Mas não me movi. Eu me mataria depois se fosse embora e não soubesse o que de fato aconteceu. Ele estava resistindo absurdamente, resmungando pra menina sair de perto, o que me deu mais vontade de continuar. Eu queria saber se ele ia ceder.
-Ângela, sai- Joe murmurou afastando a menina, já com a paciência se esgotando. Ela tentava beijá-lo, mas não tinha muito sucesso.
-Você não estaria aqui se não quisesse- ela disse em alto e bom tom.
-Eu tô bêbado- ele revirou- E eu não quero como também não vou.
-É mais interessante quando você tá com esse cheiro de álcool- sussurrou.
-Você não vai me fazer transar com você- disse se livrando finalmente dela- Eu posso estar bêbado o suficiente pra subir aqui mas não pra entrar no seu joguinho. Tenha um pouco de respeito por si mesma.
Então quando ele ia virar de costas, eu saí dali o mais rápido que pude. O problema foi que eu não sabia o que fazer, então fiquei parada encostada na parede ao lado da porta. Joe passou por mim respirando fundo, e depois deu alguns passos para trás.
-O que você tá fazendo aqui?- ele perguntou nervoso- Você viu...?- Eu assenti e ele se aproximou- Eu tô bêbado, mas não fiz nada.
-E por que você não fez nada?- perguntei com a voz falha.
-Porque eu não faria isso com você- disse sério- Eu posso ter muito álcool correndo dentro de mim mas isso não seria suficiente, eu te amo muito- ele disse juntando nossas testas ao me segurar pela cintura.
-Eu não consigo ser sua amiga, Joe- eu disse apreensiva. Sua respiração já se confundia com a minha e a menina lá estava certa, o cheiro de álcool estava me deixando mais maluca ainda- Você não vai se arrepender disso quando estiver sóbrio, vai?- questionei com os olhos fechados, me referindo ao momento que estava acontecendo e que ia acontecer.
-Eu não quero que você seja minha amiga- ele disse em meu ouvido, roçando seu nariz na minha nuca- Eu quero mais do que isso- disse beijando meu pescoço.
Deixei que seu rosto permanecesse entre meus cabelos e suspirei sentindo seus lábios contra a minha pele. Puxei seu cabelo querendo encontrar meus lábios com os seus e como resposta ele me imprensou mais contra a parede, conta o seu corpo.
Iniciamos um beijo apaixonado mas desesperado. Definitivamente nós dois estávamos sentindo muita falta disso. Sua língua explorava minha boca com uma intensidade absurda e suas mãos me apertavam. Ele queria me sentir de todos os jeitos que podia.
-Você tá raciocinando direito?- perguntei, não sei como. Eu com certeza não estava apta a falar naquele momento, mas tinha um medo absurdo de que em algumas poucas horas tudo aquilo mudasse.
-Eu nunca raciocinei tão bem- garantiu com certeza. Eu nunca vi um bêbado tão confiante ao soltar algumas poucas palavras. Talvez isso fosse um bom sinal.
Joe encaixou uma de suas pernas no meio das minhas e me calou antes que eu pudesse dizer alguma coisa. De qualquer forma, eu não ia dizer nada.
Ele apertou minha cintura e beijou meu ombro descoberto ao descer as mãos para o meu quadril. Ao me puxar mais para perto, ele mordeu meu lábio inferior e eu o puxei pela camisa.
-Seu idiota- ouvimos um resmungo, provavelmente da menina que estava no quarto com ele há pouco tempo. Joe se afastou um pouco, apenas o suficiente para rir abafado.
-Você é a única que eu quero- ele disse antes de me beijar novamente.
Fomos diminuindo a intensidade de tudo que acontecia conosco, mas uma das mãos dele ainda estava presa à minha perna, acariciando-a. Ele beijou meu ombro e distribuiu muitos beijinhos em minha nuca. Ficamos assim durante um tempo, querendo manter a respiração em um nível aceitável e ele beijou meus cabelos antes de jogar um de seus braços ao meu redor.
Segurei sua mão que me envolvia e ele beijou-a delicadamente. Sorri com o gesto, ignorando mais uma vez o fato de saber que ele não estava completamente ciente de toda a situação e rezei pra ele não se arrepender de nada.
Quando descemos a escada, ele apoiou a mão em minhas costas, descendo até meu quadril. Ri comigo mesma e ele fez o mesmo, beijando meu pescoço com um sorriso nos lábios.
-Epa- David comemorou animado ao nos ver- Vocês tão completamente bêbados ou eu já posso comemorar pra valer?- perguntou.
-Eu tô bêbado, ela não- Joe respondeu por mim- Mas pode comemorar, eu tô bem ciente da situação- brincou.
-Finalmente- foi o que Lola disse, da forma mais bêbada possível e arrancando gargalhadas.
Continua...
tá acabando gente :( mas ó, eles voltaram :D
amanhã eu posto o último :|
comentem, hein! por favor, só tive 4 comentários :((
amo vocês, obrigada por tudo!
mil beijocas,
Brubs <3

comentários respondidos> aqui

12 comentários:

  1. Postaaaaa maiiiis, posta posta , eles voltaram ebbbbaaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. voltaraaaam \o obrigada por tudo amor, vou postar o último :O

      Excluir
  2. O.m.g.
    Penúltimo...tá acabando :( :( :( :(
    Minha brigadeirinha,você e 10 *--*
    Tá perfeito tudooo mesmo <3
    Ansiosa para o último capítulo....
    Finalmente juntos para valer né kkkkkkk
    Posta logooo
    Mil beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... acabou :( obrigada meu amor, por tudo mesmo, cada palavra, cada comentário <3 Mil beijos, linda

      Excluir
  3. NÃO, EU NÃO QUERO QUE ACABE ESSA FANFIC :'(((
    ESSE CAPITULO TA MAIS QUE PERFEITO, JEMI VOLTOU AÊ!!! <3
    PENSEI QUE IA ROLAR UM HOT, MAS OK. AGUARDANDO ANSIOSAMENTE O ULTIMO :DDD
    p.s. - Desculpe não ter comentado o ultimo capitulo, eu tinha esquecido :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :( poxa, sinceramente, é muito difícil pra mim acabar uma fic também, mas :/ hummm... calma, calma, o "hot" rolou no último :D Imagina, amor, muito obrigada por tudo! <3

      Excluir
  4. Eu morri de rir com o Joe no inicio do capitulo abraçando todo mundo hauhauhuhau
    ELES VOLTARAM YESSSSSSSS!
    Ah não penúltimo capítulo já? não quero que acabe! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha
      eeee voltaram :D pois é, acabou :((
      muito obrigada por tudoooo <3 <3

      Excluir
  5. Mds! q perfeiçao de capitulo :o nao posso com isso, pq penultimo Pq q tu q é bom dura pouco? :(((((( quero o ultimo bem grandinho posso pedir né? Heuheu ja to com sdds de vc por aqui :(
    Livia. Ou lia, pq é meu apelido q criei pq sim kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é :(( poxa, nem tá grande assim, amor, desculpa mesmo :/ calma... eu volto! não sei quando, mas logo depois da viagem eu venho dar sinal de vida ;) hahahaha obrigada, Lia <3 <3 mil beijos!

      Excluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3