Visualizações

31 de dez de 2012

Happy New Year!!


Feliz ano novo!! *-*

Meus amores!! Quero desejar a todos muito amor, prosperidade, paz, felicidade... Que esse ano de 2013 seja um milhão de vezes melhor que todos os anos de suas vidas! <3 Que Deus abençoe a todos vocês, suas famílias... e que venha um novo ano com novas experiências, sorrisos, paixões, amizades, escolhas corretas e enfim, que seja um ano marcante! :)
Queria agradecer também à vocês por tudo que aconteceu comigo durante esse ano, em relação ao blog. Eu fiz amizades verdadeiras, conheci pessoas que eu amo do fundo do meu coração e vocês fizeram muitos dos meus dias muito melhores, diversas vezes! Obrigada por estarem ao meu lado durante tanto tempo, lendo e amando minhas histórias! Ter criado esse blog foi algo muito especial para mim e eu não vou me arrepender jamais por ter decidido escrever essas fics. Eu me sinto bem e isso me ajuda e expressar o que eu sinto. Com todos esses elogios que eu recebi durante esse tempo, tantas declarações e amor, eu só tenho a agradecer, de verdade, do fundo do meu coração, à tudo que já fizeram por mim! :) Então, que 2013 seja cheio de Jemi, Jonato, fics... amor... hahaha 
Só queria agradecer e dizer o quanto eu amo vocês e sou agradecida por tudo isso que me aconteceu. Obrigada, jemilovers, eu amo vocês! <3

Mil beijos,
Feliz ano novo,
Bruna! *-*

30 de dez de 2012

Chapter 27


Stay Strong


                                                                                  "Fix my heart"



P.s.: Conteúdo 'hot' :)
Não sabiam como tinham chegado ali, mas ambos tinham noção do que estavam fazendo. Subiram para os quartos e não pensaram duas vezes antes de começarem a tirar a roupa um do outro, implorando por aquilo.

-Então é isso que você quer?_ ela perguntou, escondendo a cabeça no peito dele.
-É só uma noite_ sussurrou, voltando a beijá-la com carinho_ É você que eu quero.

Joe deslizou suas mãos por todo o corpo dela, sem se preocupar com os carinhos ousados. Deitou-a na cama rapidamente e colocou suas pernas envolta da cintura dela, prendendo a menina ali, tornando-a completa e unicamente sua. Imóvel, Demi sentia suas mãos deslizando pelo peito dele enquanto recebia beijos e mordidas no pescoço.

"It's probably what's best for you
I only want the best for you
And if I'm not the best then you're stuck"

Nada era como da primeira vez e ambos sabiam disso. Naquela noite, tudo fugia do controle deles, que estavam tomados pelo desejo que os consumia. Segurou o rosto dela em suas mãos e encarou-a nos olhos, observando o brilho diferente em seu olhar. Demi jogou a cabeça para trás, sentindo-o em contato com sua pele. Tudo era meio desesperado, conforme o desejo só aumentava.
Joe já havia se livrado de sua calça, mas ainda não podia tocá-la e observá-la por completo  porque ela ainda estava de lingerie. Percebeu como Demi hesitou ao sentir as mãos dele no fecho de seu sutiã, e ele sabia bem o porquê.
Na realidade, aquela era a primeira vez que ela ficaria completamente nua na frente dele, na frente de qualquer um. E era também a primeira vez que ele poderia observá-la e desejá-la da forma correta. Poderia explorar seu corpo e ao mesmo tempo vê-lo, apreciá-lo.
Demi desejou que ambos estivessem em um local com menos luz, ou talvez estivessem  apaixonados como antes, como um casal, como melhores amigos. Desejou que confiasse nele novamente, a ponto de deixá-lo fazer isso. Mas a quem ela queria enganar? Confiava nele e deixaria que fizesse o que bem entendesse.

"I tried to sever ties and I
Ended up with wounds to bind
Like you're pouring salt in my cuts"

Deixou-se levar por tudo aquilo que a consumia, sentindo as mãos dele descendo por dentro de sua calcinha conforme juntavam seus lábios. Talvez estivesse apenas enganando a si mesma e sabia que se arrependeria profundamente depois, mas tinha certeza de que não estava preparada para isso agora. Era completamente diferente de como fora com ele da outra vez. Agora nada mais era calmo, mas ela não queria parar. Iria aproveitar essa noite, mesmo que se arrependesse por se entregar de tal forma a alguém que não tinha mais tanta importância na vida dela.
Joe parecia querer aquilo de forma enlouquecedora, a muito tempo, e ela se perguntava porque ele estava fazendo isso. Não foi ele que se confundiu em relação à seus sentimentos? Que disse que não a amava? Ah, mas essa noite nada se tratava de amor. Ele queria ela, queria usá-la novamente apenas para se divertir, queria  ir para a cama com alguém e esse alguém era ela.
A menina se perguntava o porque disso, porque magoá-la se ele dizia amá-la? Se queria retomar a amizade de anos? Era desse jeito que ele esperava fazer isso? Mas aí ela se lembrou que ele não estava sozinho ali. Mas então era culpa dela? Claro que não, como poderia? Ela o amava. Estava prestes a transar com uma pessoa que amava, ao contrário dele. Só que... no fundo ela estava ciente de que nada ali se tratava de sentimentos. Ele se divertia e dessa vez não fingia nada. Ela sabia que era desejo, era uma noite e fim. Então ela poderia se culpar. Sabia bem o que estava fazendo e o porquê disso.

"And I just ran out of band-aids
I don't even know where to start
Cause you can't bandage the damage
You never really can fix a heart"

Ao abaixar as alças do sutiã dela, Joe distribuiu beijos por toda sua pele, até tirar a peça, colocando-a de lado. Levou sua  boca até um dos seios e ela queria não precisar fingir que estava bem em relação a isso. Apertou os olhos com força e sentiu os lábios de Joe de uma forma que nunca havia feito antes. Massageando os seios descobertos da menina, ele voltou seus lábios para os dela, mas depois de um caloroso beijo, parou e colou suas testas.
Direcionou seus olhos para o corpo da menina, colado ao seu. Agora ele podia observá-la devidamente, sem restrições, sem medo. Seu corpo emoldurado, com aquelas curvas que ele tanto amava tocar, os detalhes perfeitos que faziam parte daquele conjunto que agradava seus olhos. Sorriu maliciosamente ao ver seu peito subindo e descendo conforme a respiração.

"Even though I know what's wrong
How could I be so sure?
If you never say what you feel, feel"

Fechou seus olhos ao perceber o quão incomodada com aquilo ela estava e se arrependeu por um momento. Por estragar um momento que ambos ainda não haviam vivido, algo que não tiveram a oportunidade de desfrutar enquanto ainda estavam juntos. Mas não deixou que nada disso tomasse sua cabeça. Era apenas mais uma vez e ela sabia disso. Não estava a enganado ou usando-a, ela sabia o que acontecia ali.
Colocou uma mecha de seu cabelo para trás da orelha, parecendo como ela parecia exausta. Deu-lhe um selinho rápido e encarou seu corpo novamente, de forma mais discreta, enquanto descia os beijos pela nuca, alisando suas costas.
Livrou-se da calcinha dela com rapidez e Demi estremeceu ao sentir as mãos dele por seu corpo, acariciando-a tão tranquilamente e intensamente ao mesmo tempo.

"I must have held your hand so tight
You didn't have the will to fight
I guess you needed more time to heal"

Joe deixou que seus olhos percorressem o que ele desejava ver no momento e gostou do que sentiu quando Demi se soltou mais, resolvendo dar a ele o que ele estava dando a ela naquele momento. A menina queria aquela calma, poder respirar por um segundo sem que ele fizesse algo inesperado ou que a surpreendesse. Queria poder pensar que tinha a noite toda, mesmo sabendo que ele queria terminar logo aquilo.
Por um segundo pensou em segurar a mão dele novamente, pois agora ela estava com mais medo do que antes. Medo porque a confiança que tinha estava desaparecendo aos poucos e ele não parecia aquela pessoa que ela havia conhecido. Mas não era culpa dele, e sim dela. Sabia que se não quisesse, não teria que estar ali. O problema era que ela o desejava.
Era tarde demais quando percebeu que sua mão estava próxima demais da dele, dando a entender que queria segurá-la. Demi sentiu-se ridícula por aquilo, mas ele segurou sua mão e acariciou-a com o polegar, antes de fazê-la sentir o porquê de ambos estarem ali.
***

-O que você está fazendo?_ ele perguntou, vendo a menina vestir rapidamente o sutiã.
-Eu vou embora_ sussurrou.
-Porque não espera a festa acabar?_ se aproximou dela, sugerindo.
-Desculpa, mas  eu não tenho mais clima pra ficar aqui com você_ afirmou, com a voz calma e exausta daquilo. Daquela brincadeira.
-Tudo bem_ concordou, não estando disposto a discutir_ Não tem nenhuma chance de você querer olhar na minha cara e conversar comigo depois, certo?
-O que você quer mais?_ questionou, irritada_ Vai tentar mesmo me explicar o porquê disso_apontou para ambos_ Ter acontecido?
-Foi só uma noite, Demi_ respirou fundo, levando as mãos ao cabelo.
-Foi só a última noite_ deu ênfase_ E a última conversa também_ concluiu, terminando de fechar o vestido e deixando o lugar.
***

-Ta de ressaca, é?_ o menino riu do outro lado do telefone, fazendo Joe revirar os olhos.
-Não, eu não bebi ontem_ afirmou.
-Então você transou com a Demi completamente sóbrio?_ perguntou surpreso_ O que deu em vocês dois?
-Como sabe disso?_ bufou, levando a mão na cabeça querendo espantar o que voltava à sua mente, cenas da noite passada.
-Algumas pessoas sabem_ deu de ombros_ A Miley sabia que estavam lá em cima.
-Que saco_ murmurou_ Eu não sei o que deu em mim... quanto a Demi_ suspirou_ Ela provavelmente deve estar me odiando agora.
-Não é pra menos_ disse_ Você termina com a menina, dizendo que nunca a amou como namorada e na primeira oportunidade você a leva pra cama?
-Você não está ajudando!
-Joe, se fosse um beijo eu até entendia, mas você transar com ela depois daquilo que me disse_ ele lembrou, confuso_ Me admira a Demi ter aceitado isso.
-Ela sabia que não passava de uma noite_ sussurrou, triste consigo mesmo_ E eu também achei estranho ela aceitar, mas... ela ainda me ama e eu sei disso, foi um erro ter brincado desse jeito com ela de novo, mas eu não sei o que aconteceu comigo.
-Já se falaram?
-Não... eu nem tentei_ murmurou_ Nem sei o que falar para ela. Eu... não sei mais o que eu sinto.
-Então pensa antes de magoá-la de novo_ avisou_ Mas e aí, foi bom?_ perguntou entusiasmado.
-É claro_ Joe riu ao ouvir a animação de Mikey_Aquela menina me leva a loucura_ levou as mãos a cabeça.
-Você faria de novo?_ perguntou, desconfiado pela forma como Joe falava.
-Sim_ respondeu convicto, sem precisar pensar e ao mesmo tempo surpreso por sua própria resposta.
____________________________________________________________________

Ele pensou muito. Mesmo. Mas ainda não conseguia descobrir onde tinha errado, como confundira tanto seus sentimentos. Não foi fácil chegar a uma decisão quando tantas lembranças e momentos voltavam a sua mente, principalmente relacionados a noite passada, ou a coisas que ela havia dito a ele.
Precisava pensar em como concertar isso sem magoá-la mais, sem cometer outro terrível erro. Queria fazê-la acreditar nele, porém para isso, ele deveria acreditar no que seu coração sentia primeiro.
Demi fez de tudo para se esquecer completamente do que havia acontecido. Ao sair da boate, ela havia prometido a si mesma que não iria derramar uma lágrima sequer por ele. Mas isso não foi possível quando ela, no meio da noite, resolveu pegar um ar e o viu sentado na calçada de casa, com a cabeça baixa e uma roupa largada. Pelo visto ela não era a única que não conseguia dormir.

"You must be a miracle walk up
Swearin up and down you can fix what's been broken 
Please don't give my hopes up, no 
Baby tell me how could you be so cruel"

Permaneceu ali, observando o menino e por um momento ele a encarou, desejando saber o que fazer. Demi desviou o olhar e por mais que estivessem longe um do outro, ela percebia a expressão desapontada no rosto dele, assim como o menino sentia a tristeza dela o invadir.
Se antes as coisas já estavam ruins entre eles, agora então tudo seria mais complicado. Complicado de explicar a ela, de fazê-la entender que ele havia cometido um erro ao dizer que a amava daquela forma, mas que também cometera um erro ao dizer que não a amava.
Aquilo doía dentro dela, como nunca havia acontecido antes. Doía porque para ela, essa era a prova de que Joe não se importava mais com ela, com aquela que um dia ele jurou nunca magoar. Ela estava machucada por dentro e a única coisa que conseguia fazer era lembrar-se de tudo que passaram juntos. Todos os sorrisos, as lágrimas que ela dividiu com ele. Tudo havia ido embora e não voltaria mais. Ele não conseguiria arrumar a bagunça que havia feito dentro dela, concertar aquele coração que agora estava em pedaços logo por ele. Isso chegava a doer menos, porque valeu a pena arriscar tudo por um momento como aquele que passaram juntos.
Não foi uma chance desperdiçada, seu coração estava quebrado por causa de alguém que ela realmente amou. Ele merecia esse coração quebrado. Por mais que ela sentisse raiva e estivesse magoada, ele merecia a dor dela. Por tudo que já havia feito.

"It's like you're pouring salt on my cuts"

Continua...
Então... meio hot aí mas não deu muito certo, né?! Enfim... gente, não vou mentir, a fic já está acabando, tá? Falta pouco... não vou dizer quanto, mas menos de 10 capítulos :/ Comentem, ok?! Muito obrigada por tudo e espero que tenham gostado! :D

Mil beijocas,
Bruna <3

28 de dez de 2012

Chapter 26


Stay Strong


                                                                            "broken hearts"





-Você tem um minuto para me ouvir?_ ele perguntou, se aproximando por trás_ Se não quiser é só dizer, você já está me ignorando mesmo, desde o dia em que nós terminamos_ deu de ombros.
-Não me lembro de ter terminado com você_ sussurrou, sem se virar para ele.
-Tudo bem, eu estou terminando agora então_ concluiu_ Você pode, por favor, olhar pra mim?_ pediu.
-E você pode falar direito comigo?_ também pediu, magoada. Se ele pensava que estava sendo fácil para ela, estava enganado.

"Broken hearts and last goodbyes
Restless nights but lullabies
Help to make this pain go away
I realize I let you down
Told you that I'd be around
I'm building up the strength just to say"

-Porque não deixa essa besteira de lado e volta a ser minha amiga, Demi?- pediu, mantendo a calma, também magoado_ Já faz um mês que eu passo por você e a única  reação que eu percebo é você se distanciando cada vez mais.
-Eu não consigo deixar que tudo volte a ser como era antes_ encarou-o_ Quando eu olho pra você... é como se eu não te conhecesse, é impossível lembrar de tudo que aconteceu e ao mesmo tempo voltar a ser sua amiga.

"I'm sorry
For breaking all the promises that I wasn't around to keep.
It's on me
This time is the last time I will ever beg you to stay.
But you're already on your way"

-Deixa esse papo de lado e finge  que nada aconteceu_ pediu_ Por favor, Demi, eu estou com saudades da minha melhor amiga.
-Você arranja outra com facilidade_ deu de ombros.
-Não quero outra, eu quero você_ garantiu_ É pura idiotice virar e falar que não consegue voltar a ser minha amiga, me explica o porquê disso!
-Porque nada do que eu sentia por você mudou_ disse_ Como eu posso ignorar tudo isso? Sabendo que você mentiu pra mim e me usou?
-Eu nunca faria isso se tivesse uma escolha_ afirmou_ Você não tinha me dito que ignoraria isso? Quando disse que era apaixonada por mim?
-Depois que tudo aquilo aconteceu entre a gente fica tudo mais complicado_ murmurou irritada_ Não te vejo mais como eu via antes. Eu te vejo como um ex namorado que partiu o meu coração!
-Você vai colocar a culpa em mim agora?_ perguntou nervoso_ A única coisa que você não vê é o que está bem na frente dos seus olhos_ afirmou_ Será que é tão difícil enxergar que tudo que eu fiz foi para tentar manter a nossa amizade?
-E quando acabasse, Joe? Não pensou o que ia acontecer quando você cansasse de fingir esse amor por mim?

"Filled with sorrow, filled with pain
Knowing that I am to blame
For leaving your heart out in the rain
I know your gonna walk away
leave me with the price to pay
before you go I wanted to say
That I'm sorry"

-Ia acontecer o mesmo que se eu tivesse negado sentir o mesmo pro você. Se eu tivesse negado esse namoro estúpido!_ disse irritado.
-Estúpido?
-Sim! Porque mesmo você sendo a melhor namorada que eu já tive_ confessou_ Olha no que isso se transformou_ disse_ Você não vê que me deixou sem escolhas!
-Queria então que eu guardasse isso pra mim?
-Eu não sei, Demi_ suspirou_ Mas se você me disse que seria capaz de ignorar o que sentia antes, não deve ser tão complicado agora!
-Já te expliquei porque eu não consigo_ respirou fundo_ Joe, não da, tá?
-Você não quer que isso aconteça tanto quanto eu quero?_ perguntou.
-É óbvio que eu quero. Se eu pudesse voltar no tempo e não te falar aquilo, só pra ter o meu amigo comigo de novo, eu faria_ admitiu_ Mas... o nosso namoro foi a melhor coisa que já aconteceu comigo e eu sinceramente não quero esquecer.
-Eu não aguento ficar longe de você_sussurrou como se implorasse_ Por favor_ pediu_ Eu sabia que estragaria a nossa amizade.
-Você tem que aprender a viver sem mim, é a única forma_ disse.
-E você vai continuar me ignorando?_ questionou_ Fingindo que não me conhece?
-É o máximo que eu consigo fazer agora_ sussurrou.
-Você está magoada comigo_ ele disse e ela demorou um pouco para assentir_ Sente como se eu tivesse usado você?
-Joe, seja sincero_ ela pediu_ Tudo bem, pode não ter sido por mal ou a sua intenção, mas eu não podia me sentir de outro jeito_ ele assentiu.
-O que eu posso fazer para a nossa amizade voltar, Demi?_ perguntou_ Eu faço qualquer coisa, me desculpa, por favor.
-Eu te desculpo_ ela forçou um sorriso_ Mas não tem nada que você possa fazer.
-E cadê aquela história do "eu preciso de você"?_ ele sussurrou, triste por pensar em como terminaria aquilo.
-Pois eu não preciso mais_ disse séria, virando as costas e saindo dali.

"Can't make it alive on my own
But if you have to go, then please girl
Just leave me alone
Cause I don't want to see you and me going our separate ways
I'm begging you to stay
If it isn't too late...
This time is the last time I will ever beg you to stay
But your already on your way"

_______________________________________________________________________
1 mês depois...

-É, parece que ela não precisa mesmo de você_ Mikey deu de ombros, bebendo alguma coisa.
-Que idiota_ Joe resmungou, com os olhos vidrados nela.
-Chamou a Demi de idiota?_ O.o
-Não_ negou_ Ainda não_ murmurou_ Aquele garoto é idiota. Como ela pode?
-Ei, também não é pra tanto... devem ser só amigos.
-O que eles são não me interessa_ bufou_ Sério, o que eu fiz pra merecer isso?_ perguntou a si mesmo.
-Aceitou namorar com a sua melhor amiga, colocou em risco a amizade, transou com ela, disse que não a amava e fez ela se sentir usada_ deu de ombros.
-É, só isso_ sorriu cínico_ Obrigada por me lembrar_ disse_ Eu realmente tinha esquecido_ revirou os olhos.
-Relaxa cara. Você vai na festa da Miley amanhã? Aquela boate é cheia de gatinhas_ sorriu maliciosamente_ Vai esquecer a Demi em segundos.
-Preciso mesmo.
-Sabe o que eu não entendo? Faz dois meses que terminaram e você não ficou com nenhuma menina_recordou-se.
-Não estou com cabeça para nada_ deu de ombros_ Eu acho que vou nessa festa sim... A festa da Demi está chegando também.
-Vai ter festa?
-Provavelmente_ deu de ombros, ainda encarando-a com o menino_ Mas ainda falta.
-Você tem certeza que só tem ciúmes porque ele pode estar tomando o seu lugar?_ perguntou duvidoso.
-Sim, Mikey_ afirmou_ Se não eu não tinha terminado com ela, né?!_ riu sem humor.
___________________________________________________________________

Noite de festa, para se divertir.

Demi estava terminando de se arrumar para a festa de sua amiga, e deveria confessar: estava bem mais animada  do que imaginava poder estar. Deu uma última olhada no espelho e respirou fundo ao pensar em Joe. Deu uma olhada pela janela de seu quarto em direção ao dele. Pode vê-lo sentado na cadeira, mexendo no computador, sem camisa. Aquela cena era demais para qualquer um, ainda mais quando se tratava dela, que por mais que quisesse negar, deveria admitir que cada detalhe de sua roupa, cabelo ou maquiagem havia sido feita pensando nele, no que ele acharia. Provavelmente falaria: "você está linda, princesa" com aquela voz que a fazia delirar. Sentia falta de ter alguém que a proporcionasse ouvir isso novamente.
Talvez agora as coisas estivessem "boas" entre eles. 2 meses, isso era suficiente para melhorar a situação daqueles dois, mas não ainda para retomar uma amizade como a de antes. Tinha medo de nunca conseguir fazer isso. Era o que mais temia. Porém preferia não pensar nisso. Ela e Joe se falavam de vez em quando, como colegas ou apenas conhecidos. Nada daquelas conversas de antes, nenhuma chance de Demi poder contar a ele tudo que acontecia em sua vida.
Às vezes percebia o menino a observando enquanto ela conversava com Toby, um menino novo, muito legal por sinal. Ele era um bom amigo, mas não como Joe sempre foi e nem como ele imaginava que era. Provavelmente pensava que Demi e o menino novo estavam namorando, ou que ele o estava substituindo. O que era impossível. Ela nunca se sentiria tão à vontade e segura com ninguém mais.
Ele definitivamente não pode deixar de dar aquela espiadinha enquanto a menina se arrumava. Demi estava linda e ele sabia que ao observá-la o desejo ainda crescia dentro dele. Era inexplicável, mas sentia ciúmes da menina com o idiota com quem ela estava andando, como nunca havia sentido de ninguém.

-Hey, você quer carona?_ ele perguntou, vendo a menina sair de casa.
-Como você consegue sair bem na hora que eu estou saindo?_ ela riu sem humor, se aproximando.
-Eu não fiz isso_ negou_ Você saiu na mesma hora que eu_ deu de ombros.
-Tudo bem, eu aceito a carona_ forçou um sorriso.
-Nossa, foi fácil_ brincou_ Você está linda_ disse, sorrindo na direção dela e logo desviando o olhar, abrindo a porta para que a menina entrasse.
-Obrigada_ sussurrou, lembrando-se de como desejara poder ouvir isso de novo.
-Animada?_ ele perguntou, tentando manter uma conversa agradável.
-Aham_ assentiu_Vai ser divertido_ deu de ombros.
-E você? Está bem?_ questionou.
-Sim, está tudo bem_ assentiu.
-Pergunta tola_ riu sem humor_ Não me diria se estivesse alguma coisa errada_ concluiu_ Chegamos.
-Vamos_ ela abriu a porta_ A noite vai ser boa_ brincou, sorrindo.

***

-Estranho_ele comentou, se aproximando com o copo de bebida na mão_ Você disse que estava animada.
A menina estremeceu com a proximidade dele. A música era alta e a única forma de se comunicarem era bem perto do ouvido. O que o agradou, muito.
-É..._ sussurrou envergonhada, abaixando a cabeça. Porém ele continuava muito próximo.
-Eu também não tenho muito o que fazer_ deu de ombros, permanecendo ao lado dela.
Joe sentou-se em um dos banquinhos, bem ao lado de Demi e fixou seus olhos em um ponto, fitando o nada. Ou melhor, algumas meninas dançando. Pena que a que ele queria estava ali, bem ao seu lado. Tão próxima mas às vezes tão distante.
-Porque não vai lá?_ ela sugeriu, não parecia ter raiva ou rancor na voz_ Aposto que amariam uma noite com você_ deu de ombros, rindo sem humor algum.
-Eu não amaria uma noite com nenhuma delas_ revirou os olhos.
-Te conheço, Joe_ ela forçou um sorriso_ Não precisa fingir nada só porque eu estou aqui_ disse_ Eu saio se você quiser_ deu de ombros, se levantando.
-Se você me conhecesse_ ele levantou também, se aproximando mais dela do que era necessário_ Saberia o que eu quero_afirmou.
-Como eu posso saber o que você quer se não me fala?_ perguntou no ouvido dele_ Ou não me mostra?_ disse provocante.

Joe colocou uma de suas mãos ao redor da cintura dela e colou seus corpos, antes que a menina pudesse fazer qualquer coisa. Pressionou-a contra a bancada e juntou seus lábios, ferozmente. Era um beijo diferente de todos os outros, algo que não estava nem aí para sentimentos. O que existia ali era desejo.

-E você?_ questionou ao afastar seus lábios_ O que quer?_ descansou sua cabeça no pescoço dela, depositando beijos.

Demi controlou sua respiração e selou seus lábios novamente, com cada vez mais intensidade e desejo, passando suas mãos pelo cabelo dele. O menino deixou o copo de bebida de lado e sentou-a no banco, deslizando suas mãos pelas costas dela, descendo cada vez mais.

-Talvez concordemos em alguma coisa_ ela deu de ombros, sentindo o carinho que ele fazia.

Ela usava um vestido preto, colado no corpo, o que realçava cada curva dele. E o que atentava Joe ainda mais à deslizar suas mãos, explorando-o com intensidade.

-Eu... ouvi dizer que tem uns quartos lá em cima_ ele sussurrou com a voz cheia de desejo no ouvido da menina, dando leves mordiscadas em sua orelha.
***

Continua...
Heeey! Awn gente, fiquei tão feliz por terem gostado da mini-fic! \O bom, comentem muito, tá? Sei que fui meio má, mas basta comentar! haha :D Obrigada por tudo! <3

Mil beijocas,
Bruna <3

27 de dez de 2012

All About December- Part 3_última_ (mini-fic)


Back to December


-Eu... recebi a mensagem que me mandou e...
-E...
-Eu não posso, Demi_ ele respondeu, com um sussurro.
-Escuta_ ela disse_ Tem como a gente se encontrar em algum lugar?_ perguntou receosa.
-Onde você está?_ deu-se por convencido. Talvez devesse conversar mesmo com ela antes de tomar qualquer decisão definitiva.
-Nova York, mas eu posso tentar ir até aí...
-Não, tudo bem. Eu estou em Nova York também_ ele a surpreendeu_ É só até hoje, eu preciso voltar às aulas, mas vamos nos encontrar no Central Park_ sugeriu.
-Tá, eu chego em alguns minutos.
_________________________________________________

Sexta-feira,
Março de 2001.
Sabe? Eu andei pensando muito sobre tudo que aconteceu. Na verdade por mais que eu tenha lembrado de muitas coisas do passado... eu não consegui dormir direito desde que eu cheguei nessa faculdade. O sono.... era pouco perto do que ocupava minha cabeça, e depois daquela noite, ou quase noite, mesmo negando,  tudo mudou dentro de mim. Eu me dei conta de como fui burra ao te deixar, ao mentir para você. Desculpas a parte, queria que soubesse como me sinto. Espero que esteja lendo essa carta com o coração aberto porque eu irei te fazer um pedido, como o daquele dia. Mas aceite se realmente quiser, porque aquilo foi um erro.

Eu não sabia como falar com você ao vê-lo sentado naquele banco, bebendo algo desconhecido que depois eu descobri que servia para me esquecer. Tentei experimentar, mas não funcionou muito bem. Funcionou para você? 

Porque naquele dia, eu queria tê-lo novamente e a única forma disso acontecer foi propondo aquilo. Esquecer por uma noite. Tolice. Eu não consegui porque me sentiria um lixo ao pensar que o tive completamente para mim mas fui obrigada a deixá-lo para trás novamente. Eu não suportaria a ideia. 

Antes de tudo, eu queria saber como se sente. Mas estamos, provavelmente a milhas de distância e eu não consegui completar uma só chamada das quase vinte que tentei. Era impossível aguentar a ideia de te falar tudo isso e esperar do outro lado da linha por uma reação sequer. Queria propor que esquecesse o que aconteceu. Mas não por uma noite e sim o suficiente para me ter em sua vida de novo. O suficiente para conseguir me amar da mesma forma que fazia antes de eu estragar tudo.

Me lembro de termos conversado sobre namoro a distância e a ideia não me agradou muito. Porém agora falta um pouquinho menos de um ano... será que é tão impossível assim? Lembrei do que aconteceu naquele banheiro um milhão de vezes e passei a noite de natal agarrada àquele urso, pensando em nós quando lá em baixo estavam todos que eu amava. Desisti de descer quando me dei conta de que você não estava lá.

Você se lembra daquele natal no hotel? Uma das melhores noites da minha vida. Pensei nela durante horas e horas até decidir escrever isso. Sei que é muito, mas a distância pode ser menos devastadora do que parece. Apenas me prometa pensar.

Pode parecer estranho, mas eu não saberia outra forma para terminar.
Eu te amo,
Demi.
_____________________________________________________

"I'm so glad you made time to see me
How's life? Tell me, how's your family?
I haven't seen them in a while
You've been good; busier than ever
Small talk, work and the weather
Your guard is up and I know why
Because the last time you saw me
Still burns in the back of your mind
You gave me roses and I left them there to die"


-Eu me sinto ridícula por saber que leu aquilo_ desviou o olhar.
-Foi com esse objetivo que me mandou, certo?_ ele disse calmamente_ Eu pensei, juro que sim. Mas... eu não suporto essa ideia, Demi, eu nunca suportei. Agora eu poderia tentar fazer isso, aceitar o que me propôs, mas...
-Mas..._ ela pressionou.
-Eu tomei uma decisão, a algum tempo, e não me arrependo dela. Ou pelo menos não até agora. Talvez tudo pudesse mudar se aquela noite realmente tivesse acontecido, ou não...
-O que quer dizer?_ perguntou.

"These days I haven't been sleepin?,
Stayin' up playing back myself leavin?,
When your birthday passed
And I didn't call, then I think about summer,
All the beautiful times,
I watched you laughin' from the passenger side
And realized I loved you in the fall. "


-Eu também estou confuso, mas é difícil pensar em tudo que já aconteceu. Eu me lembro de cada momento e passei a noite de natal da mesma forma que você, pensando exatamente naquilo. Mas naquele momento eu me dei conta de que talvez fosse melhor para nós dois seguir em frente.
-Quando começou a tomar decisões por nós dois?_ questionou chateada.
-Quando você fez isso_ lembrou-a_ Escuta, eu não quero discutir. Pedi que me encontrasse porque se eu fosse escrever alguma coisa para você, provavelmente seria bem parecido com o que me mandou.
-Então qual é o problema? Porque é tão complicado aguentar mais alguns meses até que eu volte para a minha faculdade permanente que também é em Londres?
-Porque já se passou mais de um ano, Demi. E... eu tentei te esquecer, por mais que eu saiba que isso é em vão, eu continuo tentando, porque parece a única maneira de descarregar isso que meu coração leva.

"Maybe this is wishful thinking
Probably mindless dreaming
If we loved again, I swear I'd love you right
I'd go back in time and change it but I can't
So if the chain is on your door I understand. "

-Você... está com alguém?_ ela definitivamente não gostava de como a pergunta, que ela mesma havia feito, soava.
-Eu aposto que você também tentou_ riu sem humor, encarando o chão_ Aquele dia, lá no banheiro, eu quase cometi um erro terrível. Não deixei de cometer, na verdade, mas poderia ser pior. Eu estava namorando naquela época.
-Você... porque não me disse?_ o encarou incrédula.
-Porque eu não queria que parasse de me beijar, não queria ter que vê-la ir. E antes que me deixasse dar conta de que isso aconteceria, de que eu teria sérias consequências depois, eu queria você_ afirmou, fixando seus olhos nos dela.
-O que você faria depois?
-Veria você partir_ deu de ombros_ Entende porque é tão complicado? Você não  foi a única a sentir aquilo, aquela vontade louca que ao mesmo tempo se transformava em arrependimento.
-Está namorando agora? É por isso que não quer?_ quis saber de uma fez por todas.
-Não namorando, mas talvez... em outra_ disse_ Não é o que eu quero, nem o que o meu coração quer, mas agora isso é necessário.
-É necessário fugir do que quer?
-Não estou fugindo. O que eu quero está fugindo de mim e infelizmente eu não posso fazer nada em relação a isso_ sussurrou.
-Me responde se eu ainda tenho uma chance_ pediu_ Olhando para trás tudo era tão fácil, Joe... pensando em tudo que nós já passamos.
-Nós tivemos a chance de fazer dar certo.
-Eu desperdicei essa chance. Desperdicei também quando não fiz o que eu queria naquele maldito banheiro_ respirou fundo_ Desculpa por todas as besteiras que eu fiz_ pediu_ Não vou te impedir de seguir a sua vida_ deu de ombros_ E quem sabe mais para frente as coisas mudem.
-Nunca se sabe o que pode acontecer em uma noite de dezembro_ brincou, forçando um sorriso_ Não é nessa data que você volta?
-Sim, em uma noite de dezembro_ afirmou_ Espero que ainda esteja disposto a esperar por mim_ sussurrou.

"So this is me swallowing my pride,
Standing in front of you saying
I'm sorry for that night
And I go back to December all the time. "

--------------------------------------------------------------------------

Sábado,
Dezembro, 2001
Faltam apenas alguns dias para que nos encontremos e sim, eu estou contando. Talvez estivesse um pouco errado em relação a como lidar com meus sentimentos, mas acredito que fiz o certo. 

Passaram-se quase 9 meses e eu não posso esperar para vê-la novamente.
Não sei se o que você sentia mudou, se seu coração decidiu sair a procura de algo novo para se apegar, mas eu cansei de esconder e guardar as minhas mais profundas mágoas ao invés te de dizer que eu sinto muito por tê-la deixado escapar.

Sinto sim mas não faria diferente. Porque foram dois anos e nós não levamos isso muito bem, mas se o que sentíamos era forte e ainda existe, intacto, está aí uma prova de que supera qualquer coisa, de que é forte. Poderíamos ter tentado um namoro a distância, mas acredite, isso iria diminuir nossos sentimentos aos poucos, por mais que tentássemos impedir e não conseguiríamos evitar. Aí sim o amor desapareceria, ou seria mais fácil de ser guardado.

Lembro-me de todas as noites frias onde dormimos juntos e eu voltaria a cada uma delas se pudesse. Apenas para reviver aqueles momentos enquanto não te tenho aqui comigo. Aquelas noites de dezembro definitivamente marcaram nossas vidas, de todas as formas possíveis. A forma como o nosso amor era puro e único e eu apenas espero que tenha permanecido assim.

Todas as vezes que eu acordo, me deparo com o seu presente e sorrio ao ver as fotos, mas existe um motivo maior, pelo qual meu coração dispara. Ver você ali, ler o que você um dia escreveu para mim, expressando seus sentimentos. Não era mentira quando eu disse que sempre lembraria de você.
O dia que você chega é um mistério para mim, porém também não é o que me importa. Apenas venha me procurar se sentir o que eu ainda sinto. Porque eu sempre estive disposto a te esperar. Agora basta saber se você continua disposta a me receber.

Poderia terminar de qualquer forma, mas sinto que se não disser isso, mesmo que por escrito, meu coração não suportará. Passei muito tempo sem pronunciar essas três palavrinhas, mas não por falta de oportunidade nem vontade. Era porque não existia verdade alguma por trás delas quando não existia você para ouvi-las.
Te amo, 
Joe.

"It turns out freedom ain't nothing but missin' you
Wishing I'd realized what I had when you were mine
And I go back to December, turn around
And make it all right
I go back to December all the time "
____________________________________________________________

-Nada como uma noite de dezembro_ ela deu de ombros, sorrindo ao vê-lo sentado na porta de casa, se aproximando.
-Quando você chegou?_ perguntou, sem conseguir conter aquela felicidade que subiu ao vê-la novamente.
-Hoje, meu voo acabou de aterrissar mas eu não consegui esperar nem que minhas malas fossem despachadas_ deu de ombros_Peguei o primeiro táxi que vi. Miley cuida do resto para mim_ sorriu.
-Está diferente..._ ele observou, percebendo a roupa alegre que ela usava.
-Sabe... não vi ninguém com estilo parecido com o meu quando estive em Londres pela segunda vez e... imaginei que a sua namorada não fosse como eu_ brincou.
-Ah_ resmungou frustrado_ Eu amava aquelas roupas estilosas e diferentes_ disse.
-Não mudei_  garantiu, sorrindo_ Eu apenas tive um acidente dentro do avião... durante uma turbulência eu derramei suco de uva na minha roupa e fui obrigada a usar aquilo que a Miley leva com ela... então_ deu de ombros.
-Está louca para trocar isso, não está?_ ele riu_ Mas está linda, de qualquer forma.
-Estou louca para outra coisa_ sussurrou, segurando na nuca dele.
-Leu minha mensagem, então?_ perguntou, trazendo-a mais para perto pela cintura.
-Aham_ assentiu_ Eu não precisei pensar sobre nada_ afirmou.
Juntaram seus lábios num beijo feroz e cheio de desejo, saudades, amor, paixão. Ambos haviam sonhado com aquilo desde muito tempo, e era justo que tivessem essa chance agora, mesmo depois de dois anos.
-Foi a decisão mais difícil que eu tomei te dizer não naquele dia_ confessou_ Estava com saudades de você, mais do que eu achei que fosse possível sentir.

"It turns out freedom ain't nothing but missin' you
Wishing I'd realized what I had when you were mine
And I go back to December, turn around
And make it all right
I go back to December all the time. "


-Você estava certo sobre tudo. Quando eu escrevi aquilo, estava quase que desesperada, não usei muito a cabeça. Mas aprendi que às vezes só o coração não basta. Ele prega peças_ sorriu_ Pensando sobre tudo que aconteceu durante esses dois anos... e lendo aquilo que me escreveu eu percebo que tudo fazia sentido. Poderíamos ter corrido um risco maior se deixássemos levar pelo coração naquela época_ concluiu.
-Queria poder te encontrar logo, eu estava contando os dias para que dezembro chegasse e esperando ansiosamente cada dia que se passava.
-Eu ia mandar tudo direitinho, mas pensei: "ah, porque fazer aquela mesma cena dos dois se encontrando no aeroporto se eu posso surpreendê-lo"_ disse divertida.
-Amei a surpresa_ beijou-a novamente, abraçando-a com força.
-Como eu senti saudades de você_ admitiu, apertando-o contra si com os braços ao redor do pescoço do menino_ Eu estava com medo...do que aconteceria quando nos reencontrássemos.
- Porque?_ perguntou confuso, beijando a testa dela_ Eu deveria ter medo.
-É que... nunca se sabe o que pode acontecer em uma noite de dezembro_ ela sussurrou divertida_ E eu sentia que essa talvez pudesse ser diferente..._ deu de ombros_ Apenas um mal pressentimento.

"But this is me swallowing my pride,
Standing in front of you saying
I'm sorry for that night
And I go back to December..."

-Será diferente. Daqui pra frente eu não vou deixar que nada nos separe_ prometeu.
-É muito engraçado..._ comentou_ Novamente nosso aniversário de namoro é em dezembro...
-Provavelmente é o nosso mês da sorte. Eu gosto de lembrar de cada dezembro que passamos juntos.
-Eu também_ beijou-o intensamente_ Eu te amo, muito. E reviveria cada momento novamente. Valeu a pena, tudo que passamos.
-Também te amo, e adoraria voltar para cada dezembro_ riram juntos, selando os lábios com um selinho.

"It turns out freedom ain't nothing but missin' you
Wishing I'd realized what I had when you were mine
I go back to December, turn around
And make it all right
I go back to December, turn around
And change my own mind. "

-Eu estou com frio_ disse, se aproximando mais ainda_ Que tal entrarmos?_ sugeriu no ouvido dele, enquanto o menino beijava seu pescoço_ Ah, além disso, que tal você me dar uma ajudinha com essas roupas?_ sussurrou divertida, enquanto caminhavam para dentro da casa do menino, aos beijos.
Mais uma noite fria, mais uma noite de dezembro que terminaria com o desejo falando mais alto. Não apenas o desejo, mas também o amor, como sempre. Todos os momentos, todos os beijos, as noites... aquilo sempre voltava à tona quando lembravam de Dezembro.

"I go back to December all the time
All the time"


The end.

Hey! E.... acabou! :( Espero que tenham gostado e principalmente entendido a mini-fic, porque eu gostei muito \O Então... eu não vou responder aos comentários agora, porque estou com um pouquinho de pressa, mas muito obrigada por todos! :-D Eu sei que acabou, mas comentem, por favor, me dizendo o que acharam... :P Enfim, muito obrigada, a todos, de verdade e mais estão por vir *-*

Mil beijocas,
Bruna <3

26 de dez de 2012

All About December- Part 2 (mini-fic)


P.S.: A música faz referência à coisas que aconteceram no passado (flashbacks) e também a fatos anteriores, que estão no 'prólogo' ou na 'parte 1'. 

Remember December

-Posso entrar?_ ele perguntou, depois de permanecer parado em frente a porta do dormitório dela durante um bom tempo até que a menina assimilasse a ideia.
-Como entrou aqui?_ perguntou.
-Você não era a única a conhecer Miley_ ele riu sem humor e ela forçou um sorriso, dando espaço necessário para que Joe entrasse.
-Eu... preciso ir para o aeroporto_ disse_ Tenho alguns poucos minutos_ fez uma careta.
-Não vou demorar, eu prometo_ sorriu. A menina se sentou na cama e fez um sinal para que ele fizesse o mesmo.
-Eu não esperava te ver aqui_ ela disse, tímida. Não sabia desde quando ficava assim perto dele, mas provavelmente havia sido depois daquela noite.
-Soube que só iria para casa hoje e... é véspera de Natal, então_ ele deu de ombros, esticando a mão, mostrando o embrulho que ela não havia percebido_ Queria te dar seu presente.
-Wow, obrigada_ ela agradeceu, encarando-o por um segundo com um sorriso no rosto. Ao abrir o embrulho, Joe pegou a peça delicada da caixinha.
Demi virou-se de costas para ele, enquanto o menino colocava em seu pescoço o colar.
-Ficou lindo em você_ ele sorriu, fixando os olhos no pingente com forma de anjo.
-Isso é lindo_ ela sussurrou, impressionada_ Eu tenho algo para você_ ela disse empolgada_ Pretendia te entregar quando nos encontrássemos em casa, mas quando me disse que não iria voltar... eu achei que deveria guardar_ deu de ombros, caminhando até o armário_ Mas já que está aqui... Feliz Natal_ sorriu, entregando a ele uma grande embalagem, retangular.
-É grande_ ele riu, segurando-a e percebendo o quão pesada também era.
-Eu encomendei faz bastante tempo... não esperava trazer comigo para a viagem mas eu... no início pensei em te entregar aqui em Londres mesmo_ confessou_ Eu queria te dar algo que o fizesse lembrar de mim_ sussurrou envergonhada por falar aquilo_ E como me lembrava de você querer um desses... enfim, espero que goste.

A menina sorriu ao ver a felicidade estampada no rosto dele enquanto segurava a grande placa de metal. Era algo parecido com um painel, na verdade nem ela sabia ao certo o nome daquilo. Sua melhor amiga havia lhe dado a alguns anos atrás, com algumas fotos gravadas na placa de ferro e alguns dizeres... servia para colocar avisos ou coisas o tipo, mas Demi gostava de ver aquilo como algo a ser lembrado. Queria que ele lembrasse dela ao ver as inúmeras fotos deles juntos e o que estava escrito bem grande " Just mine" seguido de outras frases menores, espalhadas, como "forever" ou "I love you". Ela se lembrava da dificuldade ao escolher o que estaria escrito, já que palavras não seriam, nunca, suficientes para que ela expressasse o que sentia.

-Isso é... é fantástico_ disse depois de um tempo apreciando_ Eu amei_ afirmou com convicção, olhando-a e depois voltando o olhar para o magnífico presente.
-Quando você entrava no meu quarto... ficava tão fascinado com aquilo que eu achei legal te dar um..._ disse sorridente_ Me desculpa pelas fotos, ou... pelas coisas que eu escrevi_ pediu_ Faz tempo e...
-Não importa_ ele interrompeu_ Não podia ser melhor_ garantiu_ Muito obrigada, é lindo, tudo que está nele_ sorriu_Vou me lembrar de você sempre que olhar_ prometeu.
-É meio impossível não lembrar...._ ela riu_ Deixei um pouco claro demais que o presente era meu_ fez careta.
-Tem o seu jeitinho_ ele riu divertido_ É incrível_ disse mais uma vez_ E eu tenho uma coisinha pra você, além do colar_ disse.
-Outra coisa?_ perguntou surpresa.
-Sim_ assentiu_ Eu encomendei a muito tempo e... exagerei um pouco. Eu não sei como vai levai isso no avião_ fez uma careta, caminhando até a porta_ O moço teve bastante trabalho, mas...
Abriu-a e Demi observou o embrulho, maior do que Joe, parado bem ali.
-O que é isso?_ sorriu entusiasmada, correndo até chegar ao lado dele.
-Eu comprei com a intenção de não te deixar sozinha, quando seguíssemos... caminhos diferentes_ disse receoso_ Era para te proteger_ deu de ombros.
A menina sorriu para ele, o sorriso mais sincero que havia dado nesses últimos dias.
-Como... como eu abro isso?_ perguntou rindo.
-É só rasgar, não quebra_ avisou.

O urso era o maior que ela já vira em sua vida. Mais ou menos do tamanho dela e realmente não imaginava como levaria aquilo para casa. Só sabia que daria um jeito, sem deixá-lo durante um só segundo. Mas, ao observar atentamente, não era um urso qualquer. Era um panda, com fones de ouvido gigantes também e com um estilo muito, mais muito parecido com o da menina. Um urso personalizado, exatamente do jeito como ela era.

-Isso é... perfeito_ riu ao tocar cada detalhe do presente_ Eu nem sei como agradecer_ sussurrou, encantada.
-Não precisa agradecer_ sorriu_ Eu já vou te dar trabalho suficiente para levá-lo no avião... se quiser eu arranjo alguém para entregar lá_ ofereceu.
-Esse panda vai comigo, sentado ao meu lado, nem que eu tenha que parar o aeroporto para isso_ disse arrancando uma risada dele.
-Lembrei muito de você quando o vi pronto..._ deu de ombros_Não sei poque, mas lembrei_ brincou.
-É, não tem nada a ver comigo mesmo_ gargalhou.
-Eu acho que você tem que ir..._ Joe avisou, um pouco triste por vê-la partir... novamente_ Foi bom te ver...de novo_ riu sem humor.
-Obrigada mais uma vez_ ela disse, logo após ele agradecer também_ Eu amei, do fundo do coração. São os melhores presentes que eu podia receber nesse fim de ano_afirmou sincera.
-Feliz Natal_ ele se aproximou, sorrindo_ Manda um abraço para todos lá_ deu de ombros.
-Tudo bem, pode deixar. Nos vemos... em breve?_ ela perguntou.
-Quem sabe_ deu de ombros.

Ambos se aproximaram, prontos para um carinhoso abraço. Joe pegou seu presente e deixou o dormitório dela, respirando fundo e fechando os olhos, tentando descobrir um jeito de mandar tudo aquilo embora. Estava se virando bem sem ela... ou pelo menos mascarava bem a necessidade.
Demi permaneceu sentada em sua cama, abraçando as pernas com o grande urso ao seu lado. Passou as mãos pelos braços, sentindo ainda o toque dele ali.

-Agora somos só eu e você_ sussurrou deitando a cabeça no bichinho, que agora seria seu companheiro.
___________________________________________________________________

"I feel a separation coming on
Cause I know you want to be moving on
I wish it would snow tonight
You'd pull me in and avoid a fight
Cause i feel
A separation coming on"

Algumas horas depois....
Los Angeles.
Sentada no chão no quarto, sozinha, Demi encarava suas mãos, pensando na vida. Havia chegado a algumas horas e faltava pouco tempo para a noite de Natal. Sentira falta de todos que estavam no andar de baixo de sua casa, inclusive seus amigos mais próximos, que resolveram fazer uma surpresa. Era uma pena não tê-lo ali também. Queria fingir, como ele, que tudo estava bem, porém com toda certeza Joe era melhor nisso. Aquela noite, no banheiro, foi a prova de como ela era fraca em relação aos seus sentimentos.
Deveria descer, se divertir, esquecer um pouco tudo aquilo, mas era meio impossível quando se tinha um imenso urso ao seu lado, lembrando-a a cada segundo de milhões de coisas, das quais ela queria poder reviver.

***
(flashback)
Los Angeles,
Noite de Natal, dois anos atrás.

-Tem certeza que seus pais não se importam se chegarmos mais tarde?_ ela perguntou, caminhando de mãos dadas junto a ele.
-Medo que o papai Noel venha te pegar?_ brincou, divertido.
-O papai Noel não pega ninguém, Joe. Só presentes_ deu de ombros.
-Você é um ótimo presente_ ele afirmou_ Eu adoraria ganhá-la_ sussurrou, fazendo-a rir.
-Só estou preocupada porque não quero perder a ceia, com todo mundo_ disse.
-Eu já avisei que chegaremos mais tarde, não se preocupe_ forçou um sorriso_ Agora que tal esquecer isso e apressar o passo? Está frio aqui_ apertou-a mais contra si, conforme abraçava a menina por trás.
-Está nevando, por isso está frio_ riu, sentindo aqueles braços ao seu redor.
-É aqui_ disse sorridente, parando em frente ao iluminado e enfeitado edifício.
-Um hotel?_ perguntou confusa_ Porque estamos aqui?
-Eles estão fazendo uma coisa legal nesse natal_ deu de ombros_ Reservei um quarto, queria passar uma parte dessa noite com você, só nós_ disse.
-Amei a ideia_ sorriu, feliz por ver tanta gente brincando com a neve, rindo e se divertindo naquela noite_ Também queria um tempo só para nós.
-Podemos nos divertir um pouco antes, que tal?_ sorriu travesso, formando uma bolinha com flocos de neve em suas mãos, pronto para tacar nela.
-Guerra de neve? Adoro_ ela fez o mesmo, bombardeando-o.

"Just prove that there is nothing left to try
Cause the true,
I'd rather we just both deny
You kiss me with those open eyes
It says so much
It's no surprise to you
But I've got something left inside"

________________________________________________
-Você é a pessoa mais linda que eu já vi, como isso é possível?_ acariciou o cabelo dela, sorrindo.
-Meu namorado é um mentiroso, legal_ riu, segurando a mão dele.
O fogo da lareira mantinha o casal aquecido e o tapete macio no chão, bem próximo do fogo, tornava tudo mais agradável.
-Eu te amo, muito, ouviu?_ ele beijou a bochecha dela, sussurrando em seu ouvido.
-Não, não ouvi_U.u brincou.
-Quer que eu grite?_ sugeriu_ Precisa mesmo disso?_ riram.
-Não precisa, eu também te amo_ sorriu, deitando a cabeça em seu peito_ Essa noite está se tornando a cada segundo mais perfeita_ sussurrou.
-Ainda temos tempo_ ele sorriu carinhoso, debruçando-se até ficar perto o suficiente dela para sentir sua respiração_ Que tal aproveitar a companhia um do outro, enquanto tempos privacidade?
-Estou a sua disposição_ ela brincou, provocando-o ao morder seu lábio inferior.

Joe beijou todo o corpo da menina carinhosamente, subindo de suas mãos até seu ombro. Como a menina já estava aquecida com o fogo, havia tirado os agasalhos e preferiu ficar apenas com o vestido de alça vermelho, acompanhado pela meia preta e as botas.
Deslizou rapidamente sua mão pelas costas dela, trazendo-a mais para perto antes de segurar o zíper do vestido.

-Vou ter um pouco de trabalho para me livrar disso tudo_ ele brincou, mordiscando a orelha dela.
-Desde quando um obstáculo te para?_ ouviu a gargalhada do menino enquanto sussurrava_ Achei que gostasse de desafios_ sorriu.
-Sabe, eu me enganei com você_ deu de ombros_ Quase virei seu inimigo no começo, achei que havia me antecipado ao dizer você era do tipo "inocente", mas no final eu descobri que por trás dessa pose de durona e "sabe tudo", você é a pessoa  mais sensível que eu conheço.
-Você provavelmente é o único que conhece esse meu "lado"_ riu sem humor_ Não sou safada como chegou a pensar, mas gosto de ser assim com você. É mais divertido_ ambos riram antes de outro caloroso beijo.
-Eu gosto muito desse seu lado_ sorriu_Mas também gosto de como ainda fica vermelhinha algumas vezes_ acariciou a bochecha dela.
-Já está falando demais, Jonas_ provocou_ Não temos a vida toda, uma ceia de natal nos espera.
-Eu passaria cada momento da minha vida com você_ beijou seu pescoço, puxando o zíper para baixo com delicadeza.

Joe inclinou-se mais um pouco, até que ficasse sentado de frente para ela, com as pernas ao redor das dela. Puxou-a pela nuca, fazendo as mãos da menina ficarem  apoiadas no peito dele e seus rostos mais próximos. Demi deslizou seus dedos por dentro da camisa dele, sentindo sua pele em contato com a dela.
-Está calor aqui, não acha?_ brincou, sorrindo ao tirar a blusa do menino.
Logo após tirar o vestido vermelho, ele distribuiu beijos por todo o tronco dela, acariciando sua cintura.
Não tinham pressa alguma, por mais que precisassem chegar na casa dele antes da meia-noite. O que importava naquela noite definitivamente não era o que poderia acontecer naquele tapete e sim o amor que existia ali, a presença um do outro, sem se preocupar com o desejo que sentiam. Não era a hora.
Demi se livrou das botas e logo ajudou o menino com a longa meia calça. Joe agora a tinha em seus braços, apenas de lingerie, somente para ele.
Encarando-a, ele percebeu a respiração acelerada e como o peito dela subia e descia. Seus lábios estavam inchados por causa dos beijos e seus braços ao redor do pescoço dele. Ela parecia mais vulnerável do que nunca e ele se sentiu no dever de protegê-la naquela noite. Fazê-la se sentir amada.
Pressionando sua cintura com as mãos, ele apenas trazia seu corpo para mais perto do dela, beijando-a e acariciando-a.
Sussurrou algumas palavras em seu ouvido, fazendo-a sorrir intensamente. Logo a menina pode sentir os braços fortes ao seu redor e ao virar a cabeça por cima do ombro, seus olhos se fixaram nos dele. Ambos tinham olhares apaixonados e um brilho especial naquele momento. Sub a luz do fogo que os esquentava, eles sentiam um ao outro, sentiam algo que ia muito além da presença.
No silêncio daquela noite fria de dezembro, Joe e Demi ouviam seus corações batendo fortemente um pelo outro, suas peles juntas, os lábios unidos.
Ela estava sentada no colo dele enquanto o menino a abraçava por trás, beijando seu pescoço suavemente. Mais uma noite perfeita que ambos haviam passado naquele mês que trazia tantas lembranças. Uma noite onde o contato físico entre eles não era por pura necessidade ou desejo, e sim por amor.

"You said you wouldn't let them change your mind
Cause when we're together fire melts the ice
Our hearts are both on overdrive
Come with me, let's run tonight
Don't let these memories you left behind"

(fim do flashback)

Joe encarou o presente preso na parede de seu quarto, sorrindo com as lembranças daquele natal, daquela noite, daquele tempo onde nada os impediria de seguir em frente. Como tudo havia mudado tão rapidamente? Sem que nenhum dos dois percebesse?
Porque deixara que as brigas e motivos que ela arranjava atrapalhassem alguma coisa? Porque ele havia deixado isso rolar durante tanto tempo ao invés de perceber que ela escondia dele aquela decisão?

"Don't surrender
Please remember december
We were so in love back then
Now you're listening
To what they say
Don't go that way
Remember december
Please remember"

Fechou os olhos e respirou fundo, lembrando-se dela, de todos os outros momentos que haviam passado assim, apenas se apaixonando cada vez mais. Ajeitou a cabeça no travesseiro e encarou a janela, recordando-se de como a separação havia chegado assim, de uma hora para a outra. Como ele havia sido estúpido ao deixar que ela partisse! Não poderia culpá-la por um medo que sentira, nem por querer, mesmo que da forma errada, poupá-los de mais sofrimento.
Queria tê-la consigo novamente, passar mais aquele dia com ela. Pensou em como ela deveria estar se divertindo, como provavelmente tinha um sorriso no rosto ao festejar a data com todos que ela tanto amava.
Mal ele sabia que a menina permanecia no quarto, trancada sozinha, encarando o relógio, lembrando-se que nessa exata hora, meia-noite, naqueles anos que se passaram, ambos  estavam sentados em uma mesma mesa, com suas mãos entrelaçadas, ouvindo histórias engraçadas junto à família.
Ela encarou o urso e forçou um pequeno sorriso, depois rindo ao lembrar de como fora complicado trazê-lo consigo. Mas se tinha uma coisa que havia prometido a si mesma, era que Joe permaneceria com ela, sempre. Não importava quantas fossem as dificuldades ou obstáculos. Afinal, ele gostava de desafios, certo?

"I remember us together
With a promise of forever
We can do this
Fight the pressure
Please remember december"

Continua...
Oi! Gostaram: Awn fiquei tão feliz porque vocês gostaram dessa mini-fic *-* Bom, comentem muito, tá? Vocês me pediram para postar as duas ( stay strong e all about december) então estão tendo um trabalho em dobro comentando... como só falta mais 1 parte, vou continuar postando a 'stay strong' quando acabar essa, tá?! :) COMENTEM!! 

Amo vocês,
Mil beijocas,
Bruna <3

25 de dez de 2012

Respostas aos comentários

Merry Christmas
Mini-Fic_ Part 1
Prólogo (mini-fic)
Mini-Fic
Chapter 24

Beijinhos!! *-*

Chapter 25


Stay Strong


                                                                    "you should've said no"




-Como isso é possível, Joe?_ Mikey questionou, surpreso_ Você não amava a Demi mais do que tudo?
-Sim, eu amo_ garantiu_ Não tenho dúvidas sobre isso_ bufou.
-E qual é o problema?_ se jogou na cama de Joe, brincando com uma bola de basquete.
-Tenho dúvidas sobre o tipo de amor que eu sinto por ela_ confessou.
-Ta brincando comigo, né?
-Queria estar_ murmurou_ Não sei o que fazer. Eu cometi um erro enorme ao aceitar namorar com ela, devia ter pensado melhor.
-Você teve medo de magoá-la ou de mudar a amizade_ o amigo deu de ombros_ Desculpa, mas tanto você quanto ela sabiam que era um risco.
-Eu sei disso, mas eu me precipitei. Eu não sabia como lidar com o que a Demi tinha me dito... De uma hora para a outra aquela menina que sempre foi minha melhor amiga, que ouvia os meus podres estava ali, me beijando na frente da escola, dizendo que estava apaixonada por mim.
-Sabe o que aconteceu?_ sentou-se para encarar Joe, que estava de pé andando de um lado para o outro_ Você ficou sem escolha alguma.
-E acabei fazendo o que a minha cabeça mandou. 
-Nem vem, o coração também ajudou!
-É claro, eu amo aquela menina. O coração só se confundiu também_ deu de ombros_ E como é que eu vou explicar isso à ela? Depois de tudo que a gente passou?
-Torça para a Demi não achar que você usou ela, porque aquela menina é gostosa pra caramba.
-Olha o respeito, que eu ainda to namorando com ela_ disse.
-Tenta... conversar com ela, da maneira mais calma que conseguir. A Demi não reage bem a coisas desse tipo...
-Mas que droga que eu fui fazer_ levou uma das mãos a cabeça_ Eu não suporto a ideia de magoá-la, isso acaba comigo.
-Quando começou isso, Joe? De achar que alguma coisa tinha mudado?_ perguntou_ Vocês dormiram juntos, ficavam se beijando e se agarrando por aí o tempo inteiro... 

Flashback

-Então, o que você queria me falar?
-Eu.... senti uma coisa um pouco estranha ontem a noite_ confessou_ Só queria que você soubesse. E... talvez tivesse sentido o mesmo.
-O que foi?_ ele perguntou, acariciando o rosto dela.
-Antigamente eu sempre pensava em como era estranho tudo isso acontecer entre a gente_ disse_ Mas depois eu fui me acostumando com a nova... "situação"_ riu sem humor_ E estava tudo maravilhoso.
-Porque ontem mudou?
-Não... "mudou"_ fez careta_ É que voltou com toda força essa  coisa de "melhores amigos", sabe? Eu me senti... estranha por estar ali justo com o meu melhor amigo, mas ao mesmo tempo, você é a pessoa mais certa para tudo, entende?
-Você não é a única a pensar nisso_ admitiu_ Eu já me peguei pensando muitas vezes nisso, mas... eu ignorei porque... achava comum sentir isso já que a nossa amizade era de tanto tempo.
-Só te falei isso porque..._ respirou fundo_ Sentia que tinha que falar_ deu de ombros.

Fim Flashback

-Então quer dizer que a Demi deu motivos para você sentir que cometeu um erro?
-O que é estranho é que eu sei que ela me quer como namorado, mas volta e meia ela vinha com esses papos relacionados a "amizade". Eu não a culpo, ninguém disse que seria fácil.
-Pretende fazer o que?
-Não sei_ suspirou_ Eu só sei que não amo a Demi como namorada. Talvez isso nunca tenha acontecido. 

***
Joe tomou um banho depois que o amigo deixou sua casa, para tentar pensar melhor sobre o que havia feito e o que faria. Ouví-la dizer um "eu te amo" com outros olhos e se deixar levar por esse engano transformaram aquilo que eles viviam em uma mentira.
Ele a amava, sim, e muito, porém demorou a descobrir que não era da mesma forma que ela. Realmente era difícil entender o porquê, já que a menina era perfeita para ele e sua melhor amiga, uma pessoa que ele amava e sabia que amaria para sempre.

-Oi, meu amor_ disse ao se aproximar do sofá da sala de Demi, onde ela estava sentada. Beijou sua bochecha mas a menina logo se afastou.

"It's strange to think the songs we used to sing
The smiles, the flowers, everything: is gone
Yesterday I found out about you
Even now just looking at you: feels wrong
You say that you'd take it all back, given one chance
It was a moment of weakness and you said yes..."

-Não precisa mais fingir_ sussurrou, com a voz fraca. Ele conhecia bem essa voz.
-Fingir o que?_ perguntou confuso, encarando a menina parada bem na sua frente de cabeça baixa e abraçando a si mesma.
-Que me ama_ levantou seu olhar até encontrar com o dele. Teria que olha em seus olhos e ouvir a verdade.
-De onde tirou isso, Demi?_ questionou apreensivo.
-De uma conversa que eu ouvi agora pouco enquanto ia fazer uma surpresa para o meu namorado_ forçou um sorriso_ Ou ex_ deu de ombros.
-O que você ouviu?_ ele estava se sentindo a pior pessoa do mundo ao vê-la dizer essas palavras.
-Não foi muito_ deu de ombros_ Não ouvi sua conversa toda. Só  o "Eu só sei que não amo a Demi como namorada. Talvez isso nunca tenha acontecido."_ disse, lembrando-se daquelas palavras e automaticamente sentindo uma lágrima descer.
-Me desculpa_ ele pediu, chateado_ Não era a intenção fingir nada, Dems, e eu não estava fingindo_ garantiu_ Eu só confundi as coisas aqui dentro e me enganei.
-Porque me enganou?_ ela perguntou.

"And I should've been there, in the back of your mind
I shouldn't be asking myself why
You shouldn't be begging for forgiveness at my feet...
You should've said no, baby and you might still have me"

-Eu não te enganei_ sussurrou_ Quando você disse que era apaixonada por mim eu só consegui pensar em como ficaria a nossa amizade. Nunca quis estragar o que existia entre nós.
-Exatamente como eu pensei, como a Lucy me disse_ deu de ombros_ Eu sabia que você não me amava da mesma forma que eu fazia.
-O que a Lucy te disse não era verdade_ afirmou_Eu te amava sim, eu te amo_ se aproximou_ Mas não dessa forma. Eu sinto muito mesmo, do fundo do meu coração, ter que concordar com você. Eu não te amava da mesma forma que você_ confessou.
-Você me... usou?_ sussurrou, não querendo acreditar naquelas palavras.
-Nunca te usaria_ garantiu, certo daquilo.

"It was a moment of weakness and you said yes..."

-Então porque você dormiu comigo se não me amava?
-Eu achava que te amava! Entende uma coisa, nada do que eu passei com você foi falso. Nunca quis te magoar.
-Tarde demais_ sorriu, um sorriso triste_ Você deveria ter dito não quando eu me declarei pra você. Pouparia nós dois.

"You should've said no, you should've gone home
You should've thought twice before you let it all go"

-Mas eu não teria vivido nada que eu vivi com você nesses últimos meses. Foram os melhores dias da minha vida, Demi_ afirmou.
-Preferiu me enganar só para viver esses momentos comigo?_ perguntou magoada_ Só pra poder depois sair por aí e dizer que tirou a virgindade de uma menina?
-Não!_ ele negou rapidamente, incrédulo_ Eu não faria isso_ garantiu_ Não transei com você pra esfregar nada na cara de ninguém, foi porque eu queria.
-Você quer qualquer coisa que te oferecem e estão dispostos a dar_ deu de ombros, seca.
-Você quer brigar agora? Gritar comigo e partir para os insultos?_ questionou nervoso_ Que forma legal de resolver as coisas_ sorriu irônico.
-Não tem como resolver mais isso_ afirmou_ É melhor você ir.
-Tem como a gente conversar depois?_ perguntou, mantendo a calma.
-O que a gente tinha termina aqui_ sussurrou com uma dor no coração por dizer algo do tipo.
-O que a gente tinha ou o que a gente teve durante um tempo?
-O que a gente tinha_ respirou fundo, deixando outra lágrima cair.
-Ta vendo?_ sorriu cínico_ Eu sinceramente preferia ter mentido para você do que perder a nossa amizade_ deu as costas e saiu da casa dela, querendo socar algo o mais rápido possível, antes que socasse a si mesmo.
______________________________________________________________

-Demi, você já tentou imaginar a pressão que o Joe sentiu?_ Selena questionou_ Ele não queria te perder a acabou aceitando isso.
-Ele poderia ter me dito que não queria.
-Vamos combinar, nós todos sabemos que isso não daria certo_ disse_ Eu te conheço. Ele apenas tentou, para te deixar feliz e preservar isso que tinham. Ele deu uma chance ao que você sentia.
-E eu deveria estar feliz por isso?_ perguntou irônica.
-Sim_ afirmou_ Porque você teve os melhores momentos da sua vida ao lado de uma pessoa que ama. Não teria vivido tudo isso se ele não tivesse arriscado tudo.
-Eu me senti usada, Selena... foi como se o Joe que eu conhecesse antes tivesse desaparecido_ bufou.
-Isso já estava acontecendo. Você estava com medo de perder a amizade e ele também, durante o namoro então isso quase aconteceu muitas vezes.
-Não consigo olhar para ele, lembrar de tudo que ele me disse, tudo que aconteceu... eu me sinto ridícula_ sussurrou_ Por ter acreditado.
-O que ele te disse era verdade. O Joe te ama_ afirmou, forçando um sorriso_ Pode não ser dessa forma, mas... quem sabe ele ainda não encontrou um jeito de descobrir o que realmente sente.
-Nunca deveria ter dito aquilo à ele_ secou as lágrimas_ Era melhor que fôssemos apenas amigos. Agora... tudo se foi_ sussurrou, soluçando e deixando que as lágrimas caíssem.

***
Nenhum dos dois queria que isso acontecesse, e agora apenas sentiam mais medo do que qualquer outra coisa. Porque sabiam, acima de tudo, que retomar aquela amizade de antes seria uma completa batalha e eles deveriam lutar com o coração para ganhá-la.
Joe sentia-se destruído, acabado pela primeira vez em sua vida. O que ele mais temeu durante anos aconteceu, e veio logo depois dos melhores momentos de sua vida acontecerem. Mas ele não conseguia evitar o que sentia e por mais que fosse doloroso, Demi teria que encarar o fato de que nem sempre um namoro poderia dar certo.
Eles arriscaram demais, o suficiente para não terem mais um motivo para viver. Ambos tinham em seus olhos claras demonstrações de como tudo aquilo estava doendo, machucando e perfurando seus corações. Ele não se arrependia de absolutamente nada, apenas se castigava por não conseguir amá-la da mesma forma.
A menina estava certa de que não daria para voltar ao que era antes, e por enquanto ela estava melhor do que ele em relação a isso. Mas não demorou muito para que desse conta de que "seguir a vida" estava fora de cogitação, porque nunca, nunca mesmo, encontraria alguém que a amasse como ele, mesmo que fosse de um jeito diferente. Era impossível viver com outra pessoa o que havia vivido com Joe, o que haviam compartilhado,  todas as lágrimas e sorrisos, todos os momentos.
Não existia ela sem ele e quando Demi se deu conta do que estava acontecendo, o desespero a invadiu. Não era possível viver sem ele.

Continua...
Hey! Vamos lá! Primeiro, vocês não comentaram no último capítulo que eu postei de 'stay strong' :( Fiquei chateada, por mais que alguns amores tenham comentado, por isso eu postei! ;) E outra, comentem na mini-fic, tá? Eu sei que é Natal e tals e sei que eu sou a única que fica o dia todo no computador em pleno Natal, por isso eu entendo vocês e pretendo postar mais uma parte hoje :)
Gostaram? Bem, o que vai acontecer vocês terão que descobrir! :/ Amo vocês!!
P.S.: Depois eu respondo aos comentários! \O

Mil beijocas,
Bruna <3

24 de dez de 2012

Merry Christmas!!

Heeeey meus amores!!! *-*
Eu sei que disse que voltaria para postar o capítulo e não postei, mas enfim.... não vim aqui para isso! lol
Queria desejar um feliz natal para todos vocês, para suas famílias...! Com muita felicidade, amor, paz, presentes... hehehe ;D Enfim, muito amor, mesmo! Desejo TUDO de bom, TUDO! <3

Amo muito vocês e espero que passem muitos outros natais aqui comigo!!! <3 Obrigada por tudo e um FELIZ NATAL!!! \O


All About December- Part 1 (mini-fic)


P.s.: Nem sempre a letra das músicas estará na ordem correta. 


Permanent December



(três semanas antes da viagem)
-Tudo bem, eu também não preciso mais de você_ ela gritou, mantendo a postura séria quando por dentro quase desabava.
-Não foi isso o que eu disse!_ retrucou_ Demi, a única coisa que eu falei foi...
-Que eu poderia ir embora, que a porta estava aberta_ interrompeu-o_ Isso significa que não precisa mais de mim.
-Você começou com a palhaçada! De uma hora para a outra você inventou um jeito de brigar e discutir comigo todo dia_ afirmou.
-Eu já disse o que queria, acho que posso ir embora agora_ sorriu cínica, se dirigindo a porta.
-Ta vendo? Você foge do assunto quando eu digo que está estranha comigo. Sinceramente? Eu acho que você quer mesmo ir. Você já deixou claro que não precisa de mim, então quem sou eu para dizer o contrário_ deu de ombros.
-Você não liga, não é mesmo? Se eu sumir e nunca mais nos encontrarmos? Você iria continuar com essa ideia de que eu "posso ir"?_ perguntou, engolindo o choro pela décima vez naquela noite fria.
-Porque continua insistindo nesse assunto? É claro que eu sentiria sua falta, você não é minha namorada só porque eu quero dizer que tenho uma_ afirmou.
-Sentiria minha falta, mas não me impediria_ concluiu.
-Se você fizesse isso, não iria querer que eu te impedisse. Porque seria maluquice sua!  Se bem que eu não duvido mais de nada.
-Tudo bem então. E que tal não sermos mais namorados? Tudo bem assim, pra você? Fica tudo mais fácil, não terá a obrigação de sentir minha falta mais.
-Essas brigas todas para terminar comigo?_ perguntou irônico_ Porque simplesmente não economizou seu tempo e me disse isso antes? Já que era o que queria a muito tempo.
-Eu nunca quis terminar com você, Joe!_ gritou, deixando que as primeiras lágrimas escapassem.
-Tá_ riu_ Então porque terminou? Ou não vai me explicar também?
-Porque era necessário_ sussurrou e deixou a casa, já aos prantos.

***
3 meses depois...
-Era esse o motivo de tanta bobagem?_ ela chorava enquanto ouvia atentamente ao que ele tinha a lhe dizer;
-Eu não podia te contar.
-Ah, porque eu ia tentar te impedir? Demi, você transformou o nosso namoro em um caos só porque não teve a coragem de me contar sobre o convite do programa estrangeiro da faculdade?
-Eu não tive mesmo coragem. Não consegui olhar para você e pensar em um jeito de colocar para fora que eu iria ficar 2 anos viajando pelo mundo, sem ter nem um destino certo.
-O que você achou? Que eu terminaria o nosso namoro, como você fez?_ perguntou_ Demi, era o seu sonho e eu nunca te influenciaria ao contrário_ afirmou.
-E eu sabia disso_ ela assentiu_ Mas na minha cabeça seria menos doloroso se eu não tivesse que contar, que ver a sua reação ao contar os dias para a minha partida. Se nós terminássemos eu achei que não teria o peso no meu coração.
-Não era justo que pelo menos me telefonasse, já que não quis me contar pessoalmente? Você me mandou uma carta depois de sumir durante 3 meses! 
-Você descobriu assim que eu parti_ ela sussurrou. Lembrava-se de uma conversa com Caitlin, onde ela havia dito que ele sabia_Porque não me ligou antes?
-Descobri porque você contou aos seus amigos, mas ignorou o fato de ter um melhor amigo. Ou você tinha, na verdade. Eu queria esperar que você me mandasse um sinal. Queria ver se ia me contar, mesmo depois de tanto tempo.
-Eu queria que você soubesse depois...
-Depois do que? Depois que você estivesse de volta?
-Depois que eu não tivesse a escolha de abandonar tudo e voltar.
-Eu fiquei preocupado com você. Você simplesmente... ficou sem falar comigo depois do  fim do namoro e eu mal te via. Quando você ficou fora durante muito tempo eu fiquei sabendo o que a escola toda mais a população da China já sabiam!
-Não era a minha intenção que fosse o último a saber.
-Também não era a minha intenção te perder.  
***

Com os olhos marejados e coberta de casacos, Demi deixou o campus da Universidade temporária em Nova York e pegou um táxi, descendo no ponto mais próximo de uma cafeteria. Após dois meses, ela havia conseguido dormir apenas umas quatro noites completas_ se isso não era muito_ desde que conversara com Joe. 5 meses já haviam ido, e ela mal podia esperar para voltar no natal para casa, pena que ainda tinha 2 meses de mágoas pela frente.

"I been to New York
And to L.A
And to Baton Rouge
I met a boy in every city
No one kept me amused
But don't call me a Lolita
Cos I don't let 'em through
Cos I'm saving all my lovin'
For someone and it's you"

Suas noites eram repletas de pesadelos, sonhos mal acabados e com finais nunca felizes, mas antes de se levantar para jogar uma água no rosto, como fazia praticamente toda noite, ela se lembrava que a culpa era total e unicamente dela.
Andando por uma das ruas mais movimentadas, ela prendeu seus olhos em uma das vitrines luxuosas. Precisava realmente de algo novo para passar as festas de fim de ano, mas definitivamente sua cabeça não concordava com a ideia. Não era a primeira vez que tentava se distrair e no fim era arrastada pelas lágrimas. Mentiria se dissesse que não tentou outros relacionamentos, mas antes de arriscar, ela já sabia que não valeria a pena. A quem ela queria enganar?
Pensando novamente sobre o passado, ela percebia o quão tola havia sido. Sua viagem estava marcada para Janeiro, então porque ela havia criado tantas brigas e discussões em pleno Dezembro? Por que não aproveitar mais ao invés de terminar o namoro uma semana após receber a carta e duas semanas antes do natal e do aniversário deles? Pura tolice desperdiçar aquele tempo, onde poderia ter ficado com ele, mesmo que contando os dias.
Comprou um café, como de costume, para que conseguisse ficar acordada até embarcar. Estava na hora de passar aquele último mês  em Londres, antes de retornar para a casa. O avião partiria em algumas horas e nesse momento ela agradecia mentalmente por Miley arrumar suas malas e encontrar com ela já no aeroporto.
Miley era sua colega de quarto, mas acima de tudo, uma amiga bem antiga já. Haviam crescido juntas, e mesmo que tivessem perdido o contato quando mais velhas, o destino as colocou no mesmo lugar novamente.

"I been to London,
Been to Paris,
Australia and Rome
There's sexy boys in every city
But they're not what I want
Some got money
Some got fame
Some got cars
And clothes
But if it just aint you
Then I don't wanna know"

_____________________________________________________________________
Joe acordou com a luz irritante da janela do quarto, ofuscando sua vista. Era um dia frio, porém o sol não dava uma trégua. De acordo com suas contas, ela deveria estar em Londres a quase três semanas. Mas não, não era sua intenção vê-la. A fila andava e, assim como ele, Demi já deveria ter encontrado uma forma de esquecer. Encontrá-la novamente depois de quase um ano não seria o melhor agora. Deixaria para revê-la no natal.
Vestiu um casaco, uma touca e deixou o campus, sem se preocupar em avisar para onde estava indo. Tinha vontade de passar todo o dia fora e se nada o impedisse, a noite também.
Durante os últimos 7 meses ele havia tomado a difícil decisão de esquecê-la. A menina decidiu seguir sua vida e ele apenas fez o mesmo. Poderiam sim ter tentado um namoro a distância, mas hoje ele via que só iriam adiar ainda mais as coisas. Fingir que não precisavam se preocupar havia sido um grande erro no passado. E agora ambos deveriam mascarar esse erro.
Ao saber da carta, Joe ficou tão decepcionado que apenas adiantou sua viagem, evitando a oportunidade de tê-la novamente, caso Demi desistisse. Mas era claro que isso não aconteceria. Passou o natal na casa de um amigo fora do país e retornou a faculdade para o início das aulas. Ouvir falar de Demi era o que menos queria agora, foi o que ele evitou durante tanto tempo.
***

-Interessante esse lugar_ a moça bonita comentou_ Posso me sentar com você?
-Claro_ ele concordou, forçando um sorriso.
-Você... costuma vir aqui?_olhou ao redor_ Cheguei hoje e queria saber se tinha feito uma boa escolha_ deu de ombros.
-Porque decidiu vir aqui?
-É divertido. Gosto desse tipo de lugar.
-Não parece a sua cara_ comentou, rindo sem humor_ Achei que não fizesse o seu tipo.
-É... nem eu_ riu_ Na verdade eu... Não tinha muito o que fazer e minha amiga me indicou esse lugar_ explicou_ Disse que eu deveria conhecer pessoas novas.
-Pois você não está seguindo muito bem as ordens dela_ sussurrou, antes de voltar seus olhos para a bebida em suas mãos.
-É bom isso?_ ela perguntou, ignorando seu comentário_ Parece forte.
-Serve para ajudar a esquecer algumas coisas_ riu sem humor.
-Que tipo de coisas?_ questionou, curiosa.
-Chega de fingir que não nos conhecemos, Demi_ ele virou o rosto para encará-la_ Isso é ridículo_ revirou os olhos.
-Estava tentando não estragar nem a minha noite nem a sua_ disse, frustrada.
-Já estragou a muito tempo_ deu de ombros_ O que você achou? Que nós nos encontraríamos e fim, tudo resolvido?
-Isso está longe de "resolvido"_ disse_ Eu não queria voltar para o passado, até porque não tem muito o que falar.
-Eu prefiro que não fale mesmo, sobre nada que aconteceu_ respondeu, seco.
-Pode pelo menos me tratar bem?_ pediu, sentindo-se a pior pessoa do mundo pelo rumo daquela conversa.
-Você me tratou bem? Foi honesta comigo quando foi aceita nessa faculdade?
-Não, e eu sei que ainda não te disse isso, mas me desculpa_ pediu, sincera_ Eu estava com medo e acabei fazendo tudo errado, quando eu disse que não precisava de você...
-Não importa mais_ deu de ombros_ Qual o seu próximo destino?_ quis saber.
-Lar doce lar_ sorriu_ Imagino que o seu seja o mesmo.
-Sinceramente eu não acho que vou voltar para casa nesse ano. Ficar aqui, principalmente nesse mês, me poupa de muita coisa.
Pouparia o menino de pensar em todos os Natais juntos, pensar no aniversário deles, que por sinal seria em alguns poucos dias, ambos estavam cientes.
-Acredite, eu não queria que fosse assim_ bufou_ Da pra esquecer isso durante uma única noite?

"Cause baby now I realize that I was wrong
When I said I didn't need you, so
Miss you bad so now I'm comin' home
So you better leave a light on
Wait for me and just leave the light on"

Ele a encarou de lado, respirando fundo antes de forçar um sorriso ao ver como ela não havia mudado em nada. Seu cabelo estava um pouco maior, porém da mesma cor, preto. Seu rosto claro e perfeito, seus lábios grandes e vermelhos, com aquele batom que a deixava ainda mais sensual. As roupas pretas de frio, a bota que ela tanto amava, o sutiã de renda, também preto, que podia ser visto devido a leve transparência da blusa. A mesma menina excêntrica e misteriosa de antes, aquela que ele desejava.
***

-Eu senti a sua falta_ ela sussurrou, sentindo os beijos dele em seu pescoço e suas mãos apertando sua coxa.
-Não minta só porque está gostando do momento_ brincou, rindo sem humor, voltando seus lábios para o beijo selvagem.
-E quem disse que é mentira?_ ela sussurrou.
-Me pediu que esquecesse por uma noite_ ele lembrou_ É o que estou fazendo.

Joe deslizou suas mãos rapidamente por todo o corpo da menina, trazendo-a mais para perto ao segurar suas pernas. Era realmente bom que estivesse quente ali, porque ela morreria de frio somente com aquela lingerie preta e provocante. Ele encarou o corpo da menina, sentada sobre a bancada do banheiro, pensando em como conhecia cada centímetro dali.
Era só uma noite, apenas um deslize e ele não quis pensar sobre o que acontecia ou sobre as consequências. Isso era assunto para depois, ou para nunca mais.
Demi puxou o cabelo do menino, sentindo os chupões no pescoço. Sabiam que não tinham muito tempo para aquela diversão, e sim, tinham pressa. Não que gostassem disso, mas era apenas uma necessidade, não tinham outro jeito, deveriam aproveitar da forma que conseguissem, e conseguiram assim.
Ouviu-a gemer seu nome, pedindo por mais. E assim ele o fez. Tirou seu sutiã, acariciando os seios descobertos dela conforme beijava-os carinhosamente. Tudo entre ambos era bem intenso, como sempre fora. Eles tinham seus momentos calmos, apaixonados, suaves... mas às vezes tudo ao redor do casal pegava fogo, literalmente. E nenhum dos dois gostava de resistir àquilo.
Mas já que agora nada mais era como antes, não se passava de uma noite mesmo, apenas. Sabiam que traria de volta todos os sentimentos escondidos, mas isso eles apenas guardariam novamente. O que existia ali era desejo, já que ambos tinham vontades que iam além de "amor". E era desse desejo que desfrutariam essa noite.
-Eu gosto... intenso_ ela disse, sorrindo maliciosa.
Sentia os beijos desesperados em seu pescoço e arranhava as costas de Joe ao sentir suas mãos tocando todos os lugares que ele desejava.

"It feels like a permanent December
So much colder than I can remember
When I get you back
This time I swear that I won't
Won't let you go, no"


Demi já havia arrancado a camisa dele, na verdade, enquanto caminhavam para aquele lugar, procurando privacidade, Joe já havia se livrado de muitas das roupas dela e o mesmo a menina havia feito, conforme se beijavam.
O pedido dela foi devidamente atendido. Ele aceitava esquecer, por um momento, por uma noite, e deixar que aquilo voltasse à tona. Era com certeza mais difícil conversar sobre qualquer coisa do que se trancar em um banheiro e fazer o que quisessem. Ambos optaram pelo mais fácil, porém nenhum dos dois se atrevia a se quer pensar em como ficaria tudo depois. Lágrimas, eles sabiam, mas se limitavam a deixar que isso os impedisse.

-Vou te mostrar o que é intenso_ ele sussurrou sensual em seu ouvido, brincando com a calcinha dela_ Me mostra também_ pediu.
Demi deslizou seus dedos pelo peito nu dele e desceu, até a box preta, fazendo também um "carinho" ousado. Ambos sorriam entre os beijos, sorrisos e gestos maliciosos, mas reconfortantes.
Quando estava prestes a tirar a calcinha dela, Joe sentiu a menina segurar sua mão com força e trazê-la para seu rosto. Ele voltou a beijá-la, porque entendia o que ela queria. Na verdade, o que ela não queria. Não queria que aquilo acabasse assim tão rapidamente, e nem ele queria, mas era preciso, antes que se desse conta do erro que cometia.

-Não temos a vida toda, Demi_ ele disse, o mais suavemente que conseguiu. Logo aquilo se transformaria em algo que ele definitivamente não queria presenciar. Não conseguiria recusar algum pedido dela, não nesse momento e tinha medo disso.
-Mas eu quero que dure a vida toda_ começou com o que ele queria evitar.
-Não é isso que vai acontecer. Uma noite, esqueceu?_ voltou a beijá-la ferozmente, colando seus corpos.
-E não é isso que eu quero_ ela disse, controlando a voz fraca.
-Você não quer?_ perguntou, confuso, encarando-a profundamente, enquanto ela colocava o sutiã de volta.
-O que eu não quero é olhar para você e me lembrar dessa noite.
-Não vai ter que se preocupar em ver a minha cara tão cedo_ afirmou.
-Lembrar que eu transei com você porque sentia a sua falta e queria você de volta, porque estava enganada quando terminei nosso namoro e disse que não precisava de você. Pra que essa noite se isso só vai me trazer lágrimas e culpa?_ questionou com dificuldade para respirar, já que falara muito rapidamente, com os olhos marejados.
-Foi você quem me fez o pedido_ disse_ Pedido que eu deveria ter recusado desde o início_ ele abotoou a calça.
-Eu pensei que conseguiria lidar com isso depois.
-Pensou errado, novamente. Você não costuma acertar nas suas escolhas, não é, Demi?_ perguntou frio. Odiava ser assim com ela, mas queria acabar logo com aquilo.
-Desculpa se eu fiz com que perdesse o seu tempo_ bufou_ Desculpa se eu não quero fazer isso porque sei que vou me arrepender.
-Eu sabia que você não ia manter a pose de "durona" por muito tempo_ respirou fundo, mantendo a calma.
-Joe, isso não faz o menor sentindo_ afirmou_ Vou esquecer dos meus problemas durante uma noite com você, na verdade, não é nem uma noite toda. Depois tudo volta ao normal e nós nos separamos novamente.
-Porque você está tentando me... "explicar" uma coisa que na verdade você causou? Está falando como se me devesse uma explicação. Não estou te obrigando a nada_ disse_ O que quer comigo, Demi?
-Eu só não aguento mais esse peso no meu coração_ sussurrou_ Eu fiz tanta coisa errada... nunca deveria ter me inscrito nesse programa da faculdade, nem deveria ter escondido isso de você. Dizer que eu não precisava de você... você é a única coisa da qual eu preciso_ confessou.
-Você acabou de perder a única chance de me ter completamente_ lembrou irônico.
-Única?_ questionou confusa. Ele assentiu e secou algumas lágrimas que caíam do rosto dela_ Porque aceitou? Porque ia transar comigo se não significaria nada?
-Porque eu desejava ter você de novo_ admitiu_ Mas eu nunca faria isso se você não tivesse oferecido_ afirmou_Por mais que não quisesse, eu sabia das consequências. Mas iria arriscar. Por uma noite_ disse.
-Tudo bem, você não precisa arriscar mais nada_ disse calma, secando as lágrimas_ Foi muito bom poder te encontrar de novo, e eu espero que nos vejamos em breve_ sorriu sincera_ Eu vou embora, porque nunca deveria ter vindo aqui.
-É o seu plano brilhante? Ir embora de novo?_ ele perguntou. Mas não soava grosso ou seco, apenas... magoado e decepcionado por o que ele imaginava estar acontecendo. No fundo, ele sabia que ela iria novamente e que deveria presenciar isso.
-Eu nunca fui de pensar muito bem antes de fazer_ deu de ombros_ Deixo para me arrepender depois. Eu não tenho outra escolha, você sabia o que ia acontecer_ garantiu_ Até um dia desses_ sorriu, deixando o banheiro rapidamente, com aquelas lágrimas nos olhos, borrando sua maquiagem e o casaco na mão.

Deixando para trás, mais uma vez, aquilo que mais precisava.
Demi havia jurado para si mesma que não o deixaria novamente, se tivesse a chance de tê-lo. Mas como havia desperdiçado essa chance, era impossível querê-lo. Estivera errada durante muito tempo, e permanecia cometendo os mesmos erros, porém não era o momento ainda. Não poderia tê-lo.

"Won't let you go 
Won't let you go, no"

Continua...
Gostando? Bom gente... eu resolvi postar, mesmo com apenas três comentários no prólogo, porque foi pequeno e tals, mas essa parte é bem grandinha, e comentem bastante, tá? Por favor! :)
Hoje a noite vai ser um pouco difícil de postar, então eu vou tentar vir aqui mais tarde para postar o capítulo de "stay strong", okay? <3 Amo vocês! 

Mil beijos,
Bruna! *-*