Visualizações

11 de set de 2012

Epílogo



 Be Yourself

-Joe, você é o próximo- a professora disse, fazendo um gesto com as mãos para que ele fosse à frente da turma, falar sobre a pessoa que havia tirado.

Era o dia do tal trabalho da escola_aquele que ambos haviam começado a fazer a muito tempo_ e Joe seria o próximo a ir lá na frente e falar sobre sua "parceira". O objetivo do trabalho era fazer com que eles se aproximassem, se conhecessem melhor, porém ao longo do tempo os dois simplesmente se esqueceram daquilo tudo e mantiveram suas atenções em outras coisas. 

O que eu quero dizer é que toda a turma tinha um papel na mão, onde estavam escritas algumas curiosidades, qualidades e defeitos, características, enfim, coisas que levassem ao descobrimento por parte da turma. Mas não Joe e Demi. Os dois não haviam se preocupado com isso e além disso, haviam também esquecido, porém isso não os preocupava, eles pareciam saber exatamente o que falar, mesmo sem terem planejado nada.

Joe se levantou com um meio sorriso e entregou o papel com o nome de Demi. Todos na escola sabiam que os dois namoravam, inclusive os professores, e todos presenciavam os momentos felizes e o amor que eles deixavam transparecer. Sabiam, também, que hoje era o aniversário de um mês de namoro oficial do casal mais querido da escola.
Ela sorriu ao receber o papel e lançou um olhar discreto para ele, que apenas riu. Sem precisar pensar muito, ele começou seu discurso.

-Bom, minha parceira- fez uma careta por achar esse nome estranho, e todos riram- É uma pessoa um pouco diferente. Eu acho que nenhum de vocês imagina quem seja, mas assim que eu começar a falar todos vão perceber de cara- deu de ombros- Ela é diferente porque mudou a minha vida. Eu já a conhecia antes desse trabalho, ou pelo menos achava que conhecia bem. A verdade é que nós ficamo mais próximos, mais do que já éramos, porém era como se eu estivesse conhecendo outra pessoa. Eu descobri realmente quem ela era. Bom, eu gostei disso- afirmou e todos riram, ele tinha um jeito engraçado- Não acho que esse trabalho tenha ajudado em nada, pelo contrário, nós esquecemos dele. Mas nos conhecemos sim, o suficiente para que ela se tornasse minha melhor amiga. Eu já conheci muita gente nessa vida- riu- mas dessa vez foi diferente. Eu me apaixonei por uma pessoa, achando que era outra- fez uma careta confusa- Eu sei que parece estranho, mas eu me apaixonei por quem eu achava que ela era e por quem ela era também.
-É a Demi!- alguém gritou no meio da sala e todos olharam para Demi. A professora sorriu docemente e Joe confirmou com a cabeça. A menina tinha um sorriso tímido e estava um pouco envergonhada por causa dos olhares sobre ela.
-Sim, é a Demi- afirmou- Mas espera, eu ainda não acabei- disse, e toda a atenção se voltou para ele- A Demi entrou na minha vida quando eu não pensava em nada, não queria nada da vida. Pelo menos eu achava que não. Ela despertou em mim um lado que eu mesmo não conhecia, e me mostrou quem eu realmente era. Quando eu descobri que seria com ela que eu passaria um tempo maior por causa desse trabalho, eu meio que me aproveitei disso. Mas depois... isso não influenciou em nada. Nós nos aproximamos por outro motivo e tudo entre nós deu uma volta gigantesca. Eu descobri que podia sim me apaixonar por uma pessoa, de verdade, e descobri que já era apaixonado por ela a muito tempo. Eu acho que todo mundo aqui me conhece e sabe da fama que eu tinha, mas também percebe como eu mudei. A minha vida mudou e eu devo tudo isso a ela. Eu achei uma garota incrível que toda a escola desejaria ter. Uma pessoa que me conhece e que eu amo. 
-Continue, Joe- a professora disse, passando os dedos por baixo dos olhos- Eu sei que tem mais a falar e isso está me emocionando.
Depois de uma breve risada de todos da turma, ele respirou fundo e continuou, prendendo seu olhar em Demi, que também tinha os olhos marejados, assim como Dona Pâmela.
-Tudo bem- o menino riu- Eu acho que... além de um "obrigado", e te devo desculpas. Eu já disse isso várias vezes mas não dá para esquecer do que aconteceu entre nós no começo. Eu te usei de uma forma nada legal, e mesmo achando que você não ligava para isso, eu te magoei. Brinquei com os seus sentimentos e também caí nas mentiras- a menina riu- Mas o que me surpreendeu foi como você fez tanta coisa por causa de mim. Você estragou e desperdiçou boa parte da sua vida, fez coisas erradas e mesmo sabendo das consequências você continuou. Tudo por mim. E eu ainda acho que não te mereço. Depois você tomou coragem para assumir os seus erros e eu achei isso a maior prova de que você tinha caráter. Você não se apaixonou por mim porque eu era o mais popular, ou, sei lá...
-O mais bonito, sedutor e pegador da escola- a professora complementou. Todos gargalharam.
-Também- ele piscou para ela- Você realmente me amava e e me fez descobrir o meu amor por você. Eu admiro a sua coragem por isso e muito mais. Então... só posso dizer que te amo mais do que tudo, Demi, e que você sabe que eu nunca te deixarei. Você é a minha princesa, só minha e será para sempre. Minha melhor amiga e a única pessoa com quem eu posso ter certeza que serei feliz. Eu acho que... o que eu sinto por você é algo muito maior do que um simples "amor de colegial" e eu vou ser zoado pelo resto da vida por isso- fez careta, arrancando novamente risos- Mas eu não me importo, porque eu vou rir junto, me lembrando de como o meu amor por você só aumentou. Eu nunca falaria nada parecido com isso na frente de tanta gente, mas você merece. Eu não preciso provar para ninguém o quão grande é o meu amor por você, acho que já basta você saber. Então não se esqueça, eu te amo- sorriu e recebeu palmas de todos, palmas que duraram minutos. Ele se voltou ao seu lugar, passando por Demi e lhe dando um beijo na testa.

Ela sorriu em meio as lágrimas e passou os dedos freneticamente nos olhos, tentando conter as lágrimas de felicidade que caíam de seus olhos quando a professora mandou que ela fosse em seguida. Seu coração palpitava forte dentro do peito, ainda sob influencia daquelas palavras que ouvira ainda pouco. Era demais para ela.

-Bem- ela começou, ainda sem conseguir conter o sorriso e o choro- Eu preciso me recompor- todos riram.
-Minha querida, depois dessa, até eu tenho que me recompor- a professora disse, enxugando as lágrimas.
-Meu parceiro- começou, contendo as emoções- É incrivelmente surpreendente. Eu acho que... nunca, na verdade tenho certeza, nunca encontrei ninguém como ele. Sabe... uma pessoa que entra na sua vida, te faz sofrer, mesmo sem querer, mas que te muda completamente?  Sim, é o Joe- sorriu- E a nossa história é sim meio confusa. Eu fingi uma pessoa que não era por ele, mas descobri quem eu era por causa dele também. Assim como ele disse, eu me apaixonei por um Joe que eu achava que conhecia e depois por quem ele era mesmo. Eu acho que... o Joe era bem conhecido por todos e aqueles que viviam ao redor dele sabiam que o único "defeito", que na verdade nem um defeito era, era ser "galinha"- riram todos- mas eu não achava isso. Eu me apaixonei mesmo achando que ele era insensível, arrogante e depois descobri que nunca encontrei alguém tão compreensível. Ele... me ajudou em tudo que eu tive que passar e nunca acreditei mesmo que ele ligaria para mim. Eu cometi muitos erros, mas por ele, eu faria tudo de novo. Porque por mais que eu tenha sofrido, não saberia como viver sem o Joe.  Eu descobri que... ele era o que eu precisava para me encontrar, encontrar quem eu era e o que eu queria. A sensação de acordar, ter um dia ruim, mas saber que eu teria alguém ao meu lado, tornando-o melhor era impagável. Ele conseguiu despertar em mim coisas que eu nem sabiam que existiam...
-Awn, o primeiro amor- Dona Pâmela tinha os olhos brilhantes, interrompendo a menina, pensativa.
-Sim, o primeiro e único- garantiu, voltando seu olhar para Joe- O que eu queria dizer é que eu nunca pensei que conseguiria chegar aqui hoje, sabendo o que eu quero e quem eu sou se não fosse ele. Eu nunca senti isso por ninguém e a minha paixão pelo Joe é uma coisa de muito tempo. Eu mudei por ele e ele mudou por mim. Parece injusto porque... ele diz não me merecer mas quem aguenta tudo, minhas besteiras, meus momentos ruins e idiotices, inseguranças e medos é ele. A única coisa que eu quero é poder fazer, um dia, tudo que você fez por mim. Porque todas as palavras, tudo mesmo, nunca serão recompensadas por mim, você sempre se supera- soltou uma risada- Não me deve desculpas nem agradecimentos, só basta dizer "eu te amo". Já é suficiente para mim. Porque enquanto eu tiver você ao meu lado, eu não vou precisar mais de nada. Enquanto eu puder TE dizer "eu te amo", você será meu e existirá nós. Isso significa para sempre, porque eu SEMPRE irei dizer "eu te amo". E eu concordo, esse papo de "namoros do colegial nunca vão para frente" não é verdade. E sim uma desculpa para aqueles que não amavam de verdade. Você já me provou de todas as formas que pode e que não pode também que me amava e faria tudo por mim. O meu amor é sim verdadeiro e eu sei que você não teria feito tudo isso apenas por uma "diversão". O que existe entre nós vai além disso. Mas não importa, porque cada diz ao seu lado é bem melhor do que pensar no futuro. Eu sei que o destino reserva algo perfeito para nós, assim como o presente está fazendo. Você me proporcionou tudo o que uma menina da minha idade desejaria. Um amor verdadeiro, sorrisos, paixão. Me deu a chance de viver sendo quem eu realmente sou e ao lado de quem eu amo. Obrigada, Joe, você me ensinou a ser eu mesma, me ensinou o que é amor.
-Conte-nos como se conheceram- ela pediu, interessada no assunto.
-Bem- ela soltou uma risada abafada e percebeu que Joe fez o mesmo- Conheço o Joe a uns dois anos- disse pensativa- Nós não éramos amigos nem nada, mas eu sempre gostei dele, muito. Eu às vezes achava que era uma paixão sem sentido, porque ele nunca nem perceberia que eu existia. Daí eu resolvi correr atrás e deixar de ser a menina certinha e quieta, só na escola. Eu ainda não entendi como eu consegui fazer tudo isso, porque você pode até perguntar ao Joe, eu sou completamente o oposto do que fingia ser. Depois de algumas coisas... nós acabamos virando amigos e eu descobri a pessoa maravilhosa que ele era. Demorou para que eu desse uma "chance" a ele porque achava que me arrependeria. Só que... ele me provou que era diferente do que eu via e imaginava e eu percebi que o amava mais do que tudo. Depois eu acabei descobrindo que ele tinha uma coisa especial por mim- riu.
-Joe, qual foi sua primeira impressão ao ver a Demi?- perguntou.
-Acho que a mesma de todo mundo- deu de ombros- Eu achava que ela era do tipo oferecida e... enfim, achava que ela não queria nada sério com ninguém. Na verdade, ela não passou despercebida no primeiro dia de aula e eu me lembro de como ela era na dela. Foi uma mudança repentina e estranha, mas eu tenho que confessar que sempre prestei muita atenção nela- riu.
-E você, Demi, pensou em desistir dele?
-Eu acho que você gostou da nossa história, professora- Joe disse um pouco duvidoso, sorrindo alegremente.
-Eu me lembro de quando eu era jovem....
-Bem, eu pensei sim em desistir- Demi a interrompeu, já prevendo que o pensamento da professora renderia uma boa história, porém ninguém queria ouví-la. Todos riram quando a menina começou a falar repentinamente, porém logo voltaram a seriedade- Só que eu não pude. Porque... o Joe acabou sendo o único a saber sobre todas as mentiras e fingimentos e ele era a única pessoa que eu tinha no momento. Então ele me ajudou, ficou ao meu lado- explicou.
-A história de vocês me emociona tanto- disse enquanto as lágrimas escorriam.
-Sabe, professora, é uma história muito bonita mesmo- Joe disse, sorrindo, de forma engraçada- Daria um bom livro- deu de ombros, arrancando risadas.
-Eu acho que esse trabalho ajudou vocês...- ela disse, certa.
-Talvez tenha sido um empurrãozinho- Demi concordou- Mas eu acho que... eu aprendi a viver sendo apenas eu mesma e isso ajudou.
-Professora, já que nós estamos em um momento... "Jemi"- fez aspas com as mãos, todos riram novamente- Posso fazer uma coisa?
-Jemi? Amei isso! Que menino criativo!- sorriu, animada com a ideia- Claro, já estou preparada para chorar... mais- assentiu dona Pâmela.
-Bem, eu fiz isso e é um dos meus presentes, pra comemorar o dia de hoje- ele sorriu, indo até um canto escondido da sala_enquanto todos olhavam para ele, curiosos_ tirando de lá seu violão.
-Você compõe também?- ela perguntou, surpresa com as habilidades do menino.
-Sim, professora- assentiu, rindo- Eu espero que goste, Dems- disse, sorrindo em direção a ela.
Joe se sentou na mesa na professora e colocou o instrumento no colo, pronto para começar. 


If the heart is always searching
Can you ever find a home?
I've been looking for that someone
I'll never make it on my own

Dreams can't take the place of loving you
There's gotta be a million reasons why it's true

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

Ele a encarou por um segundo e percebeu, através do olhar da menina, o quão surpresa ela estava. Ninguém nunca havia escrito uma música para ela, além de Joe, naquela outra vez. Mas agora era diferente. A música revelava que o amor só havia crescido de uns tempos para cá e ela não sabia o que pensar ou dizer.


How long will I be waiting
To be with you again
I'm gonna tell you that I love you
In the best way that I can

Seus olhos se enchiam de lágrimas enquanto ela prestava atenção atentamente a cada letrinha, cada palavra. Ela não conseguia desviar o olhar dele e de seu violão, a forma como ele tocava com tranquilidade, com paixão e calma.

I can't take a day without you here
You're the light that makes my darkness disappear

Joe lançou um olhar diferente para ela, com um sorriso no rosto, como se reforçasse o que acabara de cantar. Ele fazia isso a todo momento, querendo que ela prestasse realmente atenção no significado daquilo.

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

Moving on, I start to realize
I can reach my tomorrow
I can hold my head up high
And it's all because you're by my side

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When I hold you in my arms
I know that is forever
I just got let you know
I never wanna let you go

E novamente aquele olhar revelador, sorriso que encantava e a fazia derramar mais lágrimas. "I never wanna let you go" pensava ela. As palavras simplesmente martelavam em sua cabeça e ela tentava processar o que acontecia. Todos os versos apenas a lembravam-na de todas as palavras que Joe já havia dito para ela. 

'Cause when you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright 
When you're right here by my side 

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

...


Ele então cantou a última palavra, tocando o último acorde no violão. Ela estava mergulhada em lágrimas e não conseguia mais se conter_ ao menos tentava. Ele sorria feliz, feliz por vê-la daquela forma, por ela pertencer a ele. Por poder olhar nos seus olhos a todo instante que desejasse. E por sentir tudo aquilo ao encará-la.


Demi continuava parada, analisando em sua cabeça a letra da música novamente. Lembrou-se de como se sentiu na primeira vez em que Joe escreveu uma música a ela. Naquela época, claro, o amor já era imenso. Porém quem disse que não poderia crescer mais? E agora, parece suficiente, parece bom o bastante? Mas ainda não é. Naquele "trecho" de antes, os versos revelavam uma paixão descoberta, algo incrível e novo, talvez até inacreditável. Agora, o que ela havia ouvido demonstrava uma dependência entre os dois. Entre o amor que um sentia pelo outro. Assim como ele não conseguia viver sem ela, ela deixava tudo que a assombrava de lado quando estava ao lado dele.
O amor entre os dois só seria capaz de crescer mais e mais, a cada segundo. Bastava que se olhassem nos olhos para perceber que tudo ao redor desaparecia, tudo fazia sentido e aquilo que guardavam dentro deles nunca ficaria grande o suficiente, sempre caberia mais ali e enquanto os dois existissem, isso só se provaria.

Joe deixou o violão sobre a mesa e andou até a menina_ que chorava bastante_ e pela primeira vez não se sentiu mal ao vê-la dessa forma. Ele a abraçou apertado, como se a protegesse de alguma coisa, como se segurasse seu maior tesouro, a coisa mais valiosa que possuía. Beijou o topo de sua cabeça e os dois sorriram em meio àquilo tudo, sem ao menos ligar para as lágrimas que caíam do rosto dela_ e da professora. Joe sussurrou algumas coisas em seu ouvido, tentando fazê-la se acalmar de alguma forma.
Os dois riram sem muito humor e ainda abraçada a ele, Demi enxugou algumas lágrimas.

-Eu acho que você gostou...- ela riu enquanto ele sussurrava, se afastando para encará-la.
Ele segurou o rosto de Demi entre as mãos, sorrindo largamente.
-Gostar? Nem amar... eu acho que... nem tem palavras pro que eu to sentindo, Joe- sussurrou, se recuperando- Você é perfeito.
-Eu não sou perfeito- negou- Você é. E essa música é mérito seu, porque sem você na minha cabeça 24 horas por dia, eu não escreveria isso.
-Awwn eu te amo tanto- o abraçou de novo, se acolhendo em seus braços.
-Eu também te amo, Dems, muito- mexeu em seu cabelo, acariciando suas costas.
-Eu não posso acreditar no que eu estou vendo. Eu juro que até agora não acreditava nesse negócio de "amor verdadeiro" ou "casal perfeito" - disse, com a voz falha. Talvez ela tivesse sofrido alguma decepção amorosa quando mais nova- VOCÊS DOIS, BEIJEM-SE AGORA!- exigiu a professora, sentada na cadeira, aos prantos. É, Dona Pâmela era sentimental.

Joe sorriu de orelha a orelha e se afastou de Demi. Seus olhos se fixaram e ela se lembrou da música novamente, porém dessa vez não foi a única. Joe, ao olhar para seus olhos, sentia exatamente o que havia cantado e escrito, era incrível. Segurou em sua cintura e selou seus lábios, sorrindo enquanto a menina ainda tinha os olhos marejados, com seus braços enroscados no pescoço do menino por quem ela sempre seria apaixonada. Em meio a palmas e mais palmas, gritos e coisas que a turma dizia, eles riram e afastaram um pouco os lábios.

-Eu nunca...
-Vou te deixar- sussurramos em meio ao beijo, completando a frase um do outro.
-Feliz aniversário de um mês de namoro- ela desejou.
-É apenas o começo- ele garantiu- O começo do nosso "para sempre".


 The End


Mil beijemis, Bruna :)

6 comentários:

  1. OMG chorei litros com esse final :'(
    Muito linda essa fic, simplesmente AMEI <3 Parabéns :)

    ResponderExcluir
  2. PQP ACHO QUE MORRI!!
    Nossa, tô chorando litros aqui :((
    O capítulo foi lindo e MEU DEUS, O JOE cantando When you look me in the eyes foi PERFEITO!!!
    acho que chorei mais que a professora e a Demi juntas! u.u
    VÉI, já tô com saudades dessa fic...
    não demora pra escrever outra please!!
    não quero ficar orfã das sua fics :S

    Bem, até a próxima fic (que eu espero não demorar! u.u)
    Bjos" :**

    ResponderExcluir
  3. Ai meu Deus! Bruna, eu nem sei o que falar porque estou em estado de choque com a perfeição que você escreveu e chorando horrores! :(
    O capítulo foi lindo maravilhoso! <3 E meu pai, o que foi o Joe cantando When You Look Me In The Eyes?? Quase alaguei meu quarto nessa parte tanto que minha mãe viu e me acha doida por ficar chorando na frente do pc! '-' But, I don't care porque foi muito perfeito. Alias, perfeito não chega nem aos pés do que você escreve, que fique bem claro!
    Já te falei que vou sentir muita falta dessa fic e vou repetir! Ela vai ficar marcada para sempre no meu coração e com certeza é uma das minhas histórias favoritas! <3 Eu também não vou escrever um texto enorme aqui porque acho que nem mil palavras seriam o suficiente para te dizer o bem que suas histórias me fazem, o quão bem você escreve, o tanto que você me ajudou... Nem mil "obrigadas", "perfeitos" e tudo mais seriam o suficiente para agradecer e elogiar! <3 Eu só peço que você continue escrevendo e que você sempre será uma das pessoas mais importantes e especiais para mim! <3
    Bom, estou mega ansiosa para a próxima fic porque não importa quanto tempo passe, eu SEMPRE estarei aqui com você!
    Beijos, te amo demais! ♥

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAAAAAA meu Deus que capitulo P E R F E I T O! chorei com o Joe cantando pra Demi :')))) plmdds mt lindeza.
    A historia foi perfeita do inicio ao fim.Já to sentindo saudades dela :/
    Mal posso esperar pra saber qual vai ser a proxima fic!

    ResponderExcluir
  5. Hey baby, Carol aqui mais uma vez! :D
    Tem um selinho para você no blog da minha amiga: http://ficyourbiggestfan.blogspot.com.br/2012/09/selinho.html

    Beijos, te amo demais! <3 Saudades de você! :(

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3