Visualizações

30 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 21


Chapter 21- Enjoy... { Especial Jemi ¹}

E então, ele me abraçou por trás, me conduzindo até uma parte mais afastada do jardim, onde não se tinha visão da casa, beijando meu pescoço.
O lugar era calmo. Tinha algumas árvores, arbustos e uma grama baixa ao redor do piso onde estávamos. Era ali onde ficava a churrasqueira, tínhamos também a vista da piscina e de um pequeno galpão, bem a nossa frente. Ele era antigo, tinha uma aparência rústica, mas era muito bonito e parecia uma... casinha de bonecas.
Joe segurou minha nuca, dando continuidade aos beijos, juntando nossos lábios. Andávamos devagar por causa dos movimentos involuntários que fazíamos. Consequentemente esbarrei em uma pequena mesa que ficava em frente ao galpão, Joe juntou mais nossos corpos, precionando-os. Então ele soltou minha nuca, depositando uma de suas mãos na mesinha onde eu me apoiava e a outra em minha cintura. Começou a espalhar beijos pelo meu rosto, enquanto ria. Eu fazia o mesmo. 
Aos poucos seus beijos foram ficando mais calmos, e ele direcionou seus lábios macios até meu pescoço, fazendo com que eu sentisse sua língua em contato com minha pele. Ele tirou sua mão que estava na mesa, levando-a até minha cintura, ou melhor dizendo, depositou-as carinhosamente em meu quadril. Levei uma de minhas mãos até seu braço, acariciando-o.
Logo ele fez o mesmo onde sua mão estava, me dando um beijo na ponta da orelha. Segurei sua nuca e o puxei para um beijo, novamente nossas línguas estavam em perfeita sintonia.
Se afastou um pouco de mim, sorrindo. Em um movimento rápido, segurou em minha cintura, fazendo com que eu me sentasse na mesa. Ele pressionou mais nossos corpos, que agora estavam realmente muito próximos, segurando em minha cintura. Automaticamente, minhas pernas se prenderam em sua cintura. Eu o beijava completamente envolvida no momento, sem me importar com absolutamente nada. Minha cabeça encostava em seu ombro, conforme ele depositava beijos carinhosos no meu pescoço e rosto. 
Levou uma de suas mãos até minha perna, dessa vez fazendo um carinho mais ousado. Me lembrava que, da última vez, quando estávamos naquela noite lá em casa, eu havia o parado alí. Mas agora não era como naquela noite, era diferente em alguns sentidos. 
Eu vestia uma saia 'curta', mas era bem soltinha, então não estava 'atrapalhando', quero dizer, não estava 'vulgar', nem me incomodava muito, eu não tinha essa preocupação. 
Eu aproveitava o momento, sentindo sua pele em contato com a minha, sem pensar em mais nada. Quando ele começou a descer os beijos, confesso que fui ficando um pouco mais... 'cautelosa' em relação a tudo que acontecia. Eu estava ficando um pouco 'nervosa'. 
Ele me envolveu com seus braços, era como se estivesse me 'abraçando', já que estávamos muito próximos. Comecei a sentir seus lábios depositando beijos delicados em meu ombro, que estava descoberto, já que a fina alça da blusa não atrapalhava. 
A cada momento ele descia mais os beijos. Agora ele já estava beijando a borda da minha blusa,  no leve decote que ela tinha. 
Deslisei minhas mãos por seu cabelo, ele voltou seus lábios para junto dos meus. Depois de minutos ali, apenas nos beijando, o ar já faltava. Nos afastamos um pouco, nossas testas estavam coladas.
Ele abriu um leve sorriso, eu fiz o mesmo. Então ele levou uma de suas mãos até minhas costas, acariciando-a. Enquanto isso, sua outra mão vagava pela minha cintura, pude sentir quando sua mão tocou minha barriga, ele levantava levemente minha blusa.
Fechei meus olhos com força, escondendo meu rosto em seu peito. Fiquei um pouco surpresa e apreensiva quando, muito rapidamente, ele levantou minha blusa de tal modo que suas mãos ficassem depositadas em minhas costas, muito perto do fecho do meu sutiã. Eu sentia o pano da blusa roçando minha barriga... Metade dela já estava descoberta.
-Estamos apenas aproveitando- ele sussurrou em meu ouvido, voltando a beijar meu pescoço- Eu te amo.
Sorri em meio aos beijos que recebia. Suas mãos vagavam por toda a parte descoberta do meu corpo, eu sentia coisas estranhas quando sua mão quente tocava minha barriga, ou subia e descia pelas minhas costas. 
Eu não podia esconder que estava com muito medo, mas no fundo, sabia que ele não faria nada, por isso tentava parecer calma. Então comecei a repetir para mim mesma o que ele havia dito a pouco tempo "Estamos apenas aproveitando". Tentei me controlar, me acalmar.
Logo em seguida suas mãos foram até a alça da minha blusa, abaixando-a. Ele depositou um beijo ali, seguido de outros e mais outros, parando com um carinhoso e delicado beijo em minhas costas. 
Minha respiração já estava alterada, meu coração batia tão rápido que eu tinha medo que ele saísse pulando... Mas nada tirava de mim e felicidade que sentia naquele momento, ainda mais por estar conseguindo me manter calma, estar deixando rolar. Mas quando ele colocou sua mão em minha coxa, um pouco dentro da saia, fazendo um carinho que levantava cada vez mais ela, senti que, involuntariamente, minhas pernas tentaram se fechar.
-Eu só quero que se acostume- ele sussurrou, sem tirar a mão dali, acariciando meu rosto.
-Eu sei- disse tão baixo que pensei que ele não tivesse ouvido.
Então antes que eu pudesse falar ou fazer alguma coisa, ele me puxou para mais perto de si, 'calando' meus pensamentos com um beijo, dessa vez mais intenso.


Continua...
Genteeeee! 11 comentários, vocês são o máximo! Me desculpem, mas esses dias eu não estou nada bem. Tive que montar umas coreografias pra uma peça do colégio e estou passando as tardes ensaiando. Não estou conseguindo andar direito de tanta dor no corpo e mesmo assim tenho que dançar. Além disso a gripe que me pegou não deu uma folguinha... mas enfim, desculpem por demorar. Voltando ao capítulo... gostaram? :) Eu acho que vocês ficaram curiosos... mas lembrem que eu gosto de pregar peças... hehe :3 Tudo bem, mesmo assim, COMENTEM MUITO para o próximo. Se chegarem a muitos comentários hoje eu ainda posso tentar postar outro ;) Não vou responder os comentários, mas muito obrigada a todos, mesmo. Eu AMEI todos esses comentários lindos! *o* Amo muito vocês! <3 Vou responder só algumas coisinhas... 1º- Obrigada pelos elogios, vocês são incríveis! <3 Outra coisa... gente, o Joe da MUITO valor a Demi, isso é FATO :) Esperem um pouco até o pedido de namoro... muita coisa ainda vai acontecer! Bom, por último, eu concordo que essas letrinhas na hora de comentar são muito chatas, mas não posso tirar por causa de vírus! ¬¬ É perigoso deixar sem essa confirmação, desculpem! :/ 
Enfim, obrigada a todos, amo vocês! COMENTEM! :D


Beijemis, Bruna :*)

27 de abr de 2012

Be Yourself- Chapters 19 & 20



Chapter 19- You're the one...

Ela se levantou sorrindo e seguimos até seu quarto. Eu nunca estive aqui antes, o quarto tinha as paredes brancas e uma vermelha, onde ficavam fotos- lindas por sinal- bilhetes, entre outras coisas. Tinha também uma grande cortina que tapava a entrada para a varanda, uma cama de casal, um banheiro e muitas outras coisas.
-Seu quarto é lindo- elogiei, ela sorriu.
-Obrigada.
Deitamos em sua cama, ela colocou a cabeça sobre o meu colo, enquanto eu mexia em seu cabelo.
-Seus pais não estão em casa, certo?!- ri.
-É... eles não estão- escondeu o rosto, rindo.
-Mas me diz, o que aconteceu?- entrelacei nossos dedos- Porque não quer mais ser amiga da Ashley?
-Eu acho que não me encaixo mais nesse grupinho dela...
-Demi.. eu sei que a Ashley pode parecer uma patricinha e ela até é, mas ... não é tão ruim quanto as outras- ri sem humor- Ela é legal, você sabe disso, ela era sua amiga.
-Sim, eu sei... mas não é muito por ela... é mais por culpa minha. Eu confesso que desde o começo me surpreendi com ela. Eu imaginava uma menina diferente mas não... a Ashley foi uma ótima amiga durante todo esse tempo, ela é sensível e uma pessoa incrível mas.... eu nunca consegui confiar por completo nela... além disso, eu menti pra ela muitas vezes, ela me contava tudo e eu só mentia... eu não era uma amiga assim como ela era para mim. Não fui justa com ela.
-Você acha que ela não vai mais querer a sua amizade?
-Eu... não sei, Joe... Eu não me sentiria bem ficando com ela depois de ter feito isso tudo e eu, sinceramente acho que ela não me quer mais....
-Demi, você pretende se afastar de todos?
-Eu não sei onde mais me encaixar... esse é o problema.
-Comigo- lhe dei um selinho- Você vai ficar comigo- sussurrei.
-Você é meu anjo da guarda, Joe- me abraçou forte.
-Olha só, você não precisa se afastar de todo mundo assim... tenta conversar com a Ashley, ela vai entender- garanti.
-Eu.. já falei com ela, Joe- confessou.
-Como assim? Ela sabe que você mentia?- perguntei confuso.
-Bom... naquele dia lá na escola, que todo mundo começou a falar de mim e tal.. eu não aguentava mais, precisava desabafar com alguém e não podia ser você, que já sabia de tudo. A Ashley me chamou em um canto e eu não aguentei, acabei falando tudo de uma vez...
-Você contou logo pra ela, Demi?
-Eu...- ela parecia nervosa, talvez arrependida.
-Calma- pedi acariciando sua mão- O que ela fez?
-Ela... no começo pareceu um pouco chateada comigo, por ter mentido esse tempo todo mas depois... ela me abraçou e jurou não contar para ninguém- explicou.
-Você acha que ela pode falar alguma coisa?
-Sinceramente, no começo eu fiquei muito arrependida, com muito medo, mas depois... eu não acredito muito nisso.
-Eu também acho que ela não seria capaz... Só me assustei por você contar a ela.
-Bom, eu não sei o que fazer. Se eu continuar a ser amiga dela, se ela ainda quiser a minha amizade, vou ficar com esse peso enorme na consciência... Caso contrário, eu vou perder uma amiga. Linda dúvida- disse irônica.
-Escuta, não depende só de você! Espera pra ver o que vai acontecer, como ela vai ficar em relação a isso...Depois você pensa no que vai fazer, daí se você quiser é só me procurar- sorri, beijando sua testa.
-Obrigada- sussurrou se aconchegando em meus braços.
-Agora... que tal você tirar uma dúvida minha?
-Claro- sorriu- O que foi?
-Por um acaso... tudo isso, essa mudança no jeito de me tratar- ela abaixou a cabeça enquanto eu falava- Ficar grossa comigo, me fazer perguntas estranhas... tem haver com a mensagem?
Ela levantou do meu colo em um pulo, parecia confusa, nervosa, assustada.
-Como você sabe?- peguntou um pouco exaltada, talvez pelo nervosismo.
-Volta aqui- segurei levemente seu braço, a puxando de volta para o meu colo- É o meu celular, Demi... Como eu não saberia?- ri sem humor.
-Mas...- ela havia levantado de novo.
-Demi, fica tranquila- ri- Deita aqui- dessa vez ela sossegou- Você achou que eu não tinha visto?
-É, e ... foi por causa disso sim- sussurrou.
-Eu já até respondi- expliquei- Eu tinha marcado com ela antes de acontecer tudo isso entre eu e você- disse- Ela insistiu, tava me enchendo o saco e eu acabei aceitando. Eu tinha até me esquecido, mas quando eu ia ligar pra ela e desmarcar eu não consegui então fui mandar uma mensagem.... Daí eu vi que tinha chegado uma e que alguém- sorri para ela encostando levemente o dedo em seu nariz- Já tinha visto. Eu não sabia que tinha sido você, mas depois de como agiu, eu tinha certeza.
-Eu... não sabia. Achei que... sei lá- suspirou.
-Bom, nada aconteceu entre a gente, Demi. Eu já desmarquei com ela e ta tudo bem- afirmei- Podia ter me contado porque estava assim.
-Desculpa, Joe... Ah eu só faço besteira- fechou os olhos- Eu não sabia como falar com você... Porque eu tinha mexido no seu celular sem nem pedir, desculpa, eu não devia ter feito isso, eu invadi a sua privacidade, eu não tinha esse direito, devia ter te falado...
-Demi, para- ri dela- Olha, você podia ter me contado sim, mas eu não me importo que mexa no meu celular, pode futucar o quanto quiser, eu nunca ficaria chateado com você por causa disso- garanti.
-Ah Joe... você não existe- sorriu- Mesmo assim, eu não devia ter feito isso. Desculpa... por isso e por desconfiar de você também, mas quando eu vi aquela mensagem nem sabia no que pensar.
-Ta tudo bem, eu entendo- acariciei seu cabelo- E ... se você quiser- peguei meu celular no bolso- Pode mexer- ri.
-Engraçadinho- disse irônica- Não quero futucar seu celular.
-Tem foto sua aí- comentei.
-Me dá isso agora- pegou o celular rapidamente, eu ri.
-Aqui, olha- apontei, mostrando a ela.
-Como tem essas fotos?- perguntou curiosa.
-Ah... eu gosto de tirar fotos- disse- Principalmente de coisas lindas assim...- sorri lhe dando um selinho.
-Own- ela riu apertando minha bochecha- Mas agora é sério, porque tirou essas fotos?
-Eu já disse...- sorri- Eu não sei, Demi... te vi no pátio um dia e resolvi tirar. O seu sorriso era tão... encantador, você parecia um anjinho, uma boneca... tão linda - ela corou- Aí acabou que todo dia eu tirava uma foto. Tem muitas aí, desde quando a gente se... 'conheceu'.
-Nossa... é verdade... são tantas. Eu nunca percebi- riu sem humor, envergonhada.
-Essa foi no dia do nosso... primeiro beijo eu acho- sorri lembrando e ela fez o mesmo.
-Sim... Uau, é mesmo- sorriu- Mas essa eu deixei você tirar, foi a única- riu.
-Tudo bem, mas as outras ficaram lindas também- disse.
-Aposto que você tem fotos de todas as suas ficantes- fez careta.
-Ué, meu celular está nas suas mãos- ri- Pode procurar.
Ela procurou durante alguns minutos, viu todas as fotos que eu tinha.
-Fala sério, Joe- disse surpresa- Você não tem mesmo...
-Eu disse, só tem você aí- beijei sua bochecha- Agora acredita que você é unica?
-Eu só sei que você é incrível... isso é inacreditável...
-Devo confessar que tenho uma queda antiga por você- ri e ela me acompanhou- Você sempre foi diferente das outras, Demi... eu sempre te vi de uma maneira diferente, melhor.
-Isso é bom, certo?- riu.
-Com toda certeza- a puxei para um beijo calmo- Eu acho melhor eu ir, se meus pais ainda não chegaram, meu irmão ta sozinho...
-Olha alí o carro- apontou. Olhei através da janela de vidro que fechava a varanda- Eles já chegaram.
-Devem estar me procurando- disse me preparando para levantar.
-Nãããão- disse manhosa, me abraçando forte- Não vai.
-Demi, eu não vejo meus pais e o Nick a semanas...- ri da carinha dela- Eu tenho que ir.
-Fica fica fica fica fica- implorou distribuindo beijinhos pelo meu rosto.
-Assim eu não consigo resistir- ri dando um selinho demorado nela- Vem comigo- sugeri.
-Não- negou rapidamente, a encarei confuso- Quer dizer... Daqui a pouco meus pais estão em casa- parecia nervosa.
-Ta tudo bem, Demi?- coloquei meu braço em volta de seu pescoço, estávamos sentados na cama.
-Sim, claro... mas daqui a pouco fica tarde...- eu sentia que ela estava tentando encontrar uma desculpa.
-Ainda está cedo, nem escureceu ainda- disse- Vem, vamos- segurei sua mão.
-Não, Joe....- pediu.
-Me diz porque- acariciei seu rosto- É por causa dos meus pais? Você já conhece eles...
-Não, eu...- respirou fundo.
-Eu vou ficar com você, só quero falar com eles antes que me procurem, por favor- sorri.
-Tudo bem- concordou forçando um sorriso- Vamos.
Entrelacei nossos dedos, eu podia sentir que ela ainda estava nervosa, só não sabia o motivo. Afinal, ela já conhecia meus pais, eles também a conheciam e amavam ela, Demi sabia disso.


Chapter 20- Let's do it right...


Demi on:
Chegamos em segundos na sua casa, já que eramos vizinhos. A porta ainda estava aberta, seu pai tirava as bagagens da mala, colocando dentro de casa.
-Oi pai- o cumprimentou com um abraço- Lembra da Demi?
-Claro que sim- ele sorriu assim como eu. Fui em sua direção, lhe dando um abraço- Vai ficar para o jantar conosco?
-Não... eu não quero incomodar- sorri tímida.
-Ah para com isso, menina- ele riu- Você não incomoda! Denise vai amar que jante essa noite aqui.
-Tudo bem- concordei.
Entramos em casa e sua mãe logo veio em nossa direção.
-Demi, querida- nos abraçamos- Como está? Ouvi que vai ficar pro jantar.
-Sim, estou bem, tia- sorri.
-E você, Joseph- sua mãe se aproximou dele- Deixou seu irmão sozinho, não é?
-Ops- disse- Foi só um pouquinho- riu.
Ela lhe deu um abraço e vi Nick descendo a escada. Nós não nos dávamos muito bem, eu não me sentia bem com ele, e tinha motivos. Sem pensar, segurei a mão de Joe, que estava bem próxima da minha, buscando o máximo de segurança que podia. Ninguém podia ver nossas mãos entrelaçadas, já que estávamos 'grudados' um no outro.
-Fala ae, Joe- fizeram um toque de mão. 
- Esqueceu que tinha um irmão?- Joe perguntou, rindo.
-Claro que não- riu- Só passei um tempo lá na vovó... Aquelas nossas primas estão muito... diferentes- sussurrou, com um sorriso malicioso- Você ia gostar.
Joe riu e eu abaixei a cabeça, respirando fundo, logo forçando meu melhor sorriso.
-Oi Demi- Nick sorriu de um jeito estranho, veio até mim, me abraçando- Como você está?
-Bem- forcei um sorriso, desviando o olhar. Apertei mais a mão de Joe, ele pareceu perceber.
-Estava com saudades de você, faz tempo que a gente não se vê, né?!- disse sorrindo.
-É...- concordei forçando um sorriso muito falso.
-E vocês?  Ainda não se resolveram? Da última vez que vi também estavam nessa brincadeirinha- riu debochado.
-Nós estamos... bem- Joe garantiu, rindo sem humor- Muito bem.
Sorri com o que acabara de ouvir, mas não gostava de pensar que não tínhamos nada muito 'real', 'fiel', ou 'sério' entre nós. Para ele, estávamos apenas... 'bem. Isso doía.
-Ta legal- Nick disse sorrindo- Eu vou pra balada pegar algumas gatinhas- sorriu e saiu de casa, dando um simples 'tchau'.
-Isso é de família- sussurrei rindo.
-Vem, vamos jantar- riu e me conduziu até a mesa.
Comemos enquanto batíamos um papo muito legal e engraçado, era muito divertido ficar com a família de Joe, eles tinham um astral muito legal, contagiante. Além da comida que era divina, com toda certeza, a mãe de Joe era uma das melhores cozinheiras que eu já vira.
Conversávamos sobre um assunto um pouco... estranho para a situação. Ballet. Sim, não faço ideia de como chegou a isso, mas eu fazia aulas quando era pequena, sempre foi um sonho, uma paixão, e era sobre isso que falávamos no momento.
-Você devia ficar muito fofa dançando ballet- Joe disse, sorrindo.
-Eu queria ter continuado mas... perdi a vontade com o passar do tempo- fiz careta.
-Eu quero ver você dançando um dia- comentou- Imagina... tão linda com aquela roupinha cor de rosa, arranjo de flor no coque- sorri envergonhada.
Quando Joe falou isso, pude sentir o olhar de seus pais, curiosos, sobre nós. Ele também percebeu, mas já havia dito e não podia voltar a trás. Sua mãe sorria, voltando seu olhar surpreso para Joe.
-Que foi?- perguntou rindo, tentando amenizar o clima estranho.
-Hummm... vocês dois... temos um novo casal?- sua mãe perguntou.
-Somos amigos, mãe- Joe disse- Que ideia- revirou os olhos.
-É... amigos- sussurrei e ele me encarou, abaixando a cabeça, suspirando.
-Onde estava quando chegamos?- seu pai perguntou.
-Na... casa da Demi - respondeu e eu ri, percebendo a burrada que ele fizera.
-Não adianta mentir...- sua mãe disse, sorrindo. Ele a encarou confuso.
-Se esqueceu do Frankie, Joe?- sussurrei, mas todos puderam ouvir.
-Aquele pirralho fofoqueiro- resmungou e nós rimos.
-Ele simplesmente respondeu 'Ele está na casa da namorada' quando chegamos- sua mãe concluiu.
-Não estamos namorando- ele disse e eu tentei não demonstrar o que realmente sentia.
-Tudo bem, vamos deixá-los em paz- riu- Só aviso que adoraria a Demi como sogra- se levantou da mesa, levando os pratos até a cozinha. Seu pai fez o mesmo.
Joe segurou minha mão e me puxou levemente para o jardim de sua casa.
-Eu to me lembrando daquele dia lá na sua casa- comentou, sorrindo.
Tentei me lembrar também. As coisas na minha cabeça estavam muito confusas, como já era de costume. Eu me sentia a melhor pessoa do mundo ao lado do Joe, cada momento me levava a outro mundo, um lugar ainda não descoberto por muitos. Cada palavra tinha um grande valor para mim, um poder incrível de me fazer completa, sem querer nada mais. 
Quando o assunto era nosso relacionamento, tudo parecia maravilhoso, até perfeito. Na prática. Porque quando 'tentávamos' 'falar' mesmo que involuntariamente sobre o que estava de fato acontecendo, nada funcionava direito, e meu coração parecia voltar para trás, retroceder. Eu não estava infeliz, pelo contrário, os momentos que Joe me proporcionava não podiam ser comparados a nenhum outro já vivido por mim, mas eu não poderia dizer que não estava incomodada. 
Pensar muito sobre isso não era nada legal, acho que devia ser uma coisa para se fazer quando estivesse sozinha. Poderia pensar na possibilidade de falar com ele sobre tal coisa, depois descartar. Sozinha eu poderia também me lembrar de tudo, cada segundo junto a ele, cada pedacinho do dia que se tornava o melhor da minha vida, e ver que não era preciso entrar em uma 'discussão' sobre o que estávamos vivendo. Poderia tentar entender a mim mesma, comigo mesma, sonhar mais e imaginar coisas surreais, mas que poderiam se tornar realidade. Isso eu faria sozinha, trancada no quarto e jogada na cama, porque agora, não seria capaz de assimilar tantas coisas ao mesmo tempo, seria desperdício tentar pensar em tudo isso agora, quando eu podia, em vez de me preocupar, lembrar apenas dos momentos bons.
-Eu me lembro...- forcei um sorriso- Foi... um dos melhores momentos da minha vida. Tudo parecia tão... diferente aquela noite, nós fomos diferentes em relação a tudo.
-Eu sinceramente esqueci de tudo- riu sem humor- Você me fez sentir tão bem... de um jeito tão especial. Foi uma coisa inexplicável, eu só queria você pra mim...
-É... as vezes a gente tem que esquecer do mundo e nos permitir viver momentos assim. Deixar tudo pra lá e apenas... aproveitar- sorri.
-Aquele dia... tudo parecia tão fácil- comentou.
Andávamos sem direção, o jardim da casa de Joe era grande o suficiente para que fizéssemos isso sem nos preocuparmos.
-Tudo foi fácil- afirmei- Porque eu e você fomos apenas nós mesmos, Joe.
-O que quer dizer com isso?- colocou seu braço ao redor da minha cintura.
-Quero dizer que eu meio que... me entreguei sem medo, sem a intenção de provocar você nem nada do tipo e você...
-Eu não queria nada além de você- sussurrou.
-É...- sorri- Eu me senti segura, como nunca tinha me sentido antes com você- confessei e ele me encarou confuso.
-Não se sentia segura comigo?
-Sim mas... eu sempre tinha... medo, no fundo. Nunca foi algo muito espontâneo, eu sempre me preocupava na hora de parar ou ficava pensando no que fazer mas... não naquela noite- sorri.
-Isso tornou tudo mais especial, melhor e diferente...Nós nos preocupamos em aproveitar, sem pensar no resto. É assim que deve ser.
-Eu te amo- sussurrei, me aproximando de seu ouvido- Era o que eu ia dizer aquele dia.
Ele segurou firmemente minha cintura, fiz o mesmo com seu cabelo e nuca. Ele me encarou, sorrimos juntos, antes de iniciar outro longo beijo.
-Então vamos fazer do jeito certo- ele sussurrou, beijando meu pescoço.





Continua...
Querem mais? Então COMENTEM MUITO! Eu postei os dois que havia prometido porque vocês comentaram, então, por favor, continuem assim! Obrigada a todos, amo vocês! <3 Espero que estejam realmente gostando! :*)


Beijemis, Bruna *w*



~Importante~ Aviso :*)

Hey galera! Bom... primeiro, vocês estão REALMENTE gostando da fic? Não mintam pra mim! :( Olha, eu sei que essa parte pode até estar um pouco chata mas os próximos capítulos NÃO estão! Se não estão gostando, me digam! Por favor! Eu fico triste e desanimada para postar quando percebo que não estão mais amando como antigamente! :/ Eu sei quantas pessoas visitam cada página desse blog, por isso, sei que tenho mais de 80 visitas nesse capítulo 18 e apenas 3 comentários! Como eu posso postar mais assim? Eu agradeço a cada um de vocês que lê, comenta e escreve essas coisas lindas para mim, vocês não sabem o valor que eu dou a isso, mas com 3 comentários eu estou achando que tem alguma coisa errada! O meu trato com vocês foi que eu faria o meu melhor pra postar o mais rápido que pudesse capítulos menores, mas em troca, vocês PRECISAM comentar! :( Olha, eu estou disposta a fazer uma coisa. COMENTEM MUITO no capítulo 18 e amanhã eu postarei DOIS capítulos. Talvez até hoje, dependendo de vocês. Então, é isso. Se não gostarem, DIGAM, eu NÃO mordo :(  Mas por favor, não deixem de comentar! :) Amo vocês <3


Beijemis, Bruna :)

26 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 18


Chapter 18- Let me know what's happening...

-O que ta acontecendo com você, Demi?- perguntou segurando minha mão, entrelaçando nossos dedos.
- A gente pode ir embora? Dar uma volta no parque ou alguma coisa assim?- tentei fugir do assunto.
-Você ta muito quieta e estranha pro meu gosto... mas vai entender, né?!- riu sem humor- Vem, vamos.
Levantamos, pagamos a conta e saímos da lanchonete.
-Joe... posso te fazer uma pergunta? Me responde com sinceridade?- decidi perguntar, um pouco apreensiva.
-Nossa, você ta muito... misteriosa, Demi. Ta me assustando- riu sem humor, colocando seu braço ao redor do meu pescoço- Claro que pode, o que quiser.
-Você ainda é... amigo da Ashley?
-Sou... - respondeu me olhando confuso- O que exatamente você quer saber, Demi?- deu um sorrisinho.
-Como... assim?- ri sem humor.
-Você quer saber se eu ainda sou amigo- deu enfase na última palavra- Dela, ou se eu ainda tenho alguma coisa com ela?- parou na minha frente, segurando minha mão.
-Se você... ah, os dois- sussurrei.
-Ta legal- riu- Escuta, eu não tenho nada com ela... e isso não é novidade- acariciou meu rosto- A Ashley é passado, Demi. Eu posso continuar sendo amigo dela, mas nada além disso.
-É que... eu não sei se vou continuar a ser amiga dela...- sussurrei.
-Não foi por causa dessa indecisão que você me perguntou isso, Demi- disse.
-Eu ainda to confusa por tudo isso que está acontecendo... eu.. sei lá, sentia que tinha que perguntar... Desculpa.
-Pode perguntar o que quiser- sorriu-Só lembra que não existe mais nada entre eu e ela- sorriu, acariciando meu rosto- Agora seja sincera você, porque me perguntou isso?
-Eu já disse, Joe... não sei direito- menti amigavelmente.
-Tudo bem- entrelaçou nossos dedos- Eu quero que saiba que eu amo a você, e a ninguém mais. Foi por você que eu me apaixonei, é você que me faz sorrir, é por você que eu estou aqui, ouviu?
E então ele sorriu e selou nossos lábios, lentamente. 
-Você é o único que consegue...- sorri, pensativa.
-Consigo ... o que?- sorriu.
-Fazer tudo melhorar... Eu chegava em casa chorando e um beijo seu me fazia esquecer tudo... a vontade de sumir, de fugir, me trancar no escuro e não sair nunca mais... eu tinha uma razão pra viver.
-Eu não me sinto bem com isso, Demi... Não acho que é algo do qual eu deva me orgulhar! Eu te fiz sofrer... Do que adiantava? O culpado pelas suas lágrimas era eu...
-Mas também dos meus sorrisos, Joe... E do meu amor- completei.
-Eu não queria te ver sofrer, eu nunca quis... se eu soubesse...
-O que você faria, Joe?- o interrompi- Pensa bem... se era tão ruim me ver assim, você ficaria comigo por pena?
-Não.. eu.. eu sempre gostei de você, Demi... só não tinha certeza...
-Exatamente... você ficaria comigo por pura pena, fingiria sentir o que na verdade não era real naquela época... e eu sofreria mais. Acredita, foi melhor ter acontecido assim, agora nós estamos juntos, certo?- sorri.
-Certo- sussurrou- Eu acho que seria mesmo pior... Eu não descobriria o que eu sinto se não tivesse tido a oportunidade de te conhecer de verdade- me deu um selinho.
-Mas... que tal a gente ir lá em casa? Pra conversar?- perguntei tímida.
-Você quer conversar?
-Sim eu... Eu to realmente indecisa por causa da Ashley...- disse.
-Tudo bem, vamos- sorriu.


Joe on:
Caminhamos até a cada de Demi, ela estava muito estranha e eu tinha quase certeza de que já sabia o motivo, mas ouviria primeiro o que ela tinha a dizer. Não queria que ela ficasse estranha comigo, mas isso parecia quase impossível, afinal, tinham vezes em que ela parecia querer me mandar embora e outras em que ficava junto comigo, pedindo minha companhia. 
Seguimos o caminho de mãos dadas. Eu sempre tentava fazê-la rir, sorrir, e na maioria das vezes conseguia, mas depois aquela carinha triste voltava. 
Chegamos no jardim de sua casa, íamos em direção a porta. Ela andava na frente, com a cabeça um pouco baixa e os braços cruzados, provavelmente por causa do frio e eu estava atrás. Antes que ela colocasse a mão na fechadura para abrir, eu precisava fazer uma coisa.
-Ei, vem cá- puxei seu braço levemente, ela veio para bem perto de mim. A segurei na cintura, bem perto, aquecendo-a e fazendo carinho- Tira essa carinha- acariciei seu rosto e ela abriu um pequeno sorriso- Eu quero ver você feliz, Demi- disse- Abre aquele sorriso lindo- ela fez o que eu pedi- Mas eu quero que seja verdadeiro.
-Eu garanto que é- disse segurando minhas mãos.
Fomos até a porta, ela estava de costas para mim. Eu sabia que ela estava com muito frio, assim como eu, porque o vento era forte e desde que acordamos continuava muito gelado. Então aproveitei e a abracei por trás, cuidadosamente, ela riu, mas continuou a pegar a chave para abrir a porta.
-Seus pais estão em casa?- sussurrei em seu ouvido,beijando carinhosamente seu pescoço.
-Ér... sim- disse um pouco nervosa.
-Você quer conversar lá em casa? Não tem ninguém- sugeri segurando o riso, eu adorava brincar com ela, mas muitas vezes não era apenas brincadeira.
-Não- negou rapidamente- Vem, vamos.
-Eu- beijei seu pescoço- Te- fiz o mesmo- Amo- fechei com um selinho.
Me afastei rapidamente dela, segurando sua mão. Como se nada tivesse acontecido.
-Vamos?- ri, a puxando.
Ela me encarou confusa, ainda envergonhada.
-Que foi? Mudou de ideia? A gente ainda pode ir lá pra casa...- sugeri rindo.
-Ah Joe!- riu- Ninguém merece!
-Ué, tava gostando, é?- beijei novamente seu pescoço, estávamos entrando em sua casa.
-Para com isso, garoto- deu um leve tapa no meu braço.
-Já parei- a abracei por trás- Eu adoro brincar com você e te ver assim que nem um tomatinho- sussurrei, rindo.
-Isso não se faz, sabia?- fez um biquinho, tapando o rosto com as mão- Não é nada legal.
-Porque? Você fica tão fofa assim- beijei sua bochecha.
-Porque eu nunca sei quando é verdade- sussurrou, abaixando a cabeça.
Estávamos na sala, não tinha ninguém lá além de nós. Provavelmente os pais de Demi não estavam em casa. Ela se soltou dos meus braços lentamente e sentou no braço do sofá que era bem largo e confortável.
-É verdade, Demi- me aproximei, sentando onde ela estava. A peguei cuidadosamente e coloquei no meu colo, envolvendo sua cintura- Mas vai ser real quando você quiser- sussurrei, sorrindo.
-Eu não to reclamando, não entende assim...- pediu- É que não tem nada de real...
-Exatamente, é porque você não quer- levantei e me ajoelhei na sua frente, segurando suas mãos- Aí eu levo na brincadeira- expliquei- Desculpa, eu não vou mais brincar assim- acariciei seu rosto.
-Não- pediu me encarando- Eu que peço desculpas, não quero que pare- disse, sorrindo timidamente.
-Então....- disse confuso.
-Eu me sinto mal sabendo que você só leva na brincadeira por minha causa- concluiu.
-Para com isso- beijei sua testa, me levantando e a puxando pela mão- Vem, me conta o que você quer fazer em relação a Ashley.


Continua...
Um milhão e meio de desculpas! Eu sei que disse que postaria ontem mas realmente não deu! :( Enfim...Esse ta um pouquinho maior :) Como vocês estão? A fic está legal? Espero que estejam realmente gostando! ;') Bom galerinha, muito obrigada pelos comentários! Como já disse e não canso de repetir, vocês são incríveis e eu amo muito minhas jemians <3 


Beijemis, Bruna :*)



24 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 17


Chapter 17- Hug me...

-Vamos entrar?- perguntou segurando minha mão.
Apenas concordei com a cabeça e seguimos em frente, subindo a escada de madeira velha que estava bem ali. Entramos na lanchonete e, mesmo não tendo muitas mudanças, cada momento ali era único, tudo parecia mudar repentinamente. 
Quando Joe me chamou para tomar café, não sabia que era aqui que viríamos. No decorrer do caminho, pude sentir que vinhamos em direção a essa lanchonete, o que não devia ser muito inesperado, mas estava muito abalada para me dar conta.
As mesas eram as mesmas desde minha última passada por aqui, ainda tinham alguns discos antigos e posters na parede. A lanchonete era inspirada nos anos 80, trazendo um ar encantador ao local. 
Avistamos uma mesa bem ao fundo, afastada de todos. Tinha um ar de tranquilidade, calma. Nos dirigimos até lá e logo depois veio um garçom até nós.
Fizemos nossos pedidos.
Eu me mantinha quieta, mesmo sabendo que isso só despertaria ainda mais a curiosidade de Joe. O problema era não encontrar as palavras certas, falar alguma besteira ou até mesmo demostrar de alguma outra forma que estava realmente triste com ele, sem motivos certos. 
Sua cabeça estava baixa e eu não sabia muito bem o que falar.
-Ta tudo bem?- perguntou me encarando.
-Joe eu...- respirei fundo. Provavelmente ele queria saber o que estava acontecendo, mas eu não contaria a ele.
-Eu só quero saber se está tudo bem, você está bem?-nada saía da minha boca, ele continuou- Me diz a verdade. Eu não vou querer saber o motivo, eu quero saber como você está, eu posso te ajudar em alguma coisa, Demi?
Meus olhos foram parar junto aos seus, nossos olhares ficaram fixos. Eu enxergava através dele preocupação acima de tudo, tristeza, serenidade, tranquilidade...
Apenas me joguei em seus braços, ele me segurou firmemente, beijando o topo da minha testa. Fiquei assim, agarrada a ele por alguns minutos, não sei direito ao certo quanto tempo. 
Era realmente difícil acreditar que alguém como ele existia mesmo. Tão compreensivo, nunca me deixava na mão, sempre me ajudava... Ele é o que eu sempre sonhei.
-Só me abraça- sussurrei.
Enquanto nossos lanches ficavam prontos, ainda aninhada em seus confortantes braços, me peguei pensando sobre a maldita mensagem de novo... Eu devia perguntar? Ou esperar para ver o que acontecia? Nada se encaixava direito em minha cabeça, eu ainda não tinha certeza do que estava acontecendo. Nesses poucos dias eu e Ashley não tínhamos nos falado, mas eu podia jurar que Joe afirmava estar cansado dela.
Ninguém da escola, além de Liam e Miley, sabia que eu e Joe estávamos... assim, não tinham palavras concretas para definir o que éramos exatamente agora, enfim, eu não sabia o que esperar na segunda, estava apreensiva e curiosa pelo que Joe faria, o que falaria a todos e quais seriam suas reações.
Me afastei um pouco, mas ainda segurando sua mão e braço, muito próxima dele, buscando conforto, segurança, apoio.
-Obrigada, Joe, de verdade- sussurrei- Você é incrível, eu te amo, muito- sorri- E me desculpa- pedi.
-Eu não fiz nada, linda- me abraçou novamente e o maior sorriso que eu podia dar apareceu em meu rosto ao ouvir ele me chamando de 'linda'- Eu to aqui pro que você precisar-garantiu- Estou aqui pra você- sussurrou.
Me apoiei em seu colo e assim ficamos. Depois de um longo, mas não incômodo silêncio, enquanto Joe acariciava meu cabelo e colocava em minha boca alguns marshmallows, que comíamos junto com o café, ríamos juntos.
Parei de rir e o encarei, séria. Ele me olhou confuso, mas eu devia continuar.
-Você... vai sair, mais tarde?- perguntei involuntariamente.
-Bom, não que eu saiba- riu- Porque? Tem ...planos pra hoje a noite?- se aproximou e me deu um beijo estalado na bochecha.
Sentávamos naqueles bancos grandes acolchoados, então ainda estávamos um do lado do outro.
-Não- sorri- Era só curiosidade mesmo.
-Jura, Demi?- perguntou sorrindo, sem acreditar muito no que eu dissera.
-Juro- ri.
Depois do café que tomávamos para esquentar, finalmente nossos lanches chegaram e comemos em silêncio. Eu tentava manter o clima agradável, mas estava cada vez mais difícil. Só o pensamento de tudo aquilo poder ser mentira, já acabava comigo. E se fosse fingimento? Eu me sentia mal comigo mesma, porque de uma forma, confiava em Joe mais do que em mim mesma mas mesmo assim tinha essa 'desconfiança'.
Realmente, Joe devia me achar maluca. Nem eu mesma me entendia e isso me dava raiva, eu estava ficando nervosa por não conseguir manter o sorriso ou a conversa. Uma hora eu ria com ele, dizia que o amava... na outra, minha cabeça ficava completamente lotada, nada além de dúvidas circulavam por ela. Eu já não ria ou sorria mais.


Continua...
Tudo bem, esse está realmente pequeno! :s Mas eu posto outro amanhã! :') Gente, eu não vou ficar falando o que vai acontecer, mas Jemi não vai terminar tão cedo :) Obrigada por tudo, amo vocês <3 Espero que estejam gostando *o* COMENTEM MUITO!! Já vou avisando que capítulos muito 'legais' (hehe) já estão sendo escritos! :P Vamos comentar! :D


Cami--- Baby! COMO eu senti a sua falta! Não tem noção! Eu ficava todo dia 'Será que ela me abandonou? :(' Que bom que está aqui! <3 Awn obrigada, linda! Senti sua falta! <3 Te amo, beijocas ~Obs: Dei um pequeno surto quando vi seu comentário~ Haha =)
Carol--- Coisa mais linda, muito obrigada! *o* Não, não vão terminar... não por enquanto ;') Beijinhos... love u! ---seu comentário perfeito tirando as minhas palavras como sempre--- <3
Bia--- Haha obrigadaaaaaaaaa =D ica tranquila, nada atrapalha o amor desses dois <3 Beijocas :*)
Stephanie--- Hehe obrigada! Beijos :3
Anônimo--- *O* hahaha obrigadaaaaaaa <3 
Catarina--- Hey! Tudo vai se resolver! Hehe Obrigada! Beijemis =)
Tay--- Obrigada! =) Sim... ela realmente está :( Mas logo logo isso termina! :) Haha sim, seria muito fácil... lol *O* entrei no seu blog! MENINA, essa fic ta com uma cara tipo.. maravilhosa! To super curiosa, pela fic e pela 'one-shot' =D Beijinhos :3
Cíntia--- Hahaha obrigadaaaa, linda! É assim que eu me sinto com os comentários de vocês, SEM PALAVRAS! *O* Beijocas =)


Ai, ai... como eu amo vocês! <3 Bem, é isso. COMENTEM MUITO e logo terão mais um :) 


Beijemis, Bruna :*)

22 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 16


Chapter 16- Confused...

No começo do caminho, o clima estava bem pesado e tenso. Pude perceber que Joe, de uma certa forma entendeu que, se tentasse alguma coisa, não obteria resposta. Caminhávamos um ao lado do outro, nada de romântico acontecia. Eu podia jurar que éramos apenas 'colegas', eu diria. Depois de alguns metros, ele foi se aproximando mais, já que antes mantínhamos certa distância. Exitou por um momento, percebi um pouco de dúvida por parte dele, afinal, eu não estava facilitando nada.
Estávamos na porta da lanchonete mais famosa do bairro, era um lugar aconchegante e tranquilo. Mesmo sendo muito 'badalada', poucas pessoas conhecidas frequentavam aquele calmo lugar, era bom para pensar e bater um papo com os amigos.
Não havíamos trocado palavra alguma, eu me sentia culpada e péssima ao perceber que Joe estava bem chateado com aquilo, mas o que devia fazer? O que podia fazer? Nada estava ao meu alcance agora, não podia tentar mudar aquilo que sentia.
Percebi que ele parou no instante em que nos deparamos com a pequena escada que dava acesso ao local, mas eu apenas o observei cautelosamente e me pus a seguir o caminho.
Subi o primeiro degrau, fechando os olhos com força, aquela dúvida horrível na minha cabeça machucava meu coração, se misturando com todas aquelas coisas inexplicáveis que sentia com Joe. Eu estava de costas para ele.
-Vem cá, Demi- disse com a voz séria, rouca.
Me virei. Meu coração batia forte, eu não sentia mais firmeza em minhas pernas, engoli seco. Eu não sabia o que ele faria.
Fui andando até ele, nervosa e apreensiva. Mantive distância.
-Eu não consigo continuar assim- ele se aproximou- Por favor, eu não aguento- sussurrou, dando mais um passo a frente.
-Não tem nada de errado, Joe- menti desviando o olhar, me afastando um pouco.
-Então vem cá- segurou minha cintura, juntando nossos corpos. Minha respiração já estava alterada, depositei minhas mãos em seu peito- E não mente pra mim- colocou uma mecha de cabelo atrás da minha orelha.
Abaixei minha cabeça, mas ele logo a levantou.
-Eu já estou aqui- sussurrei, desviando o olhar e tirando sua mão, que depositara na minha nuca. Eu falei um pouco seca.
-Mas ainda está mentindo- tirou suas mãos da minha cintura, percebendo que eu procurava distância. Deu um passo para trás e abaixou a cabeça, respirando fundo.
-Que tal a gente entrar e comer um lanche?- sugeri.
-Por que fica me tratando assim de uma hora pra outra? Tava tudo tão bem, Demi. O que eu fiz? A gente quase nem se falou! Porque ta sendo assim comigo?
Aquelas perguntas doeram em mim. Eu estava sendo cruel com Joe por um motivo do qual eu ao menos tinha certeza. Ele estava certo, tratá-lo daquele jeito foi pura estupidez, além do mais, eu não tinha motivos a dar para ele. 
-Eu ... não to me sentindo muito bem, Joe- disse respirando fundo, um pouco mais calma- Eu estava meio nervosa.
-Porque? Aconteceu alguma coisa?- perguntou preocupado.
-Eu não sei direito- sussurrei- Desculpa, eu agi sem pensar. 
-Tudo bem- sussurrou.
Percebi tristeza, insatisfação em sua voz. Ele não estava satisfeito com a resposta, além disso, havia sido uma péssima resposta. Porém era verdade.
Eu não sabia o que estava acontecendo comigo, por isso não podia justificar meus atos de outra forma.
-Por favor, não .... não leva a sério o que eu fiz- pedi me aproximando- Eu te juro que nem eu mesma me entendo agora- confessei.
-Eu sei que não vai me falar- disse- Só quero que saiba que eu tenho certeza que sabe o ao menos o motivo. Mas ta tudo bem, sério.
-Não faz isso, Joe....- meus olhos já ardiam um pouco, como antes.
-Posso te dar um abraço?- perguntou. 
Me surpreendi com o que acabara de ouvir. Ele podia estar não chateado, mas confuso, e percebera que eu não estava bem.
Não respondi a sua pergunta. O encarei por um segundo, logo depois fechei os olhos, me controlando. Ele se aproximou e me abraçou, acomodando minha cabeça em seu peito. Acariciava meu cabelo enquanto sua outra mão vagava lentamente minhas costas e as minhas mãos se prendiam fortemente em sua camisa e braço.
Eu respirava descontroladamente, o ar saía pesado e meu coração batia forte. 
-Shhh- ele sussurrou em meu ouvido.
Eu me sentia mais calma ao poucos, seus toques me acalmavam. Ele acariciava meu braço e apoiava sua mão em minha cabeça, a trazendo para mais perto de seu corpo.
-Eu só me precipitei em algumas coisas, não sei explicar muito bem o que eu sinto- disse nervosa- Me perdoa.
Então ele sorriu em minha direção. Segurou firmemente minha cintura e minha nuca, juntando nossos lábios.
Foi um beijo calmo, apaixonado, apesar de ter sido muito rápido. Não estava tudo bem... não comigo. Talvez entre nós as coisas não estivessem mais tão estranhas, ele provavelmente esqueceria o que eu fizera, ou deixaria para lá.
Me deu alguns selinhos depois, acariciando meu rosto. 


Continua...
Hi! :) Como dito, estou tentando cumprir minha promessa e postar mais rapidamente :") Mas isso NÃO funciona sem a ajuda de vocês, por favor, comentem! É só o que eu peço e aviso :) Eu me sinto mal postando capítulos pequenos... :s Mas... por um lado é melhor! :) Obrigada a todos que comentaram, mesmo! Mas eu senti falta do resto das pessoinhas lindas, onde estão? COMENTEM! Tudo funciona melhor assim! :) Amo vocês <3


Chapters 14 & 15 ----->


Cíntia-- Haha eu amei a parte do coração, também! *w* Woooow COMO eu queria um Joe! hehe :3 Oh meu Deus, obrigada! Nossa... fiquei sem palavras agora *o* 
Sephanie-- :D Obrigada!!! ;')
Giu--- Primeiro de tudo, obrigada, anjo! Por todos esses comentários perfeitos *.* Segundo... eu quero te agradecer por tudo, mesmo. Eu não fui uma amiga boa assim como você vem sendo pra mim... Na verdade, você é maravilhosa. Eu me culpo a todo segundo por tudo que aconteceu, e você já sabe do resto... Eu ficou arrasada quando lembro de tudo e ainda por cima, fico pior quando você me perdoa, diz que me ama como se eu não tivesse feito nada. Isso não é justo com você, eu não fui justa. Você sabe que eu não fiz de propósito mas se eu soubesse e pudesse, garanto que TUDO teria sido diferente. Mas como eu não posso, desculpas é só o que eu posso dizer. Eu te amo muito, e não mereço 1/4 do que você faz por mim. Eu te decepcionei assim como eu fiz a mim mesma, isso nunca vai sair de mim e eu nunca vou esquecer que eu fiz algo assim com o meu anjo. Não só com você, mas com todas. Me desculpa, mesmo. Eu sei que já ouviu muito isso, mas nunca será suficiente pra mim. Eu nunca vou provar pra mim mesma que não foi minha culpa. Eu te amo, anjo <3 Aaaah, e fica calma, a mensagem não é nada de mais... o resto você descobre :P hehe lol
Carol--- BABY!! Como está seu pai? Espero que bem! :) Awwwwwn linda! Muito obrigada, por tudo! Infelizmente a gente não se encontrou no show mas nada muda o meu amor por você! Outras oportunidades virão e eu conseguirei te conhecer! Obrigada, bb <3 Você merece cada letra que eu escrevo, merece esses capítulos que segundo você, são 'perfeitos' e merece o meu amor <3 Comentar duas vezes? Quanto amor, que coisa fofa :3 Amo muito tudo isso *o* hehehe God... você é a primeira que me diz isso - eu acho- ler a fic outra fez... é uma completa honra pra mim, juro! *.* Ah, e cada comentário seu é perfeito! Te amo <3 Beijocas :3
Bia-- Hey! :) Owwnt *w* obrigada!!! Sério, vocês me matam com esses comentários! :O O show foi perfeitamente perfeito! Eu acho que já viu meu surto aqui e é uma pena que você não tenha ido :( Mas saiba que outras oportunidades virão! Haha eu acho que todas vocês preferem capítulos menores! hehe então ... é isso que estou fazendo, tentando postar mais rápido! :P Obrigada! Beijocas :)
Catarina--- OLÁÁ!!! Seja muito bem-vinda! :D Espero que goste, amore! Hehe beijooos <3
Tay--- Hahaha vocês tem tanta raiva da Ashley... nem sei por que.. -ironia- hahahaha Obrigada! É nova aqui? *o* Seja bem-vinda! :D Beijemis <3
Diana-- Oh God! Obrigada! Haha Beijos *.*


Ufa, acabei! Gente, é cansativo mas eu amo fazer isso! *o* Responder esses comentários, escrever os capítulos é o mínimo que eu posso fazer pra tentar 'agradecer' a vocês por todo esse amor e carinho! Obrigada mesmo, vocês são fantásticos... sem palavras! *o* 


COMENTEM! :D


Beijemis, Bruna *-*

21 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 15


Chapter 15- What to do?...



Demi on:
Era sábado. Depois da noite de ontem, só consegui cair na cama, pensando em como tudo havia mudado tão repentinamente e como estava agora.
Me levantei e ainda era cedo, tomei um banho bem quente e coloquei um agasalho, era uma manhã muito fria. Desci indo em direção a cozinha, mas nada me agradava, eu não estava com muita fome. 
Eu não tinha o que fazer então decidi ir até o jardim ou talvez dar uma volta no parque.
Quando atravessei a porta, pude ver Frankie e Joe jogando futebol americano na rua. Me aproximei, indo até a calçada. Eu estava próxima deles, mas nenhum dos dois parecia ter me visto.
Joe usava uma calça preta larga, aquelas que se usa para praticar esportes e uma blusa simples branca... Apenas lindo como sempre. Eles pareciam entretidos com o jogo, corriam de um lado para o outro, com certeza se divertiam.
-Deixa que eu pego- ouvi Joe gritando.
Ele correu em minha direção, seguindo o movimento que a bola fazia pelo ar. Mas estava de costas e cada vez mais perto.
-Joe a...- Frankie tentou avisar, mas já era tarde.
Eu não tive tempo de sair, foi realmente muito rápido. Ele esbarrou em mim com certa força e caímos os dois no chão.
-Meu Deus, desculpa- pediu se levantando- Te machuquei?- estendeu a mão para me ajudar.
-Não- respondi sorrindo.
-Tem certeza?- estava preocupado- Eu não sabia que estava aqui, desculpa...
-Não se preocupa, Joe- ri- Ta tudo bem.
-Se é assim, bom dia- se aproximou rindo e me deu um beijo calmo e demorado.
-Bom dia- sorri.
-A senhorita estava me espionando?- perguntou.
-Não- ri- Eu só vim aqui fora e vocês estavam jogando.
-Porque não me chamou?
-Eu não queria atrapalhar- expliquei- Aliás, não está frio não?!
-É por isso que estamos jogando- sorriu- Fica mais quente. Quer se juntar a nós?- riu.
-Aaaah não- neguei rindo, ele me abraçou, segurando minha cintura- Prefiro olhar.
-Vamos lá em casa? Eu tomo um banho rápido e a gente sai pra comer alguma coisa- sugeriu sorrindo- Já tomou café?
-Pra falar a verdade não... - disse- Eu realmente estou com fome- fiz careta.
-Que bom, eu não comi nada também. Aquele ali- apontou para Frankie, que nos observava, brincando com a bola- Me acordou as 7 da manhã- revirou os olhos- Pulando na minha cama- completou. Eu ri.
-Eu acho que ele quer jogar- comentei- Depois a gente come, não quero atrapalhar vocês.
-Eu to jogando a 2 horas, Demi- disse sério- Você me fez um grande favor- riu.
-Tudo bem... então eu te espero aqui- disse.
-Não- se aproximou- Vem comigo- pediu.
-Ta legal- me dei por vencida- Vamos.
Ele colocou seu braço ao meu redor e seguimos em frente. Joe passou por Frankie, fazendo sinal para que entrasse, por incrível que pareça, ele não reclamou, apenas sorriu em minha direção e entrou em casa saltitante.
A casa parecia estar vazia, acho que os pais de Joe ainda não haviam voltado. 
-Eu vou tomar um banho rápido- disse- Quer me esperar aqui ou vai subir comigo?- perguntou.
-Não eu... espero aqui mesmo- forcei um sorriso.
-Tudo bem, eu já volto- sorriu, me dando um selinho.
Ele subiu a escada rapidamente. Me sentei no sofá para esperá-lo. Poucos minutos depois seu celular começou a tocar, provavelmente Joe havia deixado na sala, eu ouvia o som. Tocou mais umas 2 ou 3 vezes, até que encontrei o aparelho. 
O encarei por alguns segundos, podia ver claramente que uma mensagem havia chegado. Não pensei por muito tempo, quando me dei conta, já estava clicando em 'ver'. Eu tinha em minha cabeça que isso não era certo, eu não tinha esse direito de bisbilhotar as coisas de Joe, ainda mais quando se tratava de um celular, uma coisa pessoal. Mas foi mais forte do que eu e não tive tempo de me controlar.
    
"Amor, está confirmado hoje? Estou de esperando aqui, nos divertiremos muito <3 Me liga quando puder, estou com saudades... 
                                                                                                      Beijos, Ashley"


Por um segundo eu não sabia o que pensar. As primeiras sensações que invadiram meu corpo foram ciúmes, uma pontada de arrependimento por tudo, uma vontade imensa de sair correndo. Porém alguma coisa me prendia ali. Primeiramente eu não sabia o que fazer, como falar com Joe, não sabia ao menos se falaria com ele sobre isso, afinal, foi um erro futucar o celular dele assim, do nada. Mas também não teria sido um 'erro' de sua parte fazer isso? Eu não sabia muito bem o que acontecia, tudo se passava muito rapidamente pela minha cabeça. 
Voltei para o sofá, deixando o celular onde estava. Respirei fundo algumas vezes e pude perceber que estava sendo um tanto quanto... antecipada ao pensar naquilo tudo. Não que a possibilidade de haver alguma coisa entre eles não me incomodasse, mas me peguei pensando na realidade, no que realmente acontecera.
Não seria legal da parte de Joe fazer nada do tipo, me sentiria muito mal- eu já podia me sentir assim- além de ser um tanto desleal. Mas como pensar em lealdade agora? Afinal, o que eu e Joe tínhamos? O que estava realmente acontecendo entre nós? Ele dissera que tudo seria diferente, eu mesma confirmei isso, mas pensando mais fundo na situação, estávamos seguindo o que havia sido dito? Eu me sentia especial, verdadeiramente amada, porque foi exatamente isso que coloquei na minha cabeça... só que não era bem assim.
Eu e Joe ainda estávamos apenas ficando, olhando fundo, era exatamente isso. Diferente? Eu não encontrava a resposta. Tudo bem que durante esses quase 2 dias que passamos juntos, as coisas realmente pareceram diferentes, não parecia ser algo do momento, mas eu tinha provas disso? Não estávamos namorando nem nada. Ele se declarou para mim, eu me abri com ele e confiei, me iludi mais, acreditando que seria diferente... seria mesmo? Joe não pareceu se preocupar com nada mais sério, para ele, tudo estava bem assim, desse mesmo jeito que estávamos acostumados. 
Então ele tinha o direito de se divertir com Ashley? Eu não achava as respostas certas, não entendia o que sentia. Eu não podia falar com ele, não sabia como ele reagiria a minha ousadia, eu podia piorar as coisas com essa ideia ridícula de mexer no seu celular. E se fosse tudo um completo mal entendido? 
Abaixei a cabeça, levando as mãos até o cabelo. Meus olhos ardiam, mas eu não podia chorar, não por algo tão bobo ou inútil. Além disso, se Joe me visse assim, tudo seria mais difícil e eu não conseguiria disfarçar.
-Demorei?- ouvi sua voz, próxima de mim.
Levantei rapidamente a cabeça, afastando todos aquele incômodos pensamentos e forçando o meu melhor sorriso.
-Não, imagina- disse sorrindo.
-Então, vamos?- perguntou vindo até mim, esticando sua mão, para que eu levantasse.
-Claro.


Continua...
Hey galera! Obrigada a todos que comentaram, eu amei cada letrinha que vocês escreveram! Eu não to com muita cabeça para responder, me desculpem! :s Mas quero que saibam que eu li TODOS e AMEI! <3 Amo muito todos vocês! Em relação ao design, eu tentei mudar e fiz uma grande besteira aqui no blog, quando fui reverter, não adiantou de nada! Então tive que fazer tudo de novo! :/ Bom, eu mudei algumas coisas, acho que perceberam... não era o que eu queria fazer mas prefiro não arriscar e deixar assim mesmo! De qualquer forma, obrigada por todas as opiniões :) Bom, como devem ter percebido, eu diminuí o capítulo, já que vocês preferiram assim! Eu vou fazer de tudo pra postar mais rápido ;') 
Genteeeeeee o show! *O* quem me acompanha pelo twitter sabe COMO foi PERFEITO e COMO eu SURTEI! Gente... ela tava tão linda, fofa, perfeita... foi lindo! Eu nunca chorei tanto, só conseguia tremer, gritar, pular, chorar... foi o melhor dia da minha vida! Ver aquele sorriso no rosto dela não tem preço! Eu tava ali.. tão pertinho *-* Enfim... gente... vocês não imaginam como tudo isso significou pra mim! <3333


Obrigada a todos, vocês são incríveis e desculpa a demora, mas esses dias eu fiquei bem sem tempo e vou confessar que a vontade de postar não vinha... porque a minha cabeça não ta nada bem... mas eu não podia deixar vocês aqui, esperando! Obrigada por tudo! :D


Bom... eu to lendo mais uma vez esses comentários e me da muita vontade de responder! :P Eu volto aqui depois, quando estiver com menos coisas na cabeça, e faço questão de responder a todos, okay? Hehe :3 COMENTEM MUITO, certo?! Muito, muito, muito! :D Como eu vou postar mais rápido agora, quero muitos comentários, em! <3


Beijemis, Bruna *-*

15 de abr de 2012

Be Yourself- Chapter 14


Chapter 14- Is it eternal love? ...

Demi on:
Pra quem já fez tanta burrada na vida, uma  a mais não faria diferença... além disso, eu podia ver em seus olhos a verdade, eu acreditava que dessa vez, não me decepcionaria.
Seus beijos me acalmavam, eu me sentia completa. Era como se borboletas invadissem meu estômago a cada beijo, cada toque. Tudo vindo de Joe era como uma droga.
Se era errado? Eu não me importo mais. Decidi não deixar de viver minha vida em função de pensamentos idiotas ou medos infantis, eu queria ser feliz. E eu sabia que ao lado de Joe isso podia se tornar realidade.
Não podia negar que ainda tinha uma pequena parte de mim que não concordava, minha consciência não estava completamente limpa, mas isso era questão de tempo.
Quando nos beijamos, estávamos de pé. Logo ele me arrastou lentamente até o banco, se sentando e me colocando automaticamente em seu colo.
Eu confiava muito nele, uma confiança que eu nem sabia direito de onde vinha, mas confesso que fiquei insegura, talvez pelo nervosismo e medo de que ele exagerasse. Mas isso não aconteceu. Aos poucos fui me acalmando, percebendo que ele apenas me beijava com amor, como antes. Ele sabia que agora tudo seria diferente, que eu não era mais a mesma e por isso teria certo 'trabalho' ao lidar comigo, mas isso era uma coisa que aconteceria com o passar do tempo. 
Esquecemos completamente do mundo ali, ele sorria em meio aos beijos e eu apenas retribuía, não podia ser mais perfeito.
-Joe, eu acho melhor a gente ir- disse tentando me levantar.
Ele não deixou, como previsto. Eu ria enquanto ele me prendia em seus braços. Me dei por vencida e ele apenas me pressionou mais contra seu corpo, mas dessa vez, me abraçando por trás. Ainda estávamos sentados.
-Porque quer ir embora?- perguntou acariciando meu braço.
-Já ta tarde e...- olhei para os lados- Não tem ninguém aqui.
-Olha ali o guardinha- apontou.
-Deixa de palhaçada- dei uma leve batida em seu braço, rindo.
-Tudo bem, mas isso não é problema- deu de ombros, rindo.
-Como não? Estamos sozinhos no shopping!- disse.
-Isso é muito bom, não acha?- me deu um beijo no pescoço.
Apenas o encarei em reprovação.
-Não- respondi séria.
-Era só uma brincadeira- disse se levantando, me levando lentamente junto- Desculpa- sussurrou em meu ouvido, abraçando mais forte.
-Ta tudo bem- forcei um sorriso.
-Tem medo de ficar sozinha ou o problema é comigo?- perguntou um pouco sério, me soltando calmamente, segurando minhas mãos, parando bem na minha frente.
-Meu problema não é com você, ta legal?- respondi rindo, o abraçando de lado- É que eu nunca fui muito boa em ficar em lugares vazios, a noite- disse.
-Eu te protejo- sorriu me dando um selinho demorado.
Retribui com um grande sorriso e caminhamos de mãos dadas até o carro. Ele abriu a porta para mim e seguimos nosso caminho.
-Eu me diverti muito hoje- confessei.
-Ah, pode ter certeza que eu também- concordou.
-Obrigada por tudo... pelo que você disse...- sussurrei.
-Eu te amo- me interrompeu.
-Eu também- sorri- Mas eu fui meio chata com você no começo... eu amei tudo que disse, significou muito para mim, de verdade. Desculpa ter te tratado daquele jeito, eu estava confusa.
-Não se preocupa, Demi- pediu- Esquece o passado, o presente é o que importa- me roubou um selinho.
-Joe... aquela nossa conversa sobre 'amor verdadeiro', que você disse que também estava a procura de um...
-Sim, era você- completou e eu sorri- Tudo que eu falei foi me referindo a você, pode ter certeza disso- garantiu.
-Eu... também- sorri timidamente- Acho que já descobriu quem é o 'sortudo'- ri.
-Até que não demorou muito -sorriu.


(...)


-Boa noite- disse enquanto ele estacionava o carro, me aproximando para beijá-lo.
-Já?- fez uma carinha triste, eu tive que rir.
-Sim, Joe- lhe dei um rápido beijo- Lembra? Já está tarde.
-Tarde pra ficar num shopping vazio- disse- Não pra ficar comigo.
-Joe...
-Por favor vai- pediu segurando na minha cintura- Só até eu enxotar o Liam lá de casa, só um pouquinho.
-Ta bem- me dei por vencida.
Ele sorriu e me deu um beijo calmo. Logo depois saímos do carro, indo em direção a casa dele. Entramos e estava tudo apagado, mas ouvíamos alguns barulhos estranhos e gritos.
-O que ta acontecendo aqui?- Joe sussurrou, acendendo a luz.
-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA- Liam gritou quando chegamos mais perto de onde ele e Frankie estavam.
-Meu Deus! O que é isso?- Joe perguntou gargalhando, eu fazia o mesmo.
A cena que víamos era definitivamente hilária. Liam estava jogado no chão, sobre o tapete, todo encolhido e abraçando uma almofada com força. Seus olhos estavam fechados e ele gritava. Ele balançava o corpo de um lado para o outro, tinha as mãos tapando os ouvidos e parecia apavorado.
Enquanto isso, Frankie estava sentado ao seu lado, com um saco de pipoca na mão, devorando-a. Ele ria e tinha seus olhos fixos na tela da televisão.
-Frankie, o que vocês fizeram?- perguntou ainda rindo- Você ta bem, Liam?
-Hahahahahaha ele ta morrendo de medo hahahahaha- Frankie ria sem parar, assim como eu e Joe.
-Filme de terror?! Fala sério, Liam! Meu irmão ta rindo e você ai quase chorando?- riu- Que isso?
-Você diz isso porque não tava vendo o filme- se levantou calmamente.
Joe e eu estávamos de mãos dadas, Liam veio até nós.
-Ae, parece que se entenderam- comentou.
-Vocês tão namorando?- Frankie chegou mais perto.
-Vai lá pro seu quarto, vai!- Joe disse rindo.
-Ah- resmungou e saiu andando- Eu me diverti muito, Liam- disse rindo.
-Não vem debochar da minha cara não- murmurou.
-Ele aprendeu com o melhor- Joe sorriu vitorioso.
-Ha-ha- Liam riu irônico- Muito engraçado- revirou os olhos.
-Tudo bem- Joe disse, parando de rir- Como foi a tarde?
-Como foi o encontro?- perguntou sorrindo maliciosamente, ignorando a pergunta de Joe.
-Foi ótimo, Liam- respondi, rindo.
-Não, eu quero detalhes- pediu- O que rolou lá?
-Nada do que você está pensando- Joe riu- Mente poluída- balançou a cabeça em reprovação.
-Você também está pensando- disse em tom óbvio- Então somos 2.
-O que quer saber? Se nos beijamos?! Sim- disse um pouco impaciente.
-Ta legal, ta legal- Liam colocou as mãos para cima- Já entendi, quer curtir o resto da noite com a Demi?! Eu vou deixá-los em paz.
-Graças a Deus essa criatura usou a cabeça- Joe comentou e eu ri.
-Amanhã a gente conversa- sussurrou perto de mim- E você me conta ta, Demi?- eu ri e Joe fez o mesmo.
-Pode deixar- pisquei entrando na brincadeira.
-Ah, cuidado com ele- disse em tom sombrio, ainda sussurrando. Porém Joe ouvia tudo e ria.
-Ta legal, agora você já pode ir pra casa- empurrou Liam em direção a porta.
-Mas...
-Mas nada- riu- Valeu por ter cuidado do meu irmão, mas você tem que ir.
-Juízo pra vocês em- brincou, correndo para fora da casa.
-Muito engraçado- Joe gritou.
Fechou a porta ainda rindo e me levou para perto do sofá.
-Ele é uma figura- comentei.
-É sim... mas as vezes assusta- riu.
Ri e segurei sua nuca, o beijando com calma e tranquilidade.
-Você é incrível, sabia?- perguntou- Eu sou louco por você- sussurrou em meio aos beijos.
-Está exagerando- sorri- Mas eu gosto de saber que pensa assim.
-Pode ter certeza, você não gostaria de saber tudo o que eu penso quando estou com você- riu- Fugiria de mim.
-Deixa de ser bobo, Joe- sorri envergonhada.
-Estou sendo realista- beijou carinhosamente meu pescoço.
-Você é o melhor- sorri e ele segurou minha cintura.
-Estou longe de ser o melhor- disse com firmeza- Mas eu posso tentar ser o melhor para você, assim como é pra mim.
-Não precisa tentar, você já conseguiu- apoiei minha cabeça em seu peito -Daqui a pouco eu tenho que ir pra casa, Joe.
-Você mora aqui do lado, esquece um pouco a hora- sorriu- Vem cá, vem- segurou minha mão, me puxando calmamente até o sofá.
-Então... seus pais não estão em casa?- perguntei.
-Não... eles foram viajar e ainda não voltaram- respondeu.
-Ata... e o Nick? Seu irmão?
-Ele está na casa da minha avó, lá em Dallas- disse- A gente não vai ficar falando da minha família, não é?- riu, me abraçando.
-Tudo bem...- sorri.
Ele segurou minha nuca, me beijando intensamente. Suas mãos vagavam pelas minhas costas. O beijo era intenso, mas ao mesmo tempo calmo. 
Então ele me puxou mais para perto de si, acabei ficando em seu colo. Tentei lentamente voltar aos poucos para o lugar onde estava, mas ele percebeu.
-Ei- colocou uma mexa do meu cabelo para trás- Beijar não pode?- perguntou amigavelmente.
-É claro que pode...- forcei um sorriso. Ele ainda me encarava, com um pequeno sorriso. Percebi que devia dar alguma explicação- Ah, desculpa Joe- respirei fundo, soltando o ar pesadamente.
-Fica tranquila, ta?- me puxou carinhosamente até seu colo- Vem cá- ficamos um pouco deitados no sofá. Ele colocou minha cabeça depositada sobre seu ombro, acariciando meu cabelo.
-É difícil pra mim- sussurrei.
-Eu sei- afirmou- Só me fala quando se sentir incomodada, tudo bem?
-Eu não quero que me ache uma chata.... eu acabo deixando pra lá...- disse.
-Não faz isso- deu um carinhoso beijo na minha bochecha- Eu quero que me fale, Demi- pediu- Vou me sentir melhor se souber que você se sente bem, não quero que fique insegura.
-Eu só peço que tenha paciência comigo- disse sussurrando- Eu tenho que me acostumar a agir como antes...
-Não é isso que eu quero que faça. Eu sei que você não é desse tipo e não quero que faça o que fazia antigamente, não precisa. Seja você mesma- sorriu- E eu vou ter paciência com você, não precisa ficar assim.
-Tudo bem... eu vou falar- concordei.
-Pode me falar o que quiser- garantiu- Eu quero saber o que te incomoda. Não fica preocupada, eu não vou agir como se você fosse a mesma de antes, eu não vou fazer nada.
-Eu sei que não- sorri- Mas....- suspirei sem saber como continuar.
-Olha, eu sei que posso parecer abusado e não é o que eu quero. Mas ...eu só pareço- riu sem humor e eu acompanhei- É só você relaxar e manter a calma. Você pode ter medo mas eu não vou passar dos limites, prometo- beijou minha mão- Você conhece bem o meu passado não muito favorável- eu ri- Mas aquilo é um conjunto de várias coisas, eu não serei assim com você.
-Obrigada- disse timidamente.
-Só... tenta se sentir a vontade comigo, vai ajudar muito- sorriu, me dando mais um beijo, dessa vez no canto da boca.
-Eu prometo tentar- me acomodei em seu colo- Eu podia passar a noite toda aqui... assim- disse sorrindo em direção ao nada.
-Você pode passar a vida toda assim- sorriu.
-Seria perfeito- entrelacei nossos dedos- Eu me sinto tão... bem ao seu lado.
-Então só fique ao meu lado.
-Eu te amo tanto, Joe... tudo aconteceu tão... de repente- comentei.
-Não importa como aconteceu... eu sei que foi inesperado mas... estamos aqui e eu te amo também- nos beijamos- É o que importa.
-Parece um sonho... eu nunca achei que isso fosse acontecer.
-Eu demorei muito pra perceber que... tudo isso não era só ilusão ou maluquisse minha.
-Achei que nunca perceberia- ri sem humor, virando a cabeça para encará-lo- Eu estava quase desistindo.
-Nunca desista de mim, porque eu nunca vou desistir de você- beijou minha testa.
Algumas horas passaram e ali estávamos, abraçados, deitados no sofá. Rindo, conversando, nos beijando.
-O que acha da gente ir lá fora tomar um ar?- perguntei- Aí eu aproveito e vou pra casa... desculpa mas eu tenho que ir- fiz careta.
-Vamos sim- riu.


(...)


Joe on:
-Quando eu era pequeno, minha tia me arrastava pro jardim e ficávamos a noite toda inventando significados pras estrelas e constelações...- comentei.
Estávamos andando na rua, fazendo um pequeno passeio antes de Demi voltar para casa. Meus braços estavam ao redor do seu pescoço e nossas mãos juntas.
-Me diz um- sorriu sapeca.
-Essa é fácil... Ela vivia dizendo que eu era apaixonado por uma menina que estudava comigo- dei um leve beijo em seu pesçoco- Não fica com ciúmes- sussurrei rindo em seu ouvido. Ela sorriu- Falava que quando a gente começasse a namorar, eu ia levá-la até o jardim e nós ficaríamos ali, observando as estrelas também. Daí minha tia me mostrou uma constelação que parecia muito um coração, e disse que, se eu visse ela no céu na noite em que eu estivesse com a garota, seria um sinal... de amor eterno.
-Own que lindo- disse.
-Olha- apontei para o céu- Bem ali...
Ela olhou na direção que eu mostrava e uma expressão de surpresa se formou em seu rosto. Ela abriu um grande sorriso e me encarou, ainda maravilhada.
-Isso é... perfeito- disse- O coração...- sussurrou, olhando novamente para o céu.
-Amor eterno- segurei sua nuca e iniciamos um calmo beijo, debaixo das estrelas. Apenas o luar nos observava.


(...)

Continua...
Olá :) Humm... eu gostei desse capítulo... :P Jemians, muito obrigada pelos comentários! *O* U-A-U vocês conseguem me fazer sorrir em qualquer hora! :D Esses comentários estão lindos! <333 Gente, é o seguinte, eu estava pensando e talvez tenha uma 'solução' para vocês... não é nada certo, não sei se vou conseguir mas... Se vocês preferirem, podemos fazer o seguinte, eu escrevo capítulos menores ( mas fiquem tranquilos, não serão pequenos) e assim, vou conseguir postar com mais frequência! O que vocês acham melhor? Digam suas opiniões e eu vejo o que vou conseguir fazer a respeito! :) Eu percebi uma coisa... quanto mais tempo eu deixo de postar, mas comentários aparecem... Eu não estou dizendo que faço isso de propósito, não é isso, mas fico extremamente feliz em ver os comentários e andei percebendo isso. Enfim, me digam o que vocês acham sobre isso :') Outra coisinha... essa semana as coisas vão ficar realmente complicadas... eu tenho algumas provas, o show (\O/) e vou acabar ficando em função disso... Mas calma, não vou deixar de postar! Só estou avisando, caso eu demore um pouco :) Ooooutra coisinha... me deu uma vontade maluca de mudar o design do blog... mas mudar mesmo! Eu queria por aquelas visualizações panorâmicas... sabem qual é? Então.. o que acham? Eu não sei se mudo, porque pode ser que fique ruim... enfim... preciso da opinião de vocês sobre muitas coisas, em! :D Amo muito vocês, obrigada mesmo, de verdade pelos comentários! <333 Much love <3

Jemi- a história inesquecível---- Awn obrigada! :3
Stephanie---Todos queremos Jemi! Quem não quer o casal mais perfeito e fofo do mundo? :)
Iris--- Também quero! :( Onde clica pra aparecer aqui na minha frente? :(
Carol--- God God God! Eu nem sei mais o que dizer pra você! É impressionante! Cada vez que leio um comentário eu penso 'como ela consegue?' Cada palavrinha que você escreve aqui tem um significado imenso pra mim, e eu sinto que não consigo nem responder com algo a altura do que você me fala! Obrigada por tudo e saiba que, mesmo que eu não te fale coisas como você me fala, eu te amo muito <3
Cíntia---Owwwwn <3 *O* obrigada, baby! Uau <333
Anônimo--- Awn obrigada! :D Mas então... quem é você? haha me diz! :)
Giu--- Vou tratar de escrever muitos momentos Jemi pra você, babe! Haha Não, não existe amor mais lindo que esse, Jemi é tudo <3 Own obrigada meu anjo! Eu vou melhorar para chorar e pular muito com você lá no show! *O* Que linda.... <3 Te amo <3 
Lara---- Awwwwn você voltou! *O* Love ya! <3
Bia--- Haha sim! #JEMITOGETHER! :D Obrigada! <33 Também quero Miley e Liam, Sel e Demi... Mas isso aos poucos vai acontecendo! :) Beijocas :3
Dallas--- MENINA! Eu abri um sorriso do tamanho do mundo com o seu comentário! *O* Hahahahaha desculpas aceitas! :P haha ownnnt hahaha que linda você! <3 Bejinhos! Fale comigo sempre que quiser! É incrível saber que fica tão 'envolvida' com a história! haha eu já fiquei assim, no celular 24h por dia esperando o capítulo novo! :O haha  :)
Valeu galera, amo muito vocês, obrigada mesmo! :D  COMENTEM! PLEASE! <3

Beijemis, Bruna *o*